Arena Corinthians marca seu nome na história do esporte Nacional

Crédito da Foto: Divulgação

A manchete apesar de soar presunçosa, se confirma. O Sport Club Corinthians Paulista, em menos de 3 anos, além de oficializar sua arena, como casa, viu feitos, dignos de verdadeiros Titãs, em celebrações épicas e os mais importantes eventos do planeta. Localizada em Itaquera, zona leste de São Paulo, a Arena corintiana, de longe era a menos cotada, pela distância do grande centro da capital paulista e principalmente, por estar localizada em uma região marginalizada, em que os números assolavam o caos. Estatísticas confirmaram o status de preocupação, que mesmo com todos os ingredientes, foi se provado o contrário, e a decisão foi minimamente polemica pelos mandatários dos eventos que se sucederiam.

As conversas de bastidores em que colocava o ex-presidente Lula e corintiano de coração, como fundamental na decisão da Arena corintiana a sediar a Copa do Mundo de 2014, aliada ao governo do Estado de São Paulo que não só aprovaram, mas ajudaram a subsidiar parte da estrutura do estádio, como um aumento para 70 mil torcedores.

O projeto corintiano, por sua vez, só tinha como planejamento, um estádio para 45 mil. Com o interesse do governo de Estado e a proposta de abertura, os números foram elevados, tendo com isso que a equipe paulista aumentasse os gastos na Arena, através de recursos do BNDS e algumas instituições financeiras particulares. Com o possível aumento, o Corinthians não aprovou o objetivo cujas autoridades queriam como enunciado. Através disso, como citado acima, o governo do Estado de São Paulo ajudou no complemento do novo estádio.

A proposta inicial da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e supostamente, a FIFA era que o time do Morumbi fizesse a abertura e fosse de fato, a sede paulista no torneio. Sem recursos, o São Paulo não conseguiu cumprir as obrigações preestabelecidas pela FIFA. Questões como transporte, localização do estádio, estacionamento, foram fundamentais para a exclusão do tricolor paulista.

A bola da vez era o Palmeiras, apesar de um projeto audacioso, que tinha como objetivo remodelar o antigo Palestra Itália, nos moldes europeus, através de uma parceria com a construtora W Torres. A arena alviverde mesmo com todos os requisitos, não foi construída a tempo, e não possuía alguns requisitos que por sua vez, a entidade maior do futebol exigia.

A Arena Corinthians, como um projeto de alto padrão, com tecnologia, conforto, localização, como exemplo: a interligação do trem e metrô, shoppings, trouxe toda estrutura otimizada pela FIFA e a organizadores da Copa. Corintianos tem hoje o orgulho de dizer: ‘Temos uma Arena que sediou uma Olimpíada e uma Copa do Mundo’.

Algo raro, se pensarmos, em um ciclo tão curto. Duas competições de impacto, que só afloram o ego dos alvinegros. Do outro lado, a ira e inveja dos rivais. Verdade seja dita, os holofotes são merecidos, foi construída uma Arena que pensa no torcedor, os dá todo conforto, sejam contra ou a favor, um estádio que realmente trata o fã do esporte, com o mesmo respeito e dignidade, que cada um merece.