Conheça os países de medalhas ‘filhas únicas’ nos Jogos Olímpicos

Brasil
Divulgação/Site Oficial dos Jogos Olímpicos Rio-2016

Desde os primeiros Jogos Olímpicos, em 1896, até a edição de 2012, em Londres, 140 países já foram medalhados nas competições válidas pelo programa oficial olímpico.  Muitas nações concentram boa parte das comendas e há outros que ainda não as conquistaram, mas há aqueles que só souberam uma única vez o gostinho de subir ao pódio na história das Olimpíadas.

LEIA MAIS

À la Messi? Calleri isola pênalti na seleção da Argentina. Assista

Cuca conhece o tiro com arco do Palmeiras e mostra boa pontaria

RIO 2016: Primeira edição com espaço para receber denúncias de abuso sexual

Ao todo, 26 países só conquistaram uma medalha em toda a história dos Jogos, seja ela de ouro, de prata ou bronze. No Torcedores.com, você vai saber a história destes países e como estas ‘filhas únicas’ foram conquistadas.

(A ordem dos países é alfabética)

ANTILHAS HOLANDESAS

Hoje, não existem mais (eram território holandês, hoje dividido entre várias ilhas, a principal delas Curaçao). Mas, enquanto existiram, levaram para casa uma medalha de prata, com Jan Boersma, no iatismo (Divisão II Masculina), conquistada em Seul-1988.

BAHREIN

O país tem corrida de Fórmula 1, mas ainda não tem tradição nos Jogos Olímpicos. Sua única medalha foi conquistada em 2012, na prova dos 1500m femininos, com Maryam Yusuf Jamal. Um bronze.

BARBADOS

Nação caribenha, que conquistou sua única medalha em 11 participações olímpicas na especialidade da região, o atletismo. O dono da façanha para a ilha é Obadele Thompson, nos 100m rasos em Sydney-2000.

BERMUDAS

Território britânico no Atlântico e mais conhecido pelo temido Triângulo e pelas roupas que levam o nome das ilhas. Medalha? Só no boxe, com Clarence Hill, que a conquistou em Montreal-1976, na categoria dos pesos-pesados, vencida naquele ano pelo lendário cubano Teófilo Stevenson.

BOTSUANA

Vizinha da África do Sul, a nação levou para casa apenas uma medalha, conquistada em Londres-2012. Nijel Amos foi quem colocou o país pela primeira e única vez no pódio, na prova dos 800m masculinos.

BURUNDI

Assim como a vizinha Ruanda, também sofreu em sua história com problemas entre hutus e tutsis, mas sem o mesmo alcance dos massacres ruandenses. Sua única medalha foi conquistada em Atlanta-1996, através de Vénuste Niyongabo, ouro nos 5000m.

CHIPRE

Os cipriotas não tem a mesma tradição olímpica legendária dos gregos e nem mesmo o número de medalhas dos criadores dos Jogos. Apenas uma, a prata conquistada na classe Laser do iatismo por Pavlos Kontides, em Londres-2012

COSTA DO MARFIM

No futebol, os marfinenses tem grandes jogadores e formam times interessantes. Em outros esportes, as chances de brilhar não foram muitas. Só Gabriel Tiacoh, nos 400m rasos de Los Angeles-1984, foi capaz de trazer a medalha, no caso a prata.

DJIBUTI

Um diminuto país localizado entre Eritreia, Somália e Etiópia e próximo da Península Arábica. O bronze de Hussein Ahmed Salah, na maratona dos Jogos de Seul-1988 foi a única que a nação conquistou até o momento em sua história.

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS

O dinheiro dos sheiks e do petróleo pode fazer o campeonato de futebol local girar e até trazer a Fórmula 1, mas falta muito para que em outros patamares desportivos o país cresça. Shaikh Ahmed Al-Maktoum, na fossa olímpica dupla, foi o único medalhista local. Pelo menos foi ouro.

ERITREIA

O país só conseguiu independência da Etiópia em 1993 e disputou sua primeira Olimpíada em Sydney-2000. Quatro anos depois, em Atenas-2004, Zersenay Tadese conquistou a medalha de bronze nos 10000m.

GABÃO

Alguns poderiam até dizer que o taekwondo não é o esporte oficial do país. Mas foi o que lhe trouxe sua única medalha, a prata com Anthony Obame nos pesos-pesados em Londres-2012.

GRANADA

Outro país caribenho que tenta caminhar no sucesso jamaicano no atletismo. Pelo menos em Londres-2012, quando Anthony Kirani conquistou o ouro nos 400m rasos, deu para encarar de frente as potências das pistas.

GUATEMALA

Este simpático país da América Central também é ‘filho único’ no quadro geral de medalhas olímpicas. No caso, foi a prata de Erick Barrondo, em Londres-2012, na marcha atlética (20km).

GUIANA

A única medalha de Guiana, conquistada pelo boxeador Michael Anthony nos pesos-galo em Moscou-1980, foi aproveitando as oportunidades. Com o boicote dos Estados Unidos e de outros países, o guianense viu a chance surgir e levou para casa o bronze.

ILHAS MAURÍCIO

Localizadas no Oceano Índico, perto da África, as ilhas também precisaram ir ao ringue para levar a medalha para casa. O bronze de Bruno Julie, em Pequim-2008, por enquanto é a única do país em sua história de oito Olimpíadas.

ILHAS VIRGENS AMERICANAS

Há dois territórios chamados de ‘Ilhas Virgens’ (um deles pertencente aos EUA e outro ao Reino Unido). O território americano foi o que teve melhor sorte em Jogos Olímpicos, com a prata de Peter Holmberg, na classe finn, em Seul-1988.

IRAQUE

Guerras e conflitos atrapalharam a vida iraquiana e também ao esporte. Resultado: uma só medalha, a de bronze no levantamento de peso por Abdul Wahid Aziz, entre os leves. Detalhe: foi nos Jogos de Roma-1960.

MACEDÔNIA

Um dos países que se separou da falecida Iugoslávia, a  Macedônia tem um bronze conquistado por Magomed Ibragimov (nascido na Rússia, na região do Daguestão e de origem azeri). Foi na luta livre olímpica, entre os médios, em Sydney-2000.

MONTENEGRO

A mais recente nação que se separou do que foi a Iugoslávia. Em duas Olimpíadas, faturou uma medalha. A de prata, no handebol feminino em Londres-2012. A nação é uma potência emergente no esporte.

NIGER

Issaka Daborg. Este´é o nome do heroi de Niger em Olimpíadas. O boxeador foi bronze na categoria dos meio-médio-ligeiros em Munique-1972. Em questão de medalhas, o país parou por aí

PARAGUAI

A tradição esportiva do Paraguai basicamente se resume ao futebol. Mas que isso serviu para conquistar a medalha de prata nos Jogos de Atenas-2004, não dá para negar. Com direito a presença de velhos conhecidos como Gamarra, Enciso, Cardozo e outros mais.

SENEGAL

Outro país que só subiu no pódio por causa do atletismo. E, principalmente, por causa de El Hadji Amadou Dia Ba, prata nos 400m com barreiras em Seul-1988. Até hoje, só ele subiu ao pódio por seu pais.

SUDÃO

O país tenta encaixar uma tradição em provas do atletismo, em especial as mais longas. No entanto, só levou uma medalha em Jogos Olímpicos, a prata conquistada por Ismail Ahmed Ismail nos Jogos de Pequim-2008 nos 800m.

TOGO

Togo levando medalha na canoagem? Sim, aconteceu. Foi em Pequim-2008 e seu dono foi Benjamin Boukpeti, que levou o bronze na categoria K-1 da canoagem slalom. Valeu por tirar seu país do zero no quadro geral de medalhas.

TONGA

Paea Wolfgram. Este é o nome do medalhista único do país, um conjunto de ilhas na Oceania, que levou a prata na categoria superpesada do boxe, nos jogos de Atlanta-1996. Na final, perdeu para um certo Vladimir Klitschko, que tenho certeza que todos vocês conhecem…

(Crédito da foto: Divulgação/Site Oficial dos Jogos Olímpicos Rio-2016)