OPINIÃO: Um Flamengo x Botafogo que mais parecia Paraguai x Brasil

Creditos: Reprocução / Facebook Oficial Flamengo

No último sábado, 02, Flamengo e Botafogo se enfrentaram no Estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG), pela quinta rodada da taça Guanabara. O Botafogo esteve à frente do placar por duas vezes e o Flamengo buscou o empate.

O Flamengo não vive um bom momento. São seis partidas sem vencer e sem encontrar um padrão de jogo. Já o Botafogo, teve o jogo nas mãos. Saiu na frente logo no início, conseguiu se defender bem, porém permitiu ao rival empatar, no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Alvinegro voltou determinado e buscou a virada, que veio após rebote na cobrança de pênalti. No fim, Cirino empatou, aproveitando bom cruzamento de Gabriel.

Uma equipe com um elenco melhor – no papel – porém desorganizada, enfrentando outra, mais fraca tecnicamente e ciente de suas limitações. Até parece o relato de Paraguai e Brasil, porém é Botafogo x Flamengo. Assim como aconteceu com os paraguaios, para vencer, faltou ao Botafogo ter velocidade nos contra ataques e inteligência para segurar um pouco mais a bola na frente. No fim, a equipe sofreu o gol de empate e ainda viu o rival ter chances de poder virar a partida.

Muricy Ramalho sacou Emerson e deu oportunidade no time titular para Alan Patrick. Com a entrada do meia, o time até iniciou melhor o jogo, porém no primeiro momento em que foi atacado pelo Botafogo, sofreu o gol. Paulo Vitor saiu mal, “catou borboleta” e Carli com liberdade e fez 1 a 0, aos 12 minutos.

Após o gol, a equipe Rubro-Negra se perdeu em campo. Tinha posse de bola, porém, faltava organização e criatividade. Após longos minutos sem ninguém criar, o Fla voltou a ameaçar. Renan Fonseca recuou mal e entregou a bola nos pés de Guerrero, o peruano entrou livre na área, chutou e Jefferson evitou o empate.  Aos 30 minutos, depois de muito insistir o Flamengo marcou. Rodrigo Lindoso afastou mal a bola e Alan Patrick acertou belo chute de fora da área na gaveta.

Insatisfeito com a equipe, no segundo tempo, Muricy voltou ao esquema com três atacantes. Já o Botafogo retornou mais agressivo e buscando o ataque. Logo no principio do segundo tempo, Ribamar sofreu pênalti infantil de Wallace. Lindoso cobrou, Paulo Victor defendeu, no rebote o volante recebeu passe de Fernandes e marcou 2 a 1.

Alan Patrick se mostrava o mais lúcido em campo e lançou Cirino, que encobriu Jefferson. Diogo Barbosa evitou o gol em cima da linha. Quase aos 40 minutos Gabriel – que entrou no segundo tempo – levantou para Marcelo Cirino marcar de cabeça e garantir o empate.