GINASTA BRASILEIRA VAI USAR MAIÔ INSPIRADO EM MUSAS DO CARNAVAL NO RIO 2016

Reprodução/Instagram Oficial

A capixaba Natalia Gaudio, da ginástica rítmica , usará no dia 19 de agosto na prova de fitas, um maiô inspirado nas musas do carnaval. A peça foi confeccionada pelo estilista português Rodrigo Santos, de 19 anos, e conta com mais de 5 mil cristais svarovski cravejados e com aplicações de penas e pode custar até 1,5 mil euros (aproximadamente R$5,4 mil). O valor e a peça por enquanto estão mantidos em sigilo.

“É a peça mais luxuosa que a Natalia vai usar na olimpíada”, conta o estilista que produziu a peça com o irmão gêmeo. “É  um trabalho em três dimensões, que demorou cerca de um mês para ficar pronto. Ela pediu algo especial, já que ela vai disputar no próprio país. O collant é muito sofisticado, a ideia é impressionar”, antecipa Rodrigo.

LEIA MAIS: DICA PARA AS LEITORAS DO TORCEDORES.COM

Maiô com regras

O figurino não melhora a pontuação nas apresentações, mas pode prejudicar a atleta caso não esteja dentro das regras. A vestimenta não pode ser cavada ou decotada e tem que ser compatível com o tema musical escolhido. Mas não dá para negar que as peças tem ganhado mais importância na vida das ginastas. O impacto visual por uma peça bonita e bem feita pode afetar indiretamente os jurados.

“Quanto mais profissional, mais a atleta investe nos collants”, conta Rodrigo, que cita como exemplo a equipe russa. Uma peça de uma atleta da Russia pode chegar a custar até R$ 9 mil. ” Elas têm essa tradição de investir no que vestem. Se dedicam tanto a isso quanto aos treinamentos”.

Natalia, que já teve peças criadas por Santos para a Copa do Mundo de Lisboa, conta que costuma ter uma relação de apego com alguns dos maiôs usados por ela em provas. Nem todos as vestimentas usadas por ela foram recicladas ou vendidas, o que é um procedimento comum para recuperar parte do investimento, já que as peças não saem por menos de 350 euros.

” Alguns eu tenho ciúme, normalmente guardo os que eu considero mais importante. Fiquei com os que eu disputei no Pan de Toronto e no Mundial do ano passado, por exemplo”, explica a ginasta.