Opinião: Mercedes sobra na Fórmula 1, e a fenomenal última volta do GP da Áustria

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1

O Grande Prêmio da Áustria de Fórmula 1 foi interessante. Apesar das surpresas no treino classificatório, na corrida a Mercedes sobrou. Rosberg se recuperou, chegou a liderar parte da prova, e na última volta, vimos mais um espetacular capitulo da grande disputa desta temporada entre o piloto alemão e seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton.

LEIA MAIS:
HAMILTON SUPERA ROSBERG NA ÚLTIMA VOLTA, E VENCE GP DA ÁUSTRIA
BUEMI FATURA POLE EM LONDRES E IGUALA DI GRASSI NO CAMPEONATO DA FÓRMULA E

Hamilton largou na pole, e nela se manteve. Enquanto o segundo lugar de Hulkenberg durava poucos metros após a largada, Rosberg ultrapassou Ricciardo e subiu para quinto, iniciando sua prova de recuperação. Nas primeiras voltas, ficou claro que seria questão de tempo para o piloto alemão se recuperar na prova e assumir a segunda posição, assim como pareceu que teríamos chuva no decorrer da corrida.

A chuva não veio, mas a recuperação de Rosberg foi inevitável. O piloto alemão parou antes dos demais no boxe, voltou a pista com pneus macios, e passou a ser mais rápido que os demais. E foi isso que custou a liderança para Lewis Hamilton, pois quando parou no boxe, a equipe Mercedes teve problema para trocar os pneus traseiros do carro do inglês, e quando Hamilton retornou a pista, estava atrás de Rosberg.

A partir deste ponto, era quase previsível imaginar qual seria o desfecho da prova: Rosberg se distanciaria de Hamilton, alcançaria Vettel (que naquele instante era o líder da prova), aumentaria a vantagem na liderança do campeonato, e ficaria claro o quanto essa temporada tem sido espetacular para o piloto alemão. Afinal, largou em sexto, chegaria em primeiro, a frente de seu grande rival nesta temporada. O clima dentro da Mercedes não ficaria bom, principalmente para Hamilton e os mecânicos.

Mas a arriscada estratégia de Vettel, em prorrogar ao máximo a sua troca de pneus, se mostrou ineficaz quando o pneu traseiro direito da sua Ferrari estourou e tirou ele da corrida. Safety Car entrou na pista, e as diferenças entre os pilotos sumiram por algumas voltas. Mas quando o carro de segurança saiu da pista, Rosberg abriu dois segundos de vantagem, e sua sexta vitória parecia óbvia.

Mas após a última parada dos dois pilotos, tudo mudou. Hamilton se aproximou, e ficamos na expectativa de ver um embate entre as duas flechas prateadas. E ele aconteceu na última volta, as duas Mercedes lado a lado, e com Rosberg se defendendo e fechando a porta para Hamilton, que saiu da pista, mas voltou e os dois carros novamente se tocaram. Só que desta vez, Hamilton assumiu a ponta, e Rosberg levou a pior, ficando com o carro danificado e perdendo seu lugar no pódio para Max Verstappen e Kimi Raikkonem.

Ao contrário de muitos, não vou procurar culpados. Isso é Fórmula 1, não o trânsito cotidiano de uma grande metrópole. São dois pilotos lutando por um título mundial, são dois bons pilotos, que possuem o melhor carro da temporada, não tem porque cederem, recuarem. Rosberg se defendeu, Hamilton reagiu e tomou a ponta. Foi simples, e ao mesmo tempo, foi revigorante para os fãs da categoria. Em uma temporada onde está cada vez mais claro o domínio da Mercedes, é bom ver que os dois pilotos da equipe podem lutar de forma aberta, sem tantas barreiras (aprende Ferrari!!!).

Pode ter certeza: não foi o primeiro “encontro” das duas flechas prateadas nesta temporada, e tomara que não seja o último. O campeonato está em aberto, e a guerra entre os Rosberg e Hamilton, mais do que nunca está escancarada. Que vença o melhor!!

DESTAQUES:

 

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1
Crédito da foto: Twitter Oficial da F1

Disputa Hamilton x Rosberg: Foi o grande momento desta temporada. Foi bom ver a Mercedes permitir o duelo entre seus dois pilotos na pista. Isso é Fórmula 1. Ainda mais na Áustria, que ficou marcada pelo decepcionante GP de 2002 (confira aqui). E não houve culpado, como todos querem apontar. Foi uma disputa de posição. Um se defendeu, outro atacou, e desta vez, o inglês se deu melhor. Fim!

 

 

 

 

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1
Crédito da foto: Twitter Oficial da F1

Max Verstappen: Sim, “Verstappinho” segue deixando o pai no chinelo. Um pódio merecido, por sua ousadia em levar até o fim um jogo de pneus por mais de 50 voltas. Isso mostra que soube guiar de forma coerente, preservando os pneus. Esse garoto ainda vai dar muito trabalho.

 

 

 

 

 

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1
Crédito da foto: Twitter Oficial da F1

Manor: Pois é, a Manor fez seu primeiro pontinho no campeonato, enquanto a Sauber… Bem, a Sauber é a última colocada no campeonato de construtores, a única sem ter pontuado. E olha que na corrida de hoje, Nasr chegou a ser sétimo, e lutou bravamente, mas não dá para fazer algo bom com o pior carro da categoria. Melhor para Wherlein, que fez seu primeiro ponto na carreira de piloto de Fórmula 1.

 

 

 

 

 

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1
Crédito da foto: Twitter Oficial de Daniil Kvyat

Kvyat: Realmente, depois do rebaixamento para a Toro Rosso, nada mais deu certo para o russo. E enquanto Verstappen vai fazendo história, Kvyat segue assistindo de fora da pista. Mais uma vez seu carro o deixou na mão, mas já não dava para esperar muita coisa mesmo, afinal, ele tinha largado do boxe. (leia mais sobre a má fase de Kvyat).

 

 

 

 

 

 

 

 

Crédito da foto: Twitter Oficial da F1
Crédito da foto: Twitter Oficial da F1

Massa: Como diria o piloto brasileiro, “esse é um fim de semana para esquecer”.