Mercado da bola: Diego reduz pedida salarial e aguarda clube turco para fechar com Flamengo

Flamengo
Getty Images

Nesta sexta-feira, a torcida do Flamengo ficou mais esperançosa em contar com Diego Ribas para a sequência do Campeonato Brasileiro. Segundo reportagem do site ESPN.com.br, o meia do Fenerbahçe, da Turquia, aceitou reduzir em mais de R$ 150 mil a sua pedida inicial de R$ 850 mil em salários e está aguardando uma posição do seu clube para definir o pagamento das luvas de R$ 5 milhões exigidas para assinar com o time carioca.

LEIA TAMBÉM:
Brasileirão: Flamengo define local de jogo de segunda-feira contra América-MG

Alvo do Flamengo, Arturo Mina, do Independiente Del Valle-EQU, descarta transferência 
Flamengo pode “reataliar” Botafogo em jogo de volta no Brasileirão
Mercado da bola: Diretor do Flamengo fala sobre interesse da Lazio-ITA em Felipe Vizeu

Como reportou o Torcedores.com, em caso de investimento do Flamengo, os R$ 5 milhões a serem diluídos ao longo do tempo de vínculo vão sofrer um abatimento. Apesar de o Fenerbahçe ter exigido uma compensação financeira se Diego aceitasse sair antes do fim do seu contrato – até o meio de 2017 -, os cariocas acreditam que o próprio jogador irá convencer o clube turco a esquecer essa ideia. Assim, as ‘luvas’ ao invés, do Fener vão para o bolso do meia.

Diego tem até o fim da janela para transferências internacionais, na próxima terça-feira, dia 19, para resolver a situação. Sua reapresentação ao elenco do Fenerbahçe está marcada para o dia seguinte, mas ele viajará antes para definir sua situação e, quem sabe, encaminhar sua ida à Gávea.

Segundo reportagem do jornalista Mauro César Pereira, da ESPN Brasil, Diego tem problema com os torcedores do Fenerbahçe por causa de seu estilo individualista em campo. O meia esteve em baixa nessas últimas duas temporadas e isso pode determinar um ‘facilitador’ para a diretoria turca negociá-lo com o Flamengo.

O jogador, ex-Santos, fez 43 jogos, sendo 29 como titular, na última temporada pelo time turco, mas em apenas 11 atuou os 90 minutos. Nesse período, o meia só marcou três gols.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.