Empresa que produz Biscoito Globo ironiza críticas de jornal dos EUA: “muito obrigado”

biscoito globo new york times
Crédito da foto: Reprodução/Facebook

Violência? Assalto aos atletas? Nada disso, depois de falar sobre a sunga brasileira o The New York Times resolveu criticar o tradicional e símbolo carioca, biscoito Globo. Mas aqui é Brasil, e a marca respondeu nas redes sociais.

Leia mais:

DIÁRIO “OLÉ” ZOA COM A ELIMINAÇÃO BRASILEIRA NO BASQUETE MASCULINO

ANDRESSINHA PERDE PÊNALTI, CHORA E É FLAGRADA SE QUESTIONANDO: “POR QUE, DEUS?”

Avaliando o contexto, talvez o The New York Times nem possa ser ‘condenado’, pelas críticas feitas por um de seus colunistas, David Segal. A matéria saiu na edição de sábado (13). Após conhecer a fábrica e provar o biscoito Globo, o jornalista David Segal, autor da matéria, afirmou que é um alimento “sem gosto”.

O texto descreve os biscoitos como “ar transformado em bolacha, em forma de anel”. “Coloque um na sua boca e será como se seus dentes estivessem em uma festa para a qual sua língua não foi convidada”, afirmou. Porém, isso nada mais é que uma questão de gosto, mas o jornalista não criticou apenas um biscoito, ou um biscoito qualquer ele criticou um grande símbolo do Rio de Janeiro. Para quem já foi ao Rio, sabe que é impossível não sentar em uma das praias e não comer o tradicional biscoito e geralmente tomar um mate gelado.

A matéria foi produzida por causa dos Jogos Olímpicos Rio-2016, em vídeo eles chegaram a entrevistar os turistas que estão aqui para os jogos e estavam na praia experimentando o biscoito que tem uma versão doce e outra salgada;

biscoito globo new york times
Crédito da foto: Reprodução/Facebook

Agora a conta oficial do Biscoito Globo no facebook resolveu de forma muito bem-humorada e brasileira, agradecer as críticas do jornal: Obrigado, New York Times! Uma crítica negativa, nunca repercutiu tão positivamente para uma marca.#somostodosbiscoitoglobo.



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."