Sheik dá boa sorte à Tite e agradece por “puxões de orelha”

sheik
Reprodução/Instagram

Um pouco atrasado, mas não menos merecido, Emerson Sheik envia a Tite um recado por meio de sua rede social no Intagram desejando boa sorte nesta nova e fase e diz que não foi sorte, foi merecimento.

Leia mais:

SHEIK RELEMBRA “PEGADINHA DO MALLANDRO” QUE FEZ COM TITE NO CORINTHIANS

Sheik antes de desejar boa sorte, agradeceu Tite por todo o trabalho que fizeram juntos no Corinthians, o respeito é tamanho que Sheik trata Tire como senhor:” Estou dentro do táxi e lembrei do sr , também lembrei de agradecer publicamente tudo que fez por mim , todos os ensinamentos, algumas risadas, simmmmmm rsrsrs porém muitos puxões de orelha , entre tantos conselhos , peguei o que define exatamente o sr , família ! Lembra ? Pela nossa família ! Por quem realmente amamos ! Pelos seus Filhos Emerson ❤️ agora mais que nunca vai ser por eles ! Quanto a sua nova etapa rsrs nada de sorte ! MERECIMENTO !!!”, escreveu Sheik em sua rede social.

Sheik sempre foi tratado como “filho” por Tite e o jogador também via no treinador um “pai” no meio do futebol. O gaúcho sempre segurou as broncas do atacante pelos sucessivos atrasos nos treinos, onde sempre tinha uma conversa com então camisa 11 corintiano.

No primeiro jogo entre Corinthians e Flamengo, com o Sheik já no Flamengo, Tite deixou bem claro em coletiva a época, dizendo que não queria enfrenta-lo. “Emerson é um dos jogadores que mais têm força mental e nível de concentração. Seja onde for: na Arena Corinthians ou em um campinho em São Braz (Caxias do Sul), onde nasci. Vai produzir. Para não dizer que fez os dois gols na final da Libertadores, que deu a assistência para o gol do Romarinho na Bombonera. Uma coisa é querer ganhar. A outra é respeitar” disse Tite na época.

Em agosto do ano passado, Sheik também se rasgou em elogios ao Tite em um vídeo enviado ao programa: ”Bem, Amigos” Tenho uma admiração, um respeito enorme por ele, como profissional e como pessoa também. Tive o privilégio de poder estar perto dele e poder desfrutar da pessoa que ele é. Ele sabe do amor que sinto por ele. Professor, um beijo para o senhor, muita saudade, muita saudade do puxão de orelha – disse Emerson.



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."