Opinião: Não torço pela Seleção Brasileira, mas sim por Micale

seleção olímpica
Rafael Ribeiro / CBF

Esse cara merece mais do que nunca conquistar o ouro nas Olimpíadas do Rio 2016 com a Seleção Brasileira. Micale mostrou ser uma personalidade carismática e a cara do povo brasileiro, diferentemente de Dunga. Além disso, foi perceptível o enorme desejo de vencer o torneio e retomar os dias de glórias da seleção.

LEIA MAIS:
COM PRASS E GABRIEL JESUS CONVOCADOS, SAIBA COMO A OLIMPÍADA ATRAPALHARÁ O PALMEIRAS
VEJA QUAIS FORAM AS PRINCIPAIS AUSÊNCIAS DA CONVOCAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA OLÍMPICA
CONVOCADOS, WILLIAM E DOURADO DESFALCAM INTER; VEJA

Antes de Tite, não me recordo qual foi o último técnico que falou com tanta prioridade e sinceridade junto a imprensa. Para cada pergunta, Micale mostrou firmeza nas respostas e claro, muito conhecimento. O treinador me conquistou pela sua personalidade humilde e principalmente pelos nomes dos convocados. Fernando Prass, por exemplo, foi uma cartada de mestre do técnico. Há tempos, o goleiro vem se destacando com a camisa do Palmeiras e nunca havia sido convocado para seleção.

A Seleção Brasileira precisava de alguém com o mesmo espírito que o técnico Micale tem. Gente do povo. Seja na seleção olímpica ou na seleção principal. Com certeza, o brasileiro pode esperar um bom trabalho deste cara, assim como de Tite que veio do time do povo para o comando da seleção principal.

Como sabemos, Micale quase chegou a ficar de fora do comando técnico da seleção olímpica pela falta de humildade de Dunga e cartolas da CBF. A vinda de Tite para seleção principal trouxe respeito e, com isso, ele teve a humildade que faltou de Dunga ao retirar o comando olímpico de Micale – justiça demorou, mas apareceu – fato é que ele volta ao comando ainda mais fortalecido e sem dúvidas com mais vontade de vencer e conquistar o tão sonhado ouro olímpico para o Brasil.

Não existe uma fórmula mágica para o sucesso, mas a vontade, sonho, garra e esperança são fundamentais para retomarmos o título de país do futebol. A caminhada é longa, mas por incrível que pareça, pela primeira vez, pós era de craques vejo uma esperança de melhora.

Dos 18 convocados, 12 são jogadores que atuam no Brasil, ambos estão vivendo momentos bons em seus clubes e mereciam a convocação. Sempre fui um crítico por convocarem apenas as ‘’estrelinhas’’ do futebol internacional, afinal de contas, nós temos bons jogadores atuando no Brasil e que com certeza podem honrar muito mais a camisa da seleção do que esses jogadores que atuam fora do Brasil. Além disso, a torcida brasileira está cansada de jogadores que se acham mais do que são. A culpa disso, pode ter várias vertentes, uma delas a mídia que rotula antecipadamente jogadores como craques antes mesmo de provarem que são.

Craque não é aquele apenas dentro de campo, mas também fora dele e estamos deixando a desejar nesse requisito. A prova mais recente disso foi a declaração polêmica de Neymar na eliminação precoce na Copa América deste ano. Além disso, a Seleção Brasileira sempre foi uma espécie de vitrine para o mercado internacional. Hoje, infelizmente para muitos é apenas mais um jogo e que não serve para nada, afinal de contas, ganho meus milhões na Europa.

Seleção não é pelada ou hobby, pelo menos não deveria ser. Nós torcedores e amantes de futebol não vemos mais aquele amor e vontade de vestir a amerelinha para representar a nossa nação, o povo brasileiro.  Se falou tanto em carregar a tocha, mas quem acendeu a tocha foi Micale.

É bem provável que os jogadores que atuam aqui no Brasil irão honrar e respeitar as cores da seleção. Agora, se vai dar certo ou não eu não sei e nem posso afirmar, como sabemos, no futebol tudo pode acontecer, mas uma coisa posso dizer: Micale ganhou o meu respeito e torço pelo seu sucesso como profissional, como pessoa já provou ser um sucesso. Vivemos esperando dias melhores, já dizia a tradicional música da banda Jota Quest. Dias de paz, dias a mais a mais, dias que não deixaremos para trás.



Caique Cobra é um jovem recém-formado em jornalismo pela FIAM FAAM que almeja atuar em uma grande empresa voltada ao mundo esportivo. Ele não esconde sua paixão em produzir conteúdo, principalmente, em seu blog pessoal. Seus textos são embasados por dentro de: análises, críticas e opiniões com um olhar meramente desmistificado.