Em entrevista, vice do Rosário Central detona postura do Flamengo sobre Donatti

Getty Images

A novela envolvendo o zagueiro Alejandro Donatti parece estar longe de ter um final. Depois que o defensor decidiu abandonar a concentração do time argentino e manifestar seu interesse em se transferir para o Flamengo, a diretoria do Rosário Central resolveu protestar contra o clube brasileiro e rechaçou seu incômodo com a postura dos dirigentes cariocas sobre a negociação.

LEIA MAIS:

FLAMENGO TEM SEQUÊNCIA DURA NO BRASILEIRÃO; VEJA OS JOGOS

Em entrevista ao Fox Sports, o vice-presidente do Rosário, Ricardo Carloni, disse que o Flamengo está sendo “antiético” e promete, caso necessário, levar o caso para o FIFA.

– Eles estão sendo antiéticos. Nós só vamos liberar o Donatti pelo valor total. Não vamos fazer desconto. Isso não se faz. Nós podemos acioná-los na Fifa e faremos isso também contra o Donatti caso ele se transfira – criticou Carloni.

Vale lembrar que o Rubro Negro oferece 4,5 milhões (1,3 milhão de dólares) para contratar o jogador de 29 anos. No entanto, a equipe argentina bate o pé e só aceita liberá-lo mediante ao pagamento fiel de 2,5 milhões de dólares (R$ 8,3 milhões).

Mesmo com as vindas de Réver e Rafael Váz para o setor que era bastante criticado pela torcida, a cúpula flamenguista deseja ainda trazer outro nome para esta posição.

Recentemente, a diretoria dos Canallas emitiu uma nota oficial em seu site afirmando que todos os atletas que tenham contato vigente são “intransferíveis”, claro, uma indireta ao caso Donatti.

Confira o comunicado na íntegra:

A Comissão Diretiva do Club Atlético Rosario Central esclarece a todos os nossos sócios, torcedores e à opinião pública que todos os atuais atletas do plantel profissional se encontram com contratos vigentes e são declarados intransferíveis por razões desportivas.

Qualquer ação de outros clubes, jogadores, e/ou representantes que façam jus à mecanismos desleais com o objetivo de procurar a desvinculação de algum de nossos profissionais será considerada ofensiva aos interesses da instituição. A ética deve ser primária sobre qualquer especulação.

Como consequência, vamos usar todas as ferramentas formais e legais para impedir a opressão de nosso patrimônio.