Final inédita na Libertadores, e fora do eixo Brasil-Argentina

Libertadores
Credito da foto: Divulgacao/Conmebol

A Libertadores 2016 enfim chegou a sua decisão; a final será inédita. O Atlético Nacional-COL, que eliminou o São Paulo, enfrenta o Independiente Del Valle-EQU, que surpreendeu e eliminou o Boca Juniors.

LEIA MAIS

“O SÃO PAULO FOI OPERADO PELA CONMEBOL”, CRITICA NETO; ASSISTA

OPINIÃO: 7 FATOS QUE FIZERAM O SÃO PAULO SER ELIMINADO DA LIBERTADORES

É a primeira vez em que a final da competição continental conta com um colombiano e um equatoriano. Os brasileiros e argentinos, que sempre dominaram o torneio, desta vez não fizeram boas campanhas. O Tricolor e o Boca chegaram mais longe, mas sucumbiram ao organizado e envolvente futebol praticado por Nacional e Del Valle.

Por ter a melhor campanha da Liberta, o Atlético Nacional leva certo favoritismo para o confronto decisivo. A equipe perdeu apenas um partida, para o Rosário Central. Mas a expectativa é de um duelo equilibrado e com bom futebol, já que os dois times jogam bem, não costumam dar pontapés e vêm em excelente fase. Ao contrário de muitas finais da Copa Libertadores da América, onde ocorrem brigas durante e depois do jogo, esta decisão deve ser tranquila, pelo menos se as duas equipes demonstrarem o mesmo comportamento que tiveram até esta fase.

A primeira partida da grande final ocorre na próxima quarta (20), com mando de campo do Independiente Del Valle-EQU. A partida de volta será em Medellin, na casa do Atlético Nacional-COL, dia 27/07.

Crédito da foto: Divulgação/Conmebol