Espelho para Kannemann: relembre antigos zagueiros estrangeiros do Grêmio

Grêmio
Foto: Divulgação/Site oficial do Atlas

O Grêmio confirmou a contratação do zagueiro Walter Kannemann, do Atlas, nesta sexta-feira. O defensor argentino assinará contrato com o clube até 2019 e disputará posição com Geromel, Fred, Wallace Reis e Thyere. Ele tem 25 anos e esteve no San Lorenzo campeão da América de 2015. Neste post, listamos outros zagueiros estrangeiros que passaram pelo Grêmio e que, para o bem ou para o mal, servem de espelho para Kannemann.

LEIA MAIS:

Confira as principais respostas de Falcão em sua apresentação no Inter

Presidente do Grêmio explica por que não demitiu Roger no 1° semestre

ERAZO (2015)

Desacreditado após uma má passagem pelo Flamengo em 2014, o Grêmio confiou e se deu bem com a contratação do equatoriano Frickson Erazo. Ele formou uma bela dupla de zaga com Pedro Geromel e ajudou o tricolor a ficar em 3° no último Brasileirão. Embora a diretoria gremista tenha tentado sua permanência, ele acabou se acertando com o Atlético-MG para 2016.

RIVAROLA (1995 a 1998)

Homem da absoluta confiança de Felipão, o argentino Catalino Rivarola foi titular no período mais vitorioso da história recente do Grêmio. Entre 1995 e 1998, Rivarola e toda a sua vigorosa forma de atuar ajudaram o Grêmio a vencer títulos como a Libertadores de 1995, o Brasileirão de 1996 e a Copa do Brasil de 1997.

SCHIAVI (2007)

Um dos ídolos do Boca Juniors, o zagueiro Rolando Schiavi topou o desafio de jogar no Brasil em 2007 e foi titular em boa parte da Libertadores daquele ano jogando com as cores do Grêmio, que acabou como vice. Ainda naquele ano, se transferiu para o Newell’s Old Boys e em 2013 encerrou sua carreira. Não deixou saudades em Porto Alegre.

DE LEÓN (1981 a 1984)

É até covardia citá-lo entre os demais zagueiros listados. Hugo de León é de outra turma. Até hoje, o uruguaio de León é tido como um dos maiores zagueiros da história mundial. Foi um dos principais personagens das conquistas da Libertadores e do Mundial Interclubes do Grêmio em 1983.

BALOY (2003 a 2004)

Felipe Baloy carregará para sempre o rótulo de ter sido o primeiro panamenho a disputar um Brasileirão. E quem lhe deu essa oportunidade foi o Grêmio, em 2003 e 2004. Mas em campo a resposta dada não foi das melhores. Baloy, inclusive, era titular do time que acabou rebaixado em 2004.

ANCHETA (1971 a 1979)

É da mesma turma de Hugo de León e está eternizado na história do Grêmio. O uruguaio Ancheta foi eleito um dos melhores zagueiros da Copa de 1970, quando o seu país foi eliminado pelo Brasil na semi. Pelo Grêmio, deu azar de jogar no clube em uma década em que o Inter era fortíssimo. Mas ajudou o tricolor a vencer os estaduais de 1977 e 1979.

MAIDANA (2006)

Fechando a lista, Julian Maidana pouco acrescentou ao Grêmio em 2006. O argentino fez poucos jogos pelo time e logo se transferiu para o Banfield.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.