Corinthians desrespeita CBF e ‘explora’ times visitantes

ingressos visitantes
Reprodução

 

De acordo com o regulamento da CBF o preço dos ingressos visitantes deverão se nos mesmos setores, ter os mesmos preços para a torcida local. Mas, pelo apurado pela ESPN não é isso que acontece na Arena Corinthians

Leia mais:

CORINTHIANS X FLAMENGO, A MELHOR DEFESA CONTRA UM DOS PIORES ATAQUES

CONHEÇA ISAAC PRADO, ATACANTE DA BASE DO TIMÃO RELACIONADO PARA ENFRENTAR O FLAMENGO

De acordo com informações da ESPN, dos últimos 16 jogos alvinegros na Arena em Itaquera pelo Brasileiro, em apenas três o Corinthians cobrou dos visitantes o mesmo preço praticado no setor sul para os seus próprios torcedores, ou R$ 50 a entrada inteira e R$ 25 a meia. Mas o que desrespeita a norma em si, não é cobrança de valores diferentes para visitas, mas sim a cobrança de valores diferentes para o mesmo setor.

O que o Corinthians tem feito é cobrar dos ingressos visitantes, o mesmo cobrado quando a fiel é tida como visitante e com isso, o Corinthians tem faturado bem mais do que as outras equipes. De acordo com o apurado pela reportagem da ESPN no jogo contra o Flamengo no ano passado o Corinthians cobrou R$80,00 dos visitantes, mas absurdamente na partida contra o Botafogo foi cobrado R$120,00 ou seja, 140% a mais.

A ESPN entrou em contato com o Corinthians que deu a seguinte resposta: “O preço para nossa torcida é R$ 50. Se quando eu jogo como visitante o mandande cobra os mesmos R$ 50 da minha torcida eu mantenho. Se ele aumenta o preço da minha torcida, eu também aumento. Faça uma pesquisa e veja que em todos os casos que o Corinthians cobrou mais alto, isso partiu do adversário”.

O time alvinegro joga neste domingo contra o Flamengo com ingressos a R$ 70 aos rubro-negros, enquanto corintianos que também ficam no setor sul pagam R$ 50.

Para finalizar, ainda de acordo com a reportagem, o Fluminense teria feito o mesmo com o Timão. Em 2015, cobrou R$ 80 dos visitantes, mas com o mesmo setor aos torcedores locais a R$ 50.

Crédito da imagem: Reprodução



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."