“Melhor que CR7”, reserva cai nas graças da Juventus

Reprodução/ Twitter @ChiamarsiBomber

“Padoin, Padoin! Quem precisa de Cristiano Ronaldo? Nós temos Padoin!” Os versos bem-humorados da torcida da Juventus são uma homenagem ao meia Simone Padoin. Consciente de suas limitações, o jogador conquistou os torcedores com sua dedicação em campo. Tanto que o coro já foi ouvido até durante uma viagem do time à China.

LEIA MAIS:

Brasileiro pode ganhar “Chuteira de Ouro” na Europa

Vídeo: Jogador do Cuiabá é substituído com 20 minutos e tenta agredir técnico

No entanto, o tom irônico ficou de lado no domingo, durante a vitória sobre o Palermo por 4 a 0. O eterno reserva de Turim entrou no lugar de Sami Khedira aos 33 minutos da etapa final e fez o quarto gol bianconero aos 44. No lance, ele recebeu de Álvaro Morata e tocou com categoria, à direita do goleiro Stefano Sorrentino, levando o Juventus Stadium à loucura.

“Pessoalmente, foi um grande dia para mim por causa do gol. No entanto, a grande emoção foi o grito das arquibancadas, algo que, honestamente, eu não esperava. Depois, recebi muito carinho dos meus companheiros. Aquilo foi o melhor para mim”, disse ao canal italiano “Sky”.

Perguntado sobre o coro criado pela torcida, o jogador de 32 anos admitiu que gosta da brincadeira.

“Não me peça para cantar, prefiro não cantar! É um coro que me deixa muito feliz. Quando fomos à China, em Shanghai, até os chineses cantaram isso! É algo muito especial”, explicou.

O gol de Padoin representou uma dose dupla de alegria para os torcedores da Juventus. Além de ser marcado por um jogador querido pelos fãs, deu números finais à uma vitória que deixou a Velha Senhora com 79 pontos. Faltando cinco rodadas para o final do Campeonato Italiano, a equipe aumentou para nove pontos a vantagem sobre o vice-líder Napoli.

Não à toa, o bianconero “melhor que Cristiano Ronaldo” motivou montagens na internet que o colocavam como vencedor da Bola de Ouro.

Já para o meia, o momento marcou um reencontro com o fundo das redes. Foi apenas o seu terceiro gol em 87 jogos pela Juventus e primeiro desde maio de 2014, na vitória de 1 a 0 sobre a Atalanta.

Foi justamente na equipe de Bérgamo que Padoin se destacou e chamou a atenção dos dirigentes de Turim. Contratado em janeiro de 2012, participou da conquista de quatro títulos italianos, uma Copa da Itália e três Supercopas.

Durante todo esse tempo, o meia não passou da condição de substituto de protagonistas do time, como Andrea Pirlo, Arturo Vidal e Paul Pogba. No entanto, se destacou pela entrega em campo, por aceitar jogar improvisado nas laterais e, principalmente, ter consciência de que foi contratado para compor o elenco. Na atual temporada, foi escalado como titular em seis partidas, entrou cinco vezes no segundo tempo e não saiu do banco em 20 jogos.

Consciente de suas limitações e disposto a atuar fora de sua posição, Padoin ganhou moral com a torcida e os técnicos Antonio Conte e Massimiliano Allegri, e se aproxima da conquista de seu quinto Scudetto. Algo que craques como Alessandro Nesta, Fabio Cannavaro e Roberto Baggio não conseguiram.