Opinião: Pela volta da inteligência e do torcedor comum ao futebol

Corinthians x Palmeiras
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Mais uma vez o futebol em São Paulo é caso de polícia, com as brigas no final de semana verificadas em vários locais na Capital e na Grande São Paulo. E qual a atitude da Secretaria de Segurança, PM e Ministério Público? Adotar a torcida única nos estádios de São Paulo nos clássicos.

Certamente essa não é a melhor e mais sensata atitude. Desde 1995 não acontece uma briga em um estádio e todas as confusões verificadas desde então acontecem longe do Pacaembu, Allianz Parque, Arena Corinthians e Morumbi. Basta usar algo que todos os seres humanos são dotados e que parece não ser muito usado nos dias de hoje: INTELIGENCIA!

A PM de São Paulo tem esse serviço, basta coloca-la em ação a favor da população. Monitorar redes sociais, avaliar comportamentos não é nada complicado, basta apenas estar um ou dois passos à frente de quem está fora da lei. Surgiu indicio de marcação de briga, confusão? Cadeia neles! Além disso, caberia gestionar junto aos nobres deputados federais em Brasília para mudar o Código Penal e incluir penas mais duras para quem se envolver em brigas, combinar encontro para rixas, destruição de transporte público e principalmente causar a morte de inocentes.

Na mesma linha da inteligência, no mesmo ano de 1995 aconteceu um fato raro em campos paulistas, um derbi entre Palmeiras e Corinthians (curiosamente a última vitória do alviverde sobre o alvinegro no Pacaembu) e nele, tivemos torcida mista. Desde 2014, em todos os Grenais contam com torcida mista e no recente Fla-Flu na Capital Paulista, a maior parte do estádio contou com torcida mista.

Cito tudo isso apenas para defender uma tese, já que as organizadas estão sendo esta fonte de problemas, com brigas, confusões e etc, porque não usar esse momento e entregar o futebol ao seu maior, o torcedor. Eu não incentivaria essa política de torcida única e sim, incentivaria que num derbi no Allianz Parque, um palmeirense leve um amigo corintiano lá, ou que na Arena, um corintiano leve um são paulino, bem como no Morumbi um tricolor convide um palmeirense com ele, e que na Vila Belmiro os santistas façam o mesmo com seus adversários.

Como falei acima, é um caso de inteligência, se queremos paz, combatamos a violência com atitudes pacíficas, que incentivem a paz. Torcida única é um incentivo a brigas em locais afastados e o que mais precisamos neste momento é baixar a temperatura da fervura generalizada, um brinde ao entendimento e a inteligência e vaias as brigas, entreveros e confusões!

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians