Opinião: Esta é a Copa Libertadores mais fácil, Riquelme?

Crédito da foto: Getty Images

Quando a semifinal da Libertadores de 2016 foi definida, entre Boca Juniors e Indepediente Del Valle, Juan Román Riquelme, um dos maiores ídolos da história do Boca Juniors , um atleta multicampeão na competição continental, alfinetou o time equatoriano.

LEIA MAIS:
APÓS 25 ANOS, FINAL DA LIBERTADORES NÃO VAI TER UMA EQUIPE BRASILEIRA OU ARGENTINA
ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS DE BOCA JUNIORS 2 X 3 INDEPENDIENTE DEL VALLE

“Esta é a Copa (Libertadores) mais fácil que se apresenta a Boca. Tem que ganhar, senão vai doer muito.”, foi a afirmação do argentino.

Ele estava certo. Doeu muito. O sentimento dos torcedores é de decepção total. O jornal Olé, de grande circulação na Argentina, definiu em uma de suas manchetes para o jogo como “Papelón”, em português “Papelão”. Ainda destacaram que o o jogador Tévez, astro do time, fez uma de suas piores partidas na vida.

O treinador do Boca destacou que essa foi uma das piores partidas da sua vida e que doeu ainda mais porque foi em La Bombonera. O único atleta destacado na imprensa argentina como salvador da pátria foi Cristhian Pavón.

Talvez seria mais fácil se o astro Riquelme estivesse em campo, uns anos mais jovens e atuando com todo fervor com a camisa do Boca Juniors, como sempre fez em sua vida.