Argentina perde terceira final seguida; relembre

Crédito da Foto: Divulgação / Associação de Futebol Argentino - AFA

A derrota nos pênaltis para o Chile aumentou o jejum da seleção argentina, que chegou à terceira final consecutiva sem títulos. Além disso, foram 360 minutos sem balançar a rede.

LEIA MAIS:
Goleiro argentino Romero comenta suposto adeus de Messi
Messi isola pênalti e chora copiosamente em campo; veja o lance
Árbitro brasileiro da final da Copa América deu 60 cartões nos últimos dez jogos

A saga da Argentina começou na Copa do Mundo de 2014, quando chegou ao Brasil como uma das favoritas e Alejandro Sabella no comando técnico. Na decisão, Mario Gotze saiu do banco da Alemanha para abrir o placar no segundo tempo da prorrogação e dar o tetracampeonato à seleção de Joachim Löw.

A segunda tentativa da Argentina aconteceu na Copa América de 2015. Jogando no Estádio Nacional de Santiago, a seleção chilena do técnico argentino Jorge Sampaoli conquistou o título inédito sobre o compatriota Gerardo “Tata” Martino.

Na ocasião, após mais um empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, apenas Lionel Messi converteu o pênalti para a Argentina. Higuaín e Banega perderam, então Alexis Sánchez ousou ao dar uma “cavadinha” que venceu o goleiro Romero.

Em 2016 o drama argentino se repetiu, com mais um 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. A seleção de Tata Martino manteve a invencibilidade na Copa América Centenário, mas Messi bateu para fora e Biglia parou na defesa de Claudio Bravo. Mais eficiente, o Chile perdeu apenas uma cobrança, com Arturo Vidal, e levou o bicampeonato.

Campeão da Copa América, o Chile disputa a Copa das Confederações de 2017 ao lado da Rússia. A próxima competição oficial da Argentina é a Copa do Mundo de 2018. Até lá, o jejum de conquistas aumenta: 25 anos desde a Copa América de 1993.

(Crédito da Foto: Divulgação / Associação de Futebol Argentino – AFA)