Opinião: Guilherme e André não podem ser titulares do Corinthians

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A derrota do Corinthians para o Palmeiras (1 a 0) no último domingo, no Pacaembu, não pode ser encarada como uma tragédia. Afinal, o time já estava classificado às quartas de final e apenas cumpria tabela. Porém espero que o revés tenha servido para Tite rever a titularidade do meia Guilherme e do atacante André, reforços que ainda não vingaram em 2016.

LEIA MAIS:
Para Edílson Capetinha, o Corinthians de 98/99/2000 era superior ao Palmeiras 93/94 
Ouça a análise de Rafael Alaby em Palmeiras 1 x 0 Corinthians 

Guilherme herdou a camisa 10 de Jadson, mas está a anos luz de atingir a eficiência do melhor meia do Brasileirão 2015 e que atualmente defende as cores do Tianjin Quanjian-CHN.

No Timão, o meia tem exercido a mesma função tática de Renato Augusto, porém, sem a competência do antigo titular. Guilherme não tem a dinâmica de jogo e não consegue ir ao ataque e voltar para dar o combate na marcação. Ele participa pouco do jogo e quando a bola chega aos seus pés normalmente erra o passe para irritação dos torcedores. Tite deveria pensar em outras alternativas. Talvez Rodriguinho poderia ser testado na função, com Giovanni Augusto e Lucca nas pontas e Maycon fechando a linha de quatro jogadores no meio de campo. Elias provou no dérbi que ainda está sem as condições físicas ideais para ser titular. Foi um erro Tite usá-lo desde o início e deixar o menino Maycon no banco de reservas.

Quem também ainda não se encaixou foi o centroavante André, que fez a torcida relembrar as primeiras partidas de Vagner Love com a camisa alvinegra no Paulistão 2015. O camisa 9 disputou 12 (nove como titular) das 21 partidas do Timão em 2016 e marcou apenas dois gols. Vale dizer que as opções para substituí-lo são restritas. Luciano retornou recentemente de grave lesão e ainda não reeditou as grandes atuações do final do primeiro turno do Brasileirão 2015. O meia Danilo provou nos primeiros jogos da temporada que não tem condições de exercer a função de falso centroavante. Não seria hora de dar uma chance a Romero, artilheiro da equipe na temporada?

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)