Adeus, Patón: 5 acertos de Edgardo Bauza no comando do São Paulo

Crédito da foto: Twitter Oficial do SPFC

Com a saída de Edgardo Bauza do São Paulo (agora ele vai assumir a seleção da Argentina), fica a discussão: se ele fez ou não um bom trabalho. Confira quais foram os principais acertos do técnico no comando do Tricolor:

LEIA MAIS:
ADEUS, PATÓN: 5 ERROS DE EDGARDO BAUZA NO COMANDO DO SÃO PAULO
GRATIDÃO E IRRITAÇÃO: A REAÇÃO DOS SÃO-PAULINOS À SAÍDA DE BAUZA

O trabalho de Edgardo Bauza a frente do São Paulo foi questionável: enquanto parte da torcida agradece ao treinador argentino pela campanha na Libertadores (o Tricolor chegou nas semifinais da competição), outros não deixam passar em branco os números do técnico no comando do time (confira os números completos aqui). Veja os principais acertos de Patón no comando do clube do Morumbi:

A contratação de Calleri – Não é segredo para ninguém que Edgardo Bauza foi um dos que mais insistiram dentro do Morumbi para a contratação do atacante argentino. E por mais que tenha sido uma passagem rápida, Calleri deixou sua marca com a camisa Tricolor: foi o artilheiro da Libertadores da América com nove gols, e é o artilheiro do clube na temporada, com 16 gols marcados.

Ganso na seleção – Quando chegou ao clube do Morumbi, Patón foi questionado sobre Paulo Henrique Ganso, e deixou claro: o camisa dez do São Paulo era um grande jogador e retornaria a seleção. E acertou: Ganso foi fundamental na campanha do Tricolor na Libertadores, e fez parte da seleção brasileira que disputou a Copa América Centenário.

As novidades do time titular: Claro que nem todos os titulares do São Paulo são unanimidades com a torcida são paulina (Denis é um desses nomes). Mas outros nomes ganharam destaque nas mãos de Patón Bauza, como Hudson, Kelvin, e até mesmo Michel Bastos, que vinha sendo perseguido por parte da torcida. A dupla de zaga Rodrigo Caio e Maicon deu mais segurança a equipe. São acertos inquestionáveis a favor do técnico argentino.

Time “cascudo” – O São Paulo ficou marcado nas últimas temporadas por ser um time sem alma, que não sentia derrotas. Sob o comando de Patón Bauza, isso mudou: o time teve diversos momentos de dificuldades e conseguiu superar as adversidades. Foram poucos jogos neste ano em que vimos um São Paulo apático em campo. É claro que não dá para jogar todos os créditos nas costas do treinador argentino, mas com certeza, ele é peça fundamental na mudança de comportamento do time.

Campanha na Libertadores – O começo foi desanimador: dois pontos conquistados nos três primeiros jogos. Todos afirmavam que entre os clubes brasileiros, o São Paulo seria o único a não se classificar para a fase de mata-mata da Libertadores. Patón foi na contramão, e afirmou a todos que o clube do Morumbi se classificaria. E novamente ele estava certo, pois o Tricolor foi o único time brasileiro que chegou nas semifinais da competição.