Cuca revela como Palmeiras prepara elenco para desfalques no clássico

Palmeiras
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O Palmeiras tem um importante desafio nesta terça-feira (12) no clássico contra o Santos, às 20h30, no Allianz Parque, duelo em que pode aumentar sua vantagem na liderança do Brasileirão ou até mesmo perdê-la em caso de derrota. E para se manter no topo da classificação, o técnico Cuca terá de quebrar a cabeça para armar o Verdão, que terá três desfalques certos por suspensões e pode ter mais dois devido a lesões.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA: VEJA AS NOVIDADES NAS NEGOCIAÇÕES DO VERDÃO
CUCA DESPISTA, MAS LEANDRO PEREIRA PODE GANHAR CHANCE NO CLÁSSICO
CUCA DEFINE O SUBSTITUTO DE FERNANDO PRASS DURANTE A OLIMPÍADA

Gabriel Jesus, Róger Guedes e Thiago Santos levaram o terceiro cartão amarelo na vitória contra o Sport e estão suspensos no clássico. Além deles, os meio-campistas Moisés e Tchê Tchê deixaram o jogo com dores e também são dúvidas para a partida.

O Palmeiras poderia sofrer com a falta de ritmo de alguns jogadores que vão ganhar oportunidade, mas, Cuca não vê problema já que todos os jogadores vem treinando no dia a dia e disputando partidas amistosas.

A gente tem trabalhado o grupo todo, para que quando cheguem situações como essa, não tenhamos prejuízo. A gente tem feito jogo-treino, treinado todos da mesma forma para estarem bem condicionados. Quem a gente for escolher para esse jogo vai dar conta. Respeitando os que saem, temos confiança nos que vão entrar“, explicou o treinador do Palmeiras em entrevista coletiva na última sexta-feira.

Nos treinos do fim de semana, Cuca escolheu Barrios e Erik como substitutos de Jesus e Róger Guedes, e escalou o meio de campo com Arouca, Matheus Sales e Cleiton Xavier.

Assim, o time inicialmente deve ter a seguinte escalação: Prass, Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca, Matheus Sales e Cleiton Xavier; Dudu, Erik e Barrios

Cuca paciente

Cuca, entretanto, ainda crê na possibilidade de recuperação de Tchê Tchê e Moisés. “Clinicamente, 24 horas no futebol é muita coisa. Tudo pode mudar. São jogadores que não precisamos treinar. Já têm um lastro, estão bem trabalhados. Se tiverem uma condição de jogo, esperamos até o último momento. Foi o que falei para os médicos“, finalizou o comandante do Palmeiras.