Francês perde o Ouro para o brasileiro e reclama da torcida

Foto: Shaun Botterill/Getty Images

O brasileiro Thiago Braz encantou o mundo colocando o recorde olímpico no salto com vara em um novo patamar, ao saltar 6,03 e derrotar o francês Renaud Lavillenie que ainda tentou saltar 6,08 mas sem conseguir, teve de se contentar com a medalha de prata.

LEIA MAIS

PALAVRÃO ‘ESCAPA’ NO SPORTV EM TRANSMISSÃO DO OURO DE THIAGO BRAZ; ASSISTA

No entanto chamou a atenção que enquanto o brasileiro e o americano, que ficou com o bronze comemorava com a torcida enrolados nas bandeiras de seus países, o francês optou por fechar o semblante e não comemorou. Logo em seguida deixou claro que estava inconsolável quando direcionou parte de sua frustração para a torcida ao postar no twitter a seguinte reclamação:

“There was no fair play from the public. It is for football, not track and field.”

“For the Olympics it is not a good image. I did nothing to the Brazilians.”

“In 1936 the crowd was against Jesse Owens. We’ve not see this since. We have to deal with it.”

 

Que pode ser traduzido como:

“Não houve nenhum fair play por parte do público. Isto serve para o futebol, não para o atletismo.”

“Para os Jogos Olímpicos não é uma boa imagem. Eu não fiz nada para os brasileiros.”

“Em 1936, a multidão era contra Jesse Owens. Nós não vimos nada assim desde então. Temos que lidar com isso.”

 

O comentário pode ser apenas por não estar acostumado a ouvir uma torcida tão barulhenta e apaixonada como a brasileira, que não se importa se o atleta é jogador de futebol, basquete, atletismo ou natação. A torcida brasileira joga junto com seus atletas, ovacionando seus ídolos e vaiando efusivamente os adversários. No entanto seu comentário acabou causando uma fúria generalizada por parte dos seguidores que acompanharam a postagem pelo twitter do Olympic News Service, onde as pessoas acharam de péssimo tom a comparação que ele fez pois em 1936 o atleta negro Jesse Owens enfrentava uma platéia quase que inteiramente composta de alemães no auge do nazismo, e em absolutamente nada tem a ver com o tipo de pressão que o atleta enfrentou durante a prova.

Em uma demonstração de falta de espírito olímpico, o atleta francês mostrou que não sabe gerenciar muito bem esta derrota, mas que agora terá voltar a treinar muito forte para bater o novo dono do recorde do salto com vara, nosso brasileiro Thiago Braz.