Após vitória, Dorival lamenta possíveis perdas no elenco: “Seria impossível repor”

Santos 3 x 1 Ponte Preta - Dorival Júnior
Foto: Ivan Storti/ Flickr oficial do Santos FC

Neste sábado (16), o Santos, de Dorival Júnior, venceu a Ponte Preta por 3 a 1 na Vila Belmiro, em jogo válido pela 15ª rodada do Brasileirão, e assegurou a quarta colocação na tabela, com 26 pontos. Para a sequência da competição, o treinador santista torce para que o elenco não seja desmontado.

LEIA MAIS:
SANTOS 3 X 1 PONTE PRETA: ASSISTA AOS GOLS DA PARTIDA
ANÁLISE: ENTENDA PORQUE O SANTOS NÃO QUERIA, MAS ACABOU RENOVANDO COM VALENCIA
EX-SANTOS COMETE GAFE INCRÍVEL AO SER APRESENTADO NO VITÓRIA

Olheiros de Barcelona e Borussia Dortmund estiveram presentes no estádio para observar, principalmente, Lucas Lima e Gabriel. Para o comandante alvinegro, o time não teria condições de se reformular ainda neste ano se perdesse ambos os atletas. “Seria impossível repor”, resumiu em coletiva pós-jogo.

Dorival lamenta a possibilidade de ter peças importantes do elenco retiradas no meio de um campeonato como o Brasileirão. “O Santos já não luta por uma competição nacional há um tempo. Vamos quebrar um elenco novamente? Qual a vantagem?”, ponderou, citando a inviabilidade da permanência dos jogadores caso algum clube se proponha a depositar o valor da multa rescisória.

Sequência sem trio olímpico

O confronto contra a Ponte Preta foi o último de Zeca, Thiago Maia e Gabriel antes de se apresentarem à seleção olímpica, que busca a medalha de ouro no Rio 2016. Com o retorno de Ricardo Oliveira, foi a única partida em que Dorival teve o time considerado ideal à disposição.

“Vocês viram a equipe toda junta com todas as opções. A produção que o Santos teve foi muito forte. Temos grandes opções, agora sairão três jogadores. Não dá para corrigir rapidamente”, disse o técnico do Peixe. O trio pode desfalcar o time da Baixada em até seis jogos do Brasileirão e dois da Copa do Brasil.

Quanto ao desempenho santista no período, Dorival diz que, em caso de derrotas, a culpa pode sempre cair sobre os treinadores. “Não tem como trabalhar em paz. Daqui a duas derrotas, o problema é o Dorival, Tite, Cuca, Muricy. O problema são os treinadores. Nunca vão lembrar que perdemos jogadores, vão se lembrar que temos três derrotas”, afirmou.



Jornalista formado pelo Mackenzie (SP), pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Multimídias e pós-graduando em Assessoria de Comunicação e Mídias Sociais pela Anhembi Morumbi (SP). Apaixonado por esportes desde 1994.