“Santos e DIS foram prejudicados por Neymar”, diz promotor

Neymar
Getty Images

De acordo com jornal espanhol As, a Procuradoria da Espanha revelou que oferta oferecida pelo Real Madrid era de 36 milhões de euros, enquanto o Barcelona o levou por 17 milhões de euros. O Ministério Público realiza a investigação do caso que envolve sonegação fiscal.

Leia mais:
PAI DE NEYMAR ATACA SANTOS E DIZ: “EU FUI BONZINHO”
ESPECIAL: O QUE MUDOU NO SANTOS DESDE A SAÍDA DE NEYMAR?

Segundo As, o promotor José Perals insiste que houve corrupção no pagamento de 40 milhões de euros Barcelona para garantir a negociação com Neymar , o promotor alega que “a negociação alterou o mercado de transferência e contratação “, porque era um melhor negócio para Santos como um Real Madrid por 36 milhões”.

O promotor disse ainda que Neymar decidiu seu rumo por meio de outros meios não autorizados no campo da FIFA.

O promotor Perals usa este argumento como apelo contra a decisão do juiz José de la Mata de arquivar o caso Neymar. O promotor diz  que o pai de Neymar, o ex-presidente da Barça, Sandro Rosell e o próprio clube supostamente traíram o preço da transferência ao fundo brasileiro DIS e por isso a ação seria passiva de crime de corrupção e não mero descumprimento das indicações éticas e morais. 

Perals critíca De la Mata não ter em conta esta circunstância , que quando ele arquivou o crime de fraude estabelecido a Neymar Jr. Que o jogador só queria jogar no FC Barcelona , e que sua vontade, estaria “logicamente que parecia influenciada pelo fato de que o clube pagou 40 milhões.”

Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Por esse delito, o promotor  aponta que foram prejudicados não só o fundo DIS, quanto o próprio Santos. “O Santos viu incompreensivel, que  Neymar Jr. tenha insistido para que fosse transferido para o FC Barcelona e não para nenhum outro clube, pois eles não sabiam que Neymar tinha reivindicado 40 milhões de euros desse clube “. Caso tivesse fechado com o Real Madrid, o Santos receberia um valor muito superior ao recebido pelo Barcelona.

Segundo o procurador , estes contratos simulados , o que prejudicou a recuperação dos direitos federativos correspondentes ao DIS , são constitutivas de um crime de fraude imprópria, que também pede para ser processado pelo Santos.

De la Mata concordou em arquivar o processo no dia 08 de julho , considerando que os contratos de transferência do jogador assinado em 2011 e 2013- , embora possam ter “implicações esportes, éticas e disciplinares” não se encaixam em um procedimento criminal, que recomendou que DIS afirmam civilmente.

Confira a matéria original na íntegra 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."