GUIA RIO 2016 TORCEDORES.COM – SAIBA TUDO SOBRE O BASQUETE FEMININO

crédito: reprodução facebook

O Torcedores.com continua seu especial para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 que conta um pouco da história de cada esporte olímpico, algumas curiosidades para você contar por aí, além de informar os favoritos das provas e quem são os brasileiros nelas. Falaremos um pouco hoje sobre o basquete feminino, que já teve no Brasil a dupla mágica Paula e Hortência.

LEIA O GUIA RIO 2016 DE OUTROS ESPORTES:
ATLETISMO, BADMINTONBASQUETE MASCULINO, BASQUETE FEMININO, BOXECANOAGEM VELOCIDADECANOAGEM SLALOM, CICLISMO BMX, CICLISMO ESTRADA, CICLISMO MOUNTAIN BIKE, CICLISMO PISTA,  ESGRIMAFUTEBOL MASCULINOFUTEBOL FEMININO, GINÁSTICA ARTÍSTICA, GINÁSTICA RÍTMICA, GINÁSTICA DE TRAMPOLIM, GOLFEHANDEBOLHIPISMO, JUDÔ, LEVANTAMENTO DE PESO, LUTA, MARATONA AQUÁTICA, NADO SINCRONIZADO, NATAÇÃO, PENTATLO MODERNOPOLO AQUÁTICO, REMORUGBY DE SETE, SALTOS ORNAMENTAIS,TAEKWONDOTÊNISTÊNIS DE MESA,TIRO COM ARCOTIRO ESPORTIVO, TRIATLO, VELAVÔLEI FEMININO, VÔLEI MASCULINOVÔLEI DE PRAIA

 

BASQUETE FEMININO

HISTÓRICO: O basquete feminino entrou no programa olímpico muito depois do masculino. A primeira edição ocorreu apenas em 1976 em Munique, quarenta anos depois da estreia masculina. A dominância dos Estados Unidos (foto) também se mantém entre as mulheres. Desde 1984, as americanas têm sete títulos em oito disputados, tendo apenas uma surpreendente derrota nas semifinais de 1992 diante dos países que compunham a antiga União Soviética, chamado de Time Unificado. Desde esta derrota, são 41 partidas sem derrotas para as americanas. A Austrália tomou o lugar da antiga União Soviética como segunda potência do basquete, tendo 3 medalhas de prata consecutivas (de 2000 a 2008) e uma de bronze (2012).

crédito: reprodução facebook
crédito: reprodução facebook

 

ATLETAS QUE BRILHARÃO NO RIO

As maiores atletas do mundo estarão nos jogos do Rio. As americanas da WNBA, Maya Moore, Britney Griner, Sue Bird (foto), Tamika Catchings e Diana Taurasi são algumas das americanas que devem dar show em quadra.

Fique atento na cestinha espanhola Alba Torrens, na sérvia Kristi Toliver e na francesa Sandrine Gruda. No garrafão, a bielorrussa Yelena Leuchanka deve dar trabalho às adversárias. A australiana Penny Taylor é outra que virá para a disputa dos jogos do Rio e promete brilhar em quadra.

crédito: reprodução facebook
crédito: reprodução facebook

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

As americanas (foto) devem conquistar o sexto título consecutivo sem maiores dificuldades. As medalhas de prata e bronze devem ficar entre França, Espanha e Austrália. Turquia Bielorrússia são duas que podem surpreender francesas e espanholas. As outras não devem brigar por medalhas.

 basquete feminino estados unidos

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PARTICIPANTES:

Estados Unidos – Campeãs em Londres 2012, campeãs mundiais em 2014

Espanha– campeã europeia 2013, vice-campeãs mundiais em 2014, terceira colocação no europeu 2015

Sérvia– campeã europeia 2015, oitava colocação no mundial 2014

Austrália – terceira colocação no mundial 2014

França– vice-campeã europeia em 2013 e 2015

Bielorrússia – quarta colocação no mundial 2014, quinta colocação no europeu 2013

Turquia– terceira colocação no europeu 2013, quarta colocação no mundial 2014, quinta colocação no europeu 2015

Canadá –  quinta colocação no mundial 2014

China- sexta colocação no mundial 2014

 

COMO É A DISPUTA?

Doze países, divididos em duas chaves de seis times, disputarão a tão sonhada medalha de ouro. Os quatro primeiros de cada grupo se classificam e enfrentam adversários do outro grupo nas quartas-de-final (sendo o primeiro colocado de um grupo contra o quarto colocado do outro e o segundo colocado de um contra o terceiro colocado de outro). A partir daí, saem os semifinalistas e finalistas.

OS GRUPOS:

Os grupos do torneio feminino foram sorteados em junho após os torneios classificatórios terem definidos os 5 últimos classificados ao Rio. No Grupo A, o Brasil (foto) encara um difícil grupo com França, Austrália, Japão, Bielorrússia e Turquia. No grupo B, as favoritas americanas encaram Espanha, Sérvia, China, Senegal e Canadá.

basquete feminino brasil

QUAIS AS CHANCES DO BRASIL?:

A seleção brasileira trocou muito de técnicos nos últimos anos e agora está sob o comando de Carlos Barbosa, que levou o time ao bronze em 2000. O time não tem mais os talentos de Hortência, Paula e Janeth, mas ainda possui jogadoras de qualidade. Érica (foto), Iziane e as experientes Kelly e Adrianinha são jogadoras importantes para a seleção.

basquete feminina erika

O grupo do Brasil é o mais difícil dos dois. A seleção verde-amarela, detentora de uma medalha de prata em 1996 e do já citado bronze de 2000, deverá ter bastante dificuldade contra Austrália e França, que parecem estar um passo a frente. A Turquia surpreendeu com uma quarta colocação no Mundial em 2014, jogando em casa e também ao vencer a França no Europeu em 2015 e fará um jogo-chave com o Brasil. O Japão é um time que as brasileiras já venceram, mas que vem evoluindo. Bielorrússia também surpreendeu ao chegar na terceira colocação no Europeu em 2015, mas o Brasil tem obrigação de ganhar.

Para chegar em uma das três vagas (se classificar em quarto significa enfrentar as americanas e dar adeus à competição), o Brasil precisa vencer ao menos três jogos. Aí, deverá fazer um jogo duro contra quem vier do outro grupo – muito provavelmente Espanha ou Sérvia.

Diríamos que as chances de medalha são baixas

 

PALPITE DO GUIA:

Ouro: Estados Unidos;

Prata: Espanha;

Bronze: França:

Brasil: Sétimo Lugar

 



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.