A Formula 1 está de férias; Veja a análise do campeonato após o GP da Alemanha

Twitter Oficial da Fórmula 1

A Formula 1 agora está de férias: serão três semanas de descanso para os pilotos, que só voltarão a correr dia 25 de agosto, nos treinos livres de Spa-Francorchamps, na Bélgica. Confira qual a situação do campeonato até o momento, e o que esperar das próximas provas.

LEIA MAIS:
F1: NICO ROSBERG É PUNIDO PELA TERCEIRA VEZ EM UM MÊS E SE AFASTA DA LIDERANÇA

A Fórmula 1 chegou as férias do verão europeu. Já se foram 12 de 21 provas do extenso calendário da modalidade nesta temporada, com um domínio absoluto dos carros da Mercedes. Com certeza, não tem nenhum carro capaz de segurar as flechas pratedas neste campeonato, e a emoção fica por conta do duelo interno entre Hamilton e Rosberg.

Nico Rosberg teve um começo arrasador: venceu as quatro primeiras corridas, abriu 43 pontos para cima do companheiro de equipe, e tudo parecia conspirar a favor do piloto alemão. Mas eis que veio o GP da Espanha, e tudo mudou: não pontuaram na Catalunha, e logo depois, Hamilton conquistou duas vitórias enquanto Nico apenas pôde ver sua diferença diminuir.

Ainda houve tempo para Rosberg vencer em Baku, mas depois disso, só Hamilton venceu. São quatro vitórias nas últimas quatro provas, e Lewis já abre 19 pontos de diferença para Nico (Confira a classificação do mundial de pilotos aqui). Tudo mudou. Se Hamilton começou tentando buscar Rosberg, que parecia ter tudo a seu favor, agora o cenário se inverteu e é o pilot alemão que vai ter que ir atras do rival se quiser ser campeão.

Nem tudo está perdido para Rosberg: Hamilton vai ter que trocar o motor em breve (é muito provável que seja na próxima prova), o que fará com que ele perca dez posições no grid de largada. Mas se Rosberg largar da mesma forma largou nas últimas duas provas, pode deixar essa possível vantagem escapar. A sorte mudou de lado, e agora esta de carona na Mercedes do inglês.

Quanto aos demais pilotos, a Red Bull Racing deixou a Ferrari para traz nos construtores, e tudo leva a crer que a equipe taurina será a segunda força da competição (confira a classificação do mundial de construtores aqui). Ricciardo voltou a sorrir, Verstappen está cada vez mais confiante, um cenário totalmente diferente do que se vê na Ferrari: Vettel apenas reclama, e Raikkonem segue sem expressão, mas tem feito um belo trabalho no ano, tanto é, que está dois pontos a frente de Vettel.

A Williams está fazendo um péssimo ano, e apesar de ser a quarta colocada, está claro que vai ser questão de tempo a Force Índia superar a equipe inglesa nos construtores. Na pista isso já aconteceu: nas últimas três provas, a Force Índia fez 22 pontos contra apenas 4 pontos da equipe de Frank Williams. Massa está com a cabeça na próxima temporada, sonhando com outra equipe, enquanto Bottas deve estar arrependido de não ter ido em busca de outros ares.

Na parte de baixo, o cenário segue sem alterações: a Sauber é uma lastima, consegue ter rendimento pior que a Manor. E a Renault, tanto faz tanto fez: tem passado despercebida, e seu rendimento é tão fraco quanto o das duas acima citadas. E dificilmente vai alcançar a Haas, que foi uma grata surpresa no inicio do campeonato, mas que agora, apenas esta terminando as provas (sorte que tem pelo menos seis carros no grid piores do que os dois da Haas). A McLaren e a Toro Rosso, são as equipes que ficam com os pontos que sobram (menos Kvyat, coitado, que depois do rebaixamento, nunca mais foi o mesmo).

Agora, é aguardar a segunda metade da temporada, e a primeira pista será Spa-Francorchamps, um circuito que sempre proporciona bons duelos. Dificilmente a vitória não será de uma das Mercedes, e caso Hamilton opte pela troca de motor, é provável que os 25 pontos ficarão com o piloto alemão. Mas engana-se quem acha que o campeonato será fácil daqui para frente para Lewis Hamilton: Nico ainda está vivo.