Opinião: Rosberg vence GP da Rússia, e a F1 segue sem surpresas

Crédito da foto: Facebook Oficial da Mercedes

Tem sido um inicio de temporada incrível para a equipe Mercedes, e principalmente para Nico Rosberg: o piloto alemão venceu as quatro provas realizadas este ano, e com as três vitórias nas últimas provas da temporada passada, conseguiu se igualar a marca de Michael Schumacher e Alberto Ascari, de sete vitórias seguidas na Fórmula 1, e de quebra, ampliou sua vantagem para o vice líder e atual campeão, Lewis Hamilton.

LEIA MAIS:
F1: ROSBERG VENCE DE PONTA A PONTA O GP DA RÚSSIA
OPINIÃO: FINALMENTE CHEGOU A HORA E A VEZ DE NICO ROSBERG?

Ao contrário do que foi o último GP, realizado na China, e que teve um alto número de ultrapassagens, o Grande Prêmio da Rússia foi definido nas primeiras voltas. Na largada, Rosberg manteve a ponta e sumiu da vista dos demais pilotos. Hamilton conseguiu cinco posições, e da décima posição foi para a quinta. Bottas perdeu a segunda posição para Raikkonen, enquanto Massa conseguiu a quarta posição. O destaque da largada ficou para Kvyat, que tocou duas vezes em Vettel e tirou o piloto da Ferrari da prova, causando a entrada do Safety Car.

Na relargada, novamente Rosberg se mandou, deixando claro a diferença entre o carro da Mercedes e os carros das demais equipes. Bottas recuperou o segundo lugar ao ultrapassar Raikkonen, e Hamilton por sua vez, ultrapassou Felipe Massa. Aliás, a impressão que deu foi que Massa ficaria muito para trás com a aproximação de Verstappen, mas o holandês não conseguiu ameaçar o brasileiro. E a expectativa em uma possível briga pela segunda posição entre Bottas, Raikkonen e Hamilton, ficou apenas na expectativa mesmo, principalmente depois que Hamilton ultrapassou Haikkonen, mas não conseguia se aproximar o bastante para ultrapassar Bottas, e muito menos conseguia se distanciar do piloto da Ferrari.

Foi então na primeira parada dos pilotos nos boxes que tudo se resolveu: Bottas foi o primeiro a parar, e em seguida, foi a vez de Hamilton. No retorno a pista, o piloto da Mercedes voltou atras do carro da Williams, mas ainda assim, conseguiu a ultrapassagem em seguida. A diferença entre os carros novamente prevaleceu: assim que fez a ultrapassagem em Bottas, Hamilton sumiu da vista do finlandês, e foi em busca de seu grande adversário, Rosberg, que neste momento já estava 13 segundos na frente. Bottas não conseguiu se manter em terceiro e perdeu a posição para Raikkonen.

A partir daí, não houve mudanças significativas na prova. A prova ficou tediosa, e o único fato relevante foi a Toro Rosso de Max Verstappen ter abandonado a corrida e ter deixado a sexta posição para Fernando Alonso, com uma McLaren que segue sendo apenas uma equipe figurante nesta temporada da Fórmula 1, algo inimaginável para uma equipe que sempre lutou pelas primeiras posições.

Na ponta, Rosberg guiava soberano. Hamilton até tentou ameaçar fazendo algumas voltas mais rápidas na prova, e chegou até a baixar a diferença dos 13 segundos para 8, mas Rosberg logo tratou de dar a resposta e no fim, ficou com a volta mais rápida da prova. Alegria para o alemão, que conseguiu sua sétima vitória seguida na Fórmula 1, se igualando a Schumacher e Ascari. O recordista é Vettel, que conseguiu nove vitórias consecutivas na temporada de 2013 (muitos consideram que Ascari também tenha conseguido nove vitórias consecutivas, e não sete).

Completou o pódio do GP da Rússia o finlandês Raikkonen, com a Ferrari. Bottas foi o quarto (seu melhor desempenho nesta temporada) e Massa ficou em quinto. Alonso foi o sexto e marcou seus  primeiros pontos nesta temporada, seguido por Magnussen da Renault em sétimo, Grosjean com a Haas em oitavo (a grande surpresa da temporada continua marcando seus pontos), Sérgio Perez com a Force Índia em nono e fechando a pontuação, Button com a McLaren.

Na classificação do campeonato, Rosberg chegou aos 100 pontos (quatro vitórias em quatro GPs), seguido por Hamilton com 57 pontos e Raikkonen com 43. Felipe Massa é o sexto com 32 pontos, onze a mais que seu companheiro de equipe, Bottas. O brasileiro Felipe Nasr segue sem pontuar nesta temporada. Nos construtores, a Mercedes sobra na liderança com 157 pontos. A equipe alemã tem mais que o dobro de pontos da segunda colocada, Ferrari, que tem 76. Na briga pelo terceiro lugar no campeonato de construtores, a Williams conseguiu aproveitar o bom fim de semana que teve na Rússia e diminuiu a diferença para a Red Bull, que ainda é a terceira com 57 pontos, mas agora vê a rival se aproximar com 51 pontos.

O próximo GP será dia 15 de maio na Catalunha, na Espanha. Análises finais:

Em sétima marcha: a Mercedes com Rosberg, que esta sobrando neste inicio de temporada. E apesar dos problemas que teve nas duas últimas provas, Hamilton também está se esforçando e a cada Grande Prêmio, fica mais claro a diferença dos carros prateados da equipe alemã e os demais carros das outras equipes. Talvez em circuitos de rua, como Mônaco e Singapura, essa diferença possa diminuir, mas fica difícil imaginar uma corrida desta temporada em que o vencedor não seja um piloto da Mercedes. Quem também mandou bem neste fim de semana foi a Williams, com seus dois pilotos em quarto e quinto lugar. Bottas e Massa foram bem, e a equipe pôde se aproximar da Red Bull na briga pelo terceiro lugar nos construtores. A estreante equipe Haas segue de parabéns, pois conseguiu novamente pontuar com Grosjean, superando todas as expectativas.

Em marcha lenta: a Sauber, que viu Nasr sofrer para evitar uma ultrapassagem de um carro da Manor, considerada por quase todos como o pior carro da Fórmula 1 (se considerarmos que é um carro desta categoria). A Sauber está tendo a sua pior temporada, e será uma grande surpresa se conseguir pontuar em alguma prova este ano, aliás, ao lado da Manor, são as únicas duas equipes que não pontuaram até o momento, e dificilmente este quadro sofrerá alterações. E quem está em baixa também é Kvyat, que correndo em casa, conseguiu tirar Sebastian Vettel da prova e foi punido. Aliás, essa não foi a primeira vez este ano que Kvyat e Vettel se tocaram e que o piloto da Ferrari levou a pior. Tanto é, que Vettel fez questão de conversar com Christian Horner, chefe da Red Bull sobre o que ocorreu na pista, e ninguém tem dúvidas que Kvyat vai ouvir muito sobre isso nos paddocks.

Classificação da Fórmula 1 – Mundial de Pilotos – Os dez primeiros

1º Rosberg – Mercedes____________________100 pontos

2º Hamilton – Mercedes_____________________57 pontos

3º Raikkonen – Ferrari______________________43 pontos

4º Ricciardo – Red Bull______________________36 pontos

5º Vettel – Ferrari__________________________33 pontos

6º Massa – Williams________________________32 pontos

7º Grosjean – Haas________________________22 pontos

8º Kvyat – Red Bull_________________________21 pontos

9º Bottas – Williams________________________19 pontos

10º Verstappen – Toro Rosso_________________13 pontos

 

Classificação da Fórmula 1 – Mundial de Construtores

1º Mercedes ____________________________157 pontos

2º Ferrari _______________________________76 pontos

3º Red Bull ______________________________57 pontos

4º Williams ______________________________51 pontos

5º Haas ________________________________22 pontos

6º Toro Rosso ___________________________17 pontos

7º McLaren _____________________________10 pontos

8º Force India ___________________________08 pontos

9º Renault ______________________________06 pontos

10º Manor ______________________________00 pontos

11º Sauber _____________________________ 00 pontos