Casagrande desabafa sobre Leão “Nós somos completamente diferentes”

Reprodução/ESPN - CASAGRANDE - 1982–1983/1994

Décadas após as divergências de Casagrande e Leão virem a tona, nos anos 80, tempo da Democracia Corintiana, Walter Casagrande decide falar sobre sua relação com Emerson Leão.

Leia mais:

CASAGRANDE CONTA QUAL FOI O MAIOR ERRO DA DEMOCRACIA CORINTIANA

CASAGRANDE CONTOU EM ENTREVISTA QUAL O ÚNICO JOGO QUE TORCEU PARA O TIMÃO

Casagrande e Sócrates eram os principais líderes da Democracia Corintiana. O movimento que surgiu em meio ao regime militar foi mais simbólico do que efetivo. Os jogadores do time do Parque São Jorge interferiam nas ações que aconteciam dentro do clube, como contratações ou até decisões administrativas, por exemplo. Leão, que foi goleiro time nesse meio tempo, não gostava de como as decisões eram tomadas.

Neste semana em entrevista ao canal Fox Sports, Leão disse que a Democracia Corintiana não foi exatamente uma democracia, “Que democracia? Não era (democrático). Isso aí é passado, tão bonito, deixa pra lá. Eu incomodei demais (por isso saiu). A democracia era muito pequena, né? Tinha dono, né? Eu cheguei e procurei me adaptar ao sistema jogando futebol. A torcida gostou, eu gostei, passei um ano maravilhoso no Corinthians.” , Leão teve um curto período em 83.

No lançamento de seu livro “Sócrates & Casagrande – Uma História de Amor”, Casão falou ao UOL sobre sua relação com o Leão:

“Nós somos completamente diferentes, até hoje nós somos diferentes, mas hoje eu sou amigo do Leão, faz muito tempo que eu sou amigo do Leão. O Leão foi uma das pessoas que me procurou para saber como eu estava quando eu estava me tratando com drogas. Quando eu tive um problema de diverticulite, ele foi no hospital me visitar. Nós já saímos para conversar algumas vezes, mas nós não somos tão amigos porque nós somos diferentes, mas a gente se respeita muito, a gente se aceita” disse ele que não se cansa de fazer elogios ao treinador.

Casagrande ainda admitiu que pode não ter sido muito democrático com o ex-goleiro:

“Lá atrás, na realidade, na época da Democracia Corintiana talvez o Leão tenha sido mais democrático que eu até, porque ele me aceitou e eu não aceitava o Leão. Então naquele momento… mesmo ele achando, e ele acha até hoje, que ele não é democrático, ele foi democrático porque ele me aceitava. E eu fui menos porque eu não aceitei, e hoje eu tenho muita consideração pelo Leão”, disse Casagrande

Finalizando, Casão ainda finalizou dizendo que Leão foi um dos melhores goleiros que ele já viu em prática: “Foi um dos melhores goleiros ou o maior goleiro brasileiro que eu já vi. Sempre que me perguntam para fazer uma seleção brasileira de todos os tempos, o goleiro é sempre o Leão”.

Reprodução
Reprodução

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."