Real Madrid fará oferta para comprar e deixar Gabriel Jesus no Palmeiras, diz jornal

Palmeiras
Foto: Reprodução/Capa do diário AS

A novela sobre a saída ou a permanência de Gabriel Jesus no Palmeiras ganhou mais um capítulo neste sábado (16) com um proposta tentadora do Real Madrid ao Verdão. De acordo com o jornal AS, da Espanha, o time merengue está disposto a pagar a multa rescisória do jogador, de 24 milhões de euros (cerca de R$ 87 milhões), mais 10 milhões de euros em comissões (R$ 36,2 milhões) e ainda deixaria o atacante por mais uma temporada e meia no time alviverde antes de apresentá-lo em Madri.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA 2016: ATACANTE REVELADO PELO FLAMENGO VAI DISPUTAR A SÉRIE B
NOBRE CRITICA FALTA DE CRITÉRIO DE JUIZ NO CLÁSSICO CONTRA O SANTOS
MERCADO DA BOLA: PAULO NOBRE FALA SOBRE POSSÍVEL VENDA DE GABRIEL JESUS
MERCADO DA BOLA: VERDÃO NÃO VAI CONTRATAR GUERRA; ENTENDA
JOGADOR PALMEIRENSE ESTÁ FORA DA OLIMPÍADA; CONFIRA

Segundo a publicação espanhola, a venda da joia do Palmeiras ao Barcelona estava próxima, mas sofreu uma reviravolta nos últimos dias com a entrada do Real Madrid na operação. O diretor de futebol do time alviverde, Alexandre Mattos, está na Espanha para conversar com o time da capital espanhol, que agora está mais próximo de contratar Gabriel Jesus.

O atacante tem multa contratual para times do exterior no valor de 40 milhões de euros (R$ 145 milhões), mas para Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique, Manchester United e Paris Saint-Germain ela cai para 24 milhões de euros.

O Real Madrid aceitaria a exigência de Gabriel Jesus de disputar o Campeonato Brasileiro, no qual o Palmeiras é o líder e briga pelo título e Jesus é o artilheiro, com 10 gols, e ainda liberaria o jogador para disputar a Libertadores de 2017 pelo clube do Palestra Itália.

Gabriel Jesus na Olimpíada

O AS ainda cita que Jesus terá a chance de se provar mundialmente na disputa da Olimpíada do Rio em agosto, lembrando que o atleta seria convocado para a seleção principal para a disputa da Copa América Centenário, mas não pôde ser utilizado, pois não conseguiu visto para entrar nos Estados Unidos, local da disputa, a tempo.