Aos 35 anos, Lugano diz que ficou em dúvida se deveria voltar ao São Paulo

Lugano
Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Por dez anos, a torcida pediu, implorou, suplicou para Diego Lugano voltar ao São Paulo. Eis que em 2016, o uruguaio retornou ao Tricolor, mas com 35 anos o jogador ficou com dúvidas se deveria vestir novamente a camisa do clube do Morumbi, e ele mesmo revelou isso em entrevista ao ‘Aqui com Benja’, da Fox Sports.

LEIA MAIS
LUGANO REVELA QUE TÉCNICO DO ATLÉTICO-MG O ‘AJUDOU’ À CHEGAR NO SÃO PAULO
LUGANO REVELA FRASE DE TORCEDORES DO FENERBAHÇE QUE SÃO-PAULINOS NÃO VÃO GOSTAR

TIME COM MAIS GOLS, MAIOR LADRÃO DE BOLAS E GOLEADOR DA LIBERTADORES. ESSE É O SÃO PAULO

Já veterano, Lugano sabe que não tem mais aquela velocidade que ficou conhecido pelo são-paulino, característica que fez o jogador ser lembrado pela raça em campo. Sendo assim, o camisa 5 afirmou que não tinha uma definição concreta se voltaria a vestir a camisa do São Paulo.

“Eu tinha muitas dúvidas se deveria voltar ao São Paulo, porque obviamente com 35 anos o corpo começa a pesar, aparecer contusões que vai deixando você incapaz de atingir o máximo nível. Então eu tinha medo de falar… pô aquela imagem é difícil repetir”, revelou Lugano. “Mas no dia da despedida do Rogério entendi que para São Paulo, para a torcida eu significava, talvez, um pouco mais que um zagueiro que tira uma bola ou faz um gol de cabeça. Então assumi essa responsabilidade com muito carinho e gratidão”, completou.

Lugano tem 15 anos de carreira profissional e nenhum outro momento foi tão especial quanto a despedida de Rogério Ceni. Não apenas por estar em um evento do maior ídolo são-paulino, mas por ter um foco especial em sua entrada em campo com mais de 60 mil torcedores gritando seu nome.

“Esse dia, sem dúvidas, foi o mais marcante de minha vida, da minha carreira. Porque aí nesse momento você percebe o que você conquistou, porque o futebol é muito surreal, é muito efímero. E nesse momento, depois de 10 anos, você ver o que conquistou com a torcida do clube mais vencedor do país, do mundo. Ou seja, no São Paulo passou jogadores mais vencedores que eu e com certeza mais talentosos, mas receber esse carinho foi imponente, mas principalmente vindo do Rogério Ceni, que é o jogador mais importante na história do São Paulo”, contou. “Ver que eu tenho esse respeito, essa admiração e essa confiança para ele vir me falar que o São Paulo tá em um momento difícil. Ele falou ‘parei de jogar bola porque já tenho 43 anos e confio em você para tentar continuar transmitindo a essência do que é o São Paulo”, concluiu.



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.