Muricy explica as poucas oportunidades para os ‘garotos’ campeões da Copinha

Foto - Gilvan de Souza/Flamengo

O Flamengo iniciou a temporada conquistando a Copa São Paulo de Futebol Junior, maior competição da categoria. Do time campeão o goleiro Thiago, o zagueiro Léo Duarte, o volante Ronaldo, o meia Lucas Paquetá e o atacante Felipe Vizeu subiram para o profissional e integram o elenco comandado pelo técnico Muricy Ramalho.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: Rodrigo Caetano confirma consulta do Grêmio e de mais dois clubes por Wallace
Vice de futebol do Grêmio fala sobre interesse no zagueiro Wallace do Flamengo
Mercado da bola: Diretor do Coritiba admite negociação com o Flamengo por Juninho
Mercado da bola: Muricy confirma que aprovou o nome do zagueiro Cléber, do Hamburgo
Guerrero descarta sair do Flamengo e revela objetivo de ganhar tudo pelo clube 
Elias teria contado a amigos que não fica no Corinthians
Confira 5 jogadores que podem sair do Flamengo antes do Brasileirão
Flamengo avança em negociações e tem semana decisiva para contratação de zagueiros
Rodrigo Caetano fala da possibilidade do Flamengo vender Adryan para o Nantes
Mercado da bola 2016: Flamengo tem a concorrência do Boca Jr por Polenta
Empresário não garante permanência de Sheik no Flamengo
Diretor do Flamengo comenta de interesse do São Paulo em Paulo Victor

 

Quem teve oportunidade e passou a ser titular após afastamento do zagueiro Wallace, que deve trocar o Flamengo pelo Grêmio (veja acessando o link) foi Léo Duarte. O capitão do time na conquista da Copa São Paulo foi muito bem na estréia do Brasileirão diante do Sport.

Em entrevista para o site Globoesporte.com, o treinador falou sobre a pouca utilização dos garotos que foram muito bem na Copinha.

– As pessoas que falam de futebol só veem os que chegam. Mas em relação aos que ficam no caminho é uma barbaridade muito grande. Sabe por quê?  Porque às vezes são lançados por pressão, por dirigente que faz pressão em treinador, por vocês que fazem pressão em treinador. Eu só lanço o cara na hora certa e sabendo se ele vai dar certo. Por quê? Porque isso aqui custa, cara, é um patrimônio do clube. Você não pode botar um moleque desse numa situação que a gente estava. Eles vão começar a entrar quando o time estiver bem. Eles já estão aí com a gente. Tem que ter um estágio, é igual ao treinador que sai de jogador para virar técnico. A maioria não dá certo. Jogador tem que aprender a conviver, já não é amador. Amador é totalmente diferente do profissional. Agora vai ser público, vai ser criticado. Isso gera pressão, então tem que ter calma. Na hora certa eles vão jogar, mas ainda estão passando por um estágio de conhecimento ainda do que é (o futebol profissional).

Sobre o setor defensivo, Muricy disse que o problema não são os jogadores da defesa, mas a característica ofensiva do time.

– É que as características dos nossos jogadores são de um time muito ofensivo, joga muito aberto e aí defende mal. A verdade é essa. Não é a defesa que não é boa, é o time que não defende bem.  Mesmo assim não vamos perder esse pensamento de agredir, porque o Flamengo tem esse pensamento. Isso é a história do Flamengo.

Após a vitória contra o Sport por 1 a 0, na primeira rodada do Brasileirão, o treinador rubro-negro contou como foi o episódio do afastamento de Wallace.

– Foi surpresa para nós. Nos preparamos com ele treinando, chegou momento perto do jantar ele veio falar, explicando que estava com muita pressão, em cima dele e da família também. Disse que não tinha condição de jogar. Não adianta insistir com jogador que não está com cabeça para jogar. Não procuro convencer. Chamei o Rodrigo Caetano para avisar a diretoria. Foi o que aconteceu. A vantagem é que o Léo Duarte participou. É um garoto que temos muita esperança, mas tem que ter cuidado, entrar pouco a pouco. Ontem mesmo mandei chamá-lo no quarto, expliquei que ele ia jogar, que a vida é assim, oferece oportunidade e tem que aproveitar. Ele tem foco, mostra isso nos treinos. Teve boa atuação, foi seguro, jogador muito técnico. Ficamos felizes pior ele.

O comandante do Fla falou ainda do que achou da estréia do menino Léo Duarte.

– Foi bem pela dificuldade. Estava concentrado de última hora. Muita tranquilidade para o que faz no treinamento. Não tinha receio, foi muito seguro. Conversei com ele para orientar o menino. Experiência muito grande. Foi muito bem.

Por fim, Muricy falou sobre a necessidade de zagueiros e confirmou que aprovou o nome do zagueiro Cléber, do Hamburgo, da Alemanha.

Em relação a afastamento de Wallace, Rodrigo Caetano confirmou ainda a consulta do Grêmio e de mais dois clubes interessados em contratar o zagueiro do Flamengo (veja a acessando o link).

Se Wallace está de saída, outros zagueiros devem pintar na Gávea. O Diretor do Coritiba admitiu negociação com o Flamengo por Juninho (veja acessando o link). Além disso, Muricy confirmou que aprovou o nome do zagueiro Cléber, do Hamburgo.

Durante essa semana, o Flamengo avançou na negociação para ter zagueiro o Cleber (veja os detalhes acessando o link), mas a saída do diretor de futebol do clube alemão, travou a negociação. O rubro-negro insiste no negócio.

 

Veja também:

18 jogadores que ficam sem contrato no 2º semestre de 2016 e podem ser bons reforços

25 jogadores que estão na Europa e poderiam atuar no Brasileirão

Confira uma equipe escalada, de 1 à 11 apenas com reforços “disponíveis” para seu time no Brasileirão

Foto: Divulgação

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @allanmadi