Eles foram rebaixados com o Grêmio em 2004, mas deram a volta por cima

Arte - Torcedores.com / Imagens de divulgação dos clubes.

O ano de 2004 representou um pesadelo para a vida do Grêmio. Os erros da gestão de futebol se somaram aos equívocos de dentro do campo e culminaram no segundo rebaixamento da história do clube. Mas para três jogadores daquele grupo o descenso com o tricolor foi apenas um ponto fora da curva de sólidas carreiras. Michel Bastos, Felipe Melo e Anderson se mantêm em atividade e tiveram, inclusive, passagens pela seleção após a queda gremista.

LEIA MAIS:

OLHO NA LIDERANÇA: VEJA O QUE PRECISA ACONTECER PARA O GRÊMIO SER 1° NESSA RODADA

WALLACE REVELA CONVERSA COM MURICY E FALA SOBRE A SAÍDA DO FLAMENGO

MICHEL BASTOS

A força física, a potência no chute e a imposição que Michel Bastos veio a demonstrar nos anos seguintes não foram vistas no Grêmio. Ele teve uma passagem discreta pelo clube em 2004, quando atuou em alguns jogos na primeira parte da péssima campanha do clube no Brasileirão. Após passar pelo tricolor, Michel se destacou no Figueirense em 2005 e foi para o futebol francês. As grandes campanhas no Lille e no Lyon o fizeram ir à Copa do Mundo da África do Sul em 2010. Depois de passar por Schalke, Al-Ain e Roma, ele foi contratado pelo São Paulo, onde segue como um dos principais jogadores.

Michel Bastos, meia do São Paulo
Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

 

FELIPE MELO

Revelado pelo Flamengo entre 2001 e 2002 e campeão brasileiro pelo Cruzeiro em 2003, o volante Felipe Melo foi outro a viver de perto o calvário gremista em 2004. Mas, em 2005, iniciou uma boa sequência no futebol espanhol: Mallorca, Racing Santander e Almería. Em 2008, chamou a atenção da Fiorentina e passou a ter boas atuações na Itália, a ponto de ser convocado por Dunga para a Copa de 2010, assim como Michel Bastos. Depois de passar pela Juventus e pelo Galatasaray, Melo segue firme na Europa jogando na Inter de Milão.

Felipe Melo
Reprodução/Facebook

 

ANDERSON

Mesmo em um time que batia cabeça em campo, despontava em 2004 no Grêmio uma joia rara que seria decisiva no ano seguinte. Anderson dava os seus primeiros passos no tricolor com apenas 16 anos durante a campanha da queda. Um ano depois, fez o gol histórico da Batalha dos Aflitos e recolocou o time na Série A. De 2006 a 2007 defendeu o Porto, mas teve maior presença mesmo no gigante Manchester United, clube pelo qual fez quase 200 partidas entre 2008 e 2015. Ainda jogou na Fiorentina em 2014 e atualmente defende o Internacional. Também acumula passagens pela Seleção Brasileira.

Reprodução Twitter
Reprodução Twitter


Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.