Sob gritos de “Fora Dilma”, Djokovic bate Nishikori e conquista Miami

Djokovic
Crédito foto: Divulgação/ Facebook oficial Australian Open

Rotina para Novak Djokovic: um novo domingo, um novo título. Mantendo sua soberania no tênis mundial, o sérvio Novak Djokovic bateu hoje o japonês Kei Nishikori na final do Masters 1000 de Miami, por dois sets a zero, com parciais de 6/3 6/3.

LEIA MAIS:

Palmeiras pode ajudar Inter a solucionar o problema do ataque; entenda

Técnico do Equador opina sobre futuro de Bolaños no Grêmio

Em 2016, o tenista número 1 do mundo tem 100% de aproveitamento nos torneios da série Masters 1000, já que também venceu o Masters de Indian Wells, sobre o canadense Milos Raonic, na segunda quinzena de março. Djokovic também sagrou-se campeão do único Grand Slam disputado na temporada. Ele venceu o Australian Open em janeiro.

Mas, assim como durante praticamente todo o torneio em Miami, os brasileiros roubaram a cena e se manifestaram durante as partidas. Os gritos de “Fora Dilma” foram ouvidos na maioria dos confrontos e atrapalharam o andamento dos jogos. Antes do match point do jogo final, um torcedor brasileiro manifestou-se dessa forma contra a presidente da República e retardou o início da partida. Os árbitros de cadeira tiveram dificuldades em conter as manifestações.

Alheio ao momento político do Brasil e incapaz de se desconcentrar por nada, Djokovic segue fazendo história no tênis contemporâneo. Com o título em Miami, ele chegou ao seu 28° troféu de torneios da série Masters 1000 e ultrapassou Rafael Nadal, que se mantém com 27 e era o maior detentor até hoje. Além disso, o sérvio chegou ao 63° título na carreira e igualou a marca do lendário norte-americano André Agassi em Miami, com seis títulos no torneio.

 

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.