Contra o Flu, Fábio chega a 700 jogos com a camisa do Cruzeiro; relembre

Foto: Divulgação/ Site Oficial do Cruzeiro - Fotógrafo: Washington Alves/Light Press

Um dos maiores ídolos do Cruzeiro, o capitão da equipe, o jogador com mais partidas pela Raposa. Fábio é um dos principais jogadores da história celeste e pra chegar a tudo isso, foram suficiente 700 partidas pelo clube azul. Hoje, Fábio é ainda questionado, mas o torcedor sabe da importância do arqueiro nos últimos 10 anos de clube.

LUCAS ROMERO É CONVOCADO PARA OLIMPÍADAS E DESFALCARÁ O CRUZEIRO

VEJA OS MELHORES JOGADORES PARA ESCALAR ESTA RODADA NO CARTOLA

SANTOS X PONTE PRETA: VEJA A PROVÁVEL ESCALAÇÃO DO PEIXE PARA A PARTIDA

INÍCIO

Fábio chegou ao Cruzeiro em 1999, mas só estreou no ano seguinte em partida amistosa contra o Universal-RJ, em que o clube mineiro conquistou a vitória por 2 a 0.

EMPRÉSTIMO PARA O VASCO

Ao chegar no Vasco, o goleiro não demorou muito a assumir a titularidade, foi o goleiro do título carioca em 2003 e esteve junto ao time na conquista de outros títulos. Entretanto teve uma saída tumultuada do clube carioca após servir a seleção brasileira em algumas partidas. Eurico Miranda acusou Fábio de não se reapresentar à equipe e tentou impedir o goleiro de assinar com outro clube, no final o Vasco foi processado e Fábio retornou para o Cruzeiro.

RETORNO PARA O CRUZEIRO

Em 2005, Fábio reestreou pela Raposa sob comando de Levir Culpi. Disputando o gol celeste com Artur, assumiu a titularidade e teve excelente desempenho pelo clube. No ano, o arqueiro não conquistou nenhum título pela equipe, mas graças às boas atuações, teve a oportunidade de continuar no Cruzeiro por mais uma temporada.

PRIMEIRO TÍTULO

Só no ano seguinte o arqueiro conquistou seu primeiro título com a camisa celeste. A conquista veio em cima do Ipatinga, pelo Campeonato Mineiro. O goleiro não só conquistou o título como foi selecionado como melhor goleiro de Minas pelo Troféu Guará.

ANO MAIS DIFÍCIL DA CARREIRA

Se 2006 parecia que o goleiro estava se encaminhando para uma ótima fase no Cruzeiro, as impressões foram erradas. 2007 foi o pior ano da carreira do Fábio, a começar pela final do Campeonato Mineiro, em que o goleiro perdeu a final por 4 a 0 para o rival, Atlético-MG, e Fábio além de se lesionar seriamente, ainda sofreu um gol de costas.

VOLTA POR CIMA, RELIGIÃO E IDA PARA A ESPANHA

Com a lesão, o goleiro voltou somente no mês de julho. Em entrevista para a Globo, a esposa do goleiro disse que durante o período lesionado ele só ficava em frente a TV até que um dia parou em um canal em que um pastor falava sobre quem tinha problemas no joelho, foi aí que Fábio começou a se tornar uma pessoa mais religiosa. Fábio se recuperou de forma surpreendente e voltou a ser titular do Cruzeiro. Com o contrato se encerrando, o arqueiro teve que ir para a Espanha, onde jogaria no Osasuna, só que mesmo com tudo praticamente fechado o goleiro rasgou o contrato e continuou em terras mineiras.

SE TORNANDO UM ÍDOLO

De lá pra cá, Fábio entrou em uma ascensão surpreendente se tonando um dos maiores ídolos do Cruzeiro. Conquistou o título mineiro de 2008 e 2009.

FINAL DA LIBERTADORES

Em 2009, o goleiro teve a oportunidade de conquistar seu primeiro título importante sendo titular do Cruzeiro, entretanto em pleno Mineirão, a equipe foi derrotada pelo Estudiantes-ARG e viu o tão sonhado título parar nas mãos de Verón e cia.

2010, MAIS UMA VEZ NO QUASE

No ano seguinte, o Cruzeiro terminou o Campeonato Brasileiro em segundo lugar, disputando o título até o final do campeonato. Há quem diga que o resultado foi injusto e que o clube mineiro foi o verdadeiro campeão, já que o time sofreu uma derrota para o Corinthians (que também estava na disputa do título) que revoltou os cruzeirenses pelos terríveis erros de arbitragem cometidos pelo juiz Sandro Meira Ricci.

NOS MOMENTOS DIFÍCEIS É QUE APARECEM OS HERÓIS

O Cruzeiro entrava em 2011 como um dos melhores clubes da América, fazendo uma Libertadores invejável, se tornou o Barcelona das Américas, só que o clube foi eliminado para o Once Caldas e a partir desta derrota as coisas começaram a se complicar. A raposa ficou perdida e quase foi rebaixada, tendo que aplicar uma goleada de 6 a 1 sobre o rival na última partida do Brasileiro. Na temporada, ao lado de Fabrício e Montillo, Fábio foi o mais importante jogador da equipe e fez defesas milagrosas para salvar o time, mesmo com o clube em baixa, todos esperavam que o goleiro fosse convocado para a seleção brasileira.

TÍTULOS BRASILEIROS

Em 2013 e 2014, veio os títulos que Fábio tanto precisava para ser realmente coroado como ídolo do Cruzeiro. Com o bicampeonato brasileiro, Fábio conquistara seus primeiros grandes títulos sendo titular da Raposa. Entretanto, como o time era muito forte e contava com grandes meias, o goleiro acabou não sendo o protagonista do time.

TÍTULOS CONQUISTADOS PELO CRUZEIRO

Campeonato Brasileiro: 2013, 2014

Copa do Brasil: 2000 (reserva)

Campeonato Mineiro: 2006, 2008, 2009, 2011, 2014

Copa Verão: 2009

TÍTULOS INDIVIDUAIS

Bola de Prata da Revista Placar de Melhor Goleiro do Campeonato Brasileiro: 2010 e 2013

Prêmio Craque do Brasileirão: 2010 e 2013

Troféu Globo Minas de Melhor Goleiro do Campeonato Mineiro : 2006, 2008, 2009, 2010, 2011, 2013

Troféu Guará de Melhor Goleiro do ano : 2006, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2015

Troféu Telê Santana de Melhor Jogador do ano : 2006, 2008, 2010

Troféu Telê Santana de Melhor Goleiro do ano: 2006, 2008, 2009, 2010, 2011