Nem no amador! Brasileiros perdem torneio de futebol no México

A situação do futebol brasileiro, definitivamente, não está das melhores. Tanto que nem no futebol amador o país conseguiu conquistar título. No último sábado (2), o Wake n’Bake, time formado por quatro amigos de São Paulo, ficou com o vice-campeonato da Copa Tricks, torneio organizado pela Puma no México.

LEIA MAIS:
CONFIRA DETALHES DO ACERTO DE NENÊ COM O MATERIAL ESPORTIVO PUMA
PUMA EVOSPEED SL: PUMA LANÇA SUA MAIS NOVA CHUTEIRA QUE NÃO PESA NEM 100G
FÃ DE MODA, NENÊ SE EXIBE NAS REDES SOCIAIS E ADMITE CIÚMES DA ESPOSA
SELEÇÃO? NENÊ CURTE BOA FASE NO VASCO E QUER JOGAR ATÉ OS 40

A competição reuniu os times campeões das etapas nacionais da Copa Tricks, uma promoção organizada pela Puma para compradores das novas chuteiras da marca (Evo Power 1.3 FG e Evo Speed SL II) em seis países: Brasil, México, Argentina, Chile, Peru e Estados Unidos.

Como venceu a seletiva brasileira no início de junho, Luigi Barbieri, 22 anos, Pietro Barbieri, 23, Fernando Leite, 22, e Guilherme Fongaro, 21, ganharam o direito de representar o país na final, sediada na famosa Playa del Carmen, na região de Cancún, no México.

O regulamento era simples. Cada time era composto por quatro jogadores – três titulares e um reserva. Os atletas não podiam pisar dentro da área e a bola não saía pelas laterais e pela linha de fundo. Todas as equipes jogariam entre si. No fim dos cinco jogos da primeira fase, as quatro mais bem classificadas avançariam para a fase final. A pontuação era idêntica ao futebol de campo: 3 pontos por vitória, 1 ponto por empate.

Na área em que a bola rolando, os meninos do Brasil tiveram bom desempenho. Venceram o Peru na estreia por 7 a 4. Em seguida, foram derrotados pelo Chile por 9 a 3, mas logo se recuperaram batendo Estados Unidos (6 a 2) e Argentina (6 a 3). Na última partida da primeira fase, o Wake n’Bake empatou com o México por 3 a 3.

Em segundo lugar na classificação geral, os brasileiros enfrentaram novamente o Peru na semifinal, o terceiro colocado na primeira fase. E, a exemplo da partida de estreia, o Wake n’Bake se deu bem: 2 a 1. No outro lado da chave, o México, melhor time da fase inicial, eliminou o Chile por 4 a 0.

A final entre os mexicanos e o time brasileiro foi bem parecida com a partida que encerrou a primeira fase: jogo equilibrado do início ao fim. O Wake n’Bake saiu perdendo por 2 a 0, mas conseguiu reverter o placar por 4 a 2. Mas o cansaço era grande e o México conseguiu empatar por 4 a 4. O jogo foi decidido na morte súbida e o México levou a melhor.

Valeu, ao menos, a experiência.

*O jornalista Matheus Adami viajou a convite da Puma Brasil.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.