GUIA RIO 2016 TORCEDORES.COM – SAIBA TUDO SOBRE O CICLISMO MOUNTAIN BIKE

O Torcedores.com continua seu especial para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 que conta um pouco da história de cada esporte olímpico, algumas curiosidades para você contar por aí, além de informar os favoritos das provas e quem são os brasileiros nelas. Falaremos um pouco do Ciclismo Mountain Bike, uma das modalidades mais desgastantes dos Jogos Olímpicos

LEIA O GUIA RIO 2016 DE OUTROS ESPORTES:
ATLETISMO, BADMINTONBASQUETE MASCULINO, BASQUETE FEMININO, BOXECANOAGEM VELOCIDADECANOAGEM SLALOM, CICLISMO BMX, CICLISMO ESTRADA, CICLISMO MOUNTAIN BIKE, CICLISMO PISTA,  ESGRIMAFUTEBOL MASCULINOFUTEBOL FEMININO, GINÁSTICA ARTÍSTICA, GINÁSTICA RÍTMICA, GINÁSTICA DE TRAMPOLIM, GOLFEHANDEBOLHIPISMO, JUDÔ, LEVANTAMENTO DE PESO, LUTA, MARATONA AQUÁTICA, NADO SINCRONIZADO, NATAÇÃO, PENTATLO MODERNOPOLO AQUÁTICO, REMORUGBY DE SETE, SALTOS ORNAMENTAIS,TAEKWONDOTÊNISTÊNIS DE MESA,TIRO COM ARCOTIRO ESPORTIVO, TRIATLO, VELAVÔLEI FEMININO,  VÔLEI MASCULINOVÔLEI DE PRAIA

Por Erik Ulysses e Rafael Freitas

 

INTRODUÇÃO: Assim como o BMX, o Mountain Bike também surgiu nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia. Nos anos 1970, os norte-americanos em busca de novas aventuras e mais adrenalinas em suas pedaladas, resolveram levar a bicicleta para um novo lugar. Entre montanhas, terrenos acidentados, trilhas no meio da mata, acabou por surgir o Mountain Bike. Para ajudar na divulgação do mais novo esporte, foi realizado entre os anos de 1976 e 1979 um campeonato em San Francisco, próximo à ponte Golden Gate. Esse, que foi considerado um dos primeiros torneios da modalidade, acabou por atrair muitas pessoas. Com o crescimento nos Estados Unidos, o Mountain Bike acabou chegando a outros continentes, e em 1990 a União Ciclística Internacional (UCI) realizou o primeiro mundial da modalidade. Em uma prova tão desgastante os atletas precisam ter uma boa resistência, destreza e conhecimento de seus equipamentos.

VOCÊ SABIA?

  • Você sabia que a os pneus das bicicletas do Mountain Bike são mais largos do que os pneus das bicicletas de estrada? E que além disso eles contam com amortecedores? Isso tudo para diminuir os impactos causados pelos terrenos
  • Você sabia que se a bicicleta quebrar ou precisar de qualquer outro reparo durante uma competição o próprio ciclista deve concertá-lo ou então carregar a bicicleta até a área de assistência onde os mecânicos farão os reparos?

moutain bike annika

HISTÓRICO

Em 1996, em Atlanta, o Mountain Bike fez a sua estreia em Jogos Olímpicas. Na primeira edição,a prova foi vencida pela italiana Paola Pezzo, feito que se repetiu na edição seguinte. Entre os homens, a medalha foi conquistada pelo holandês Bart Bretjens. Somando as provas masculina e feminina, tem-se um total de dez medalhas de ouro distribuídas até os Jogos de Londres em 2012. Dessas, a França é detentora de quatro e a Itália de duas. Inventores da modalidade, os americanos somam apenas duas medalhas de bronze na prova feminina.

MASCULINO

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Após passar perto por duas edições seguidas, o suíço Nino Schurter (foto) tentará ganhar finalmente o seu primeiro ouro olímpico. O medalhista de bronze em 2008 e de prata em 2012 estará no Rio de Janeiro como o grande favorito da prova. Somente neste ciclo olímpico, o suíço conseguiu três títulos mundiais, o que dá ainda mais confiança na busca pelo ouro que falta. Tentando adiar a festa do suíço por mais uma vez aparecem ciclistas como os franceses Julien Absalon e Maxime Marotte. Presenças constantes em pódios de mundiais e do circuito internacional, os franceses tentarão levar para a França a quinta medalha de ouro do país na modalidade. Fique atento também aos tchecos Ondrej Cink e Jaroslav Kulhavy, atual campeão olímpico, ao alemão Manuel Fumic e ao italiano Marco Aurélio Fontana.

nino mountIN BIKE

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Nino Schurter: Três títulos mundiais no período, 2013, 2015 e 2016

Maxime Marotte: Foi medalhista de prata no Evento Teste realizado no Rio de Janeiro no ano passado. Venceu várias etapas da Copa do Mundo desse ano

Jaroslav Kulhavy: Atual campeão olímpico, foi vice-campeão mundial esse ano

Julien Absalon: Campeão mundial em 2014, prata em 2015 e bronze em 2016

Manuel Fumic: Medalhista de prata no mundial de 2013

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL E QUAIS AS SUAS CHANCES?

Henrique Avancini (foto) passa por uma das melhores fases de sua carreira. Quinto colocado no Evento Teste do ano passado, Henrique estará no Rio de Janeiro como o 22º colocado do ranking mundial. Medalhista de prata no Pan Americano desse ano e com boas participações no circuito mundial, Henrique possui condições de chegar entre os 15 primeiros ou até mesmo entre os 10, o que seria algo inédito para o país.

henrique ciclismo moutain bike

O mineiro Rubens Donizete participará de sua terceira Olimpíadas. Medalhista de prata no Pan Americano do Rio de Janeiro em 2007, ele tentará em terras cariocas melhorar o seu 24º lugar conquistado em Londres 2012.

PALPITE DO GUIA

ouro: Nino Schurter

prata: Jaroslav Kulhavy

bronze: Julien Absalon

Brasileiro: Henrique Avancini em 12º e Rubens Donizete em 20°

 

FEMININO

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: A dinamarquesa Annika Langvad (foto) está entre as favoritas na prova feminina. Com três títulos em seis etapas disputadas da Copa do Mundo em 2016 e o título no campeonato mundial, ela faz uma ótima temporada. Quem também chama atenção é a suíça Jolanda Neff, bicampeã da Copa do Mundo e que também levou o ouro nos Jogos Europeus do ano passado. Pauline Ferrand-Prevot, da França, Sabine Spitz, da Alemanha, Lea Davison, dos Estados Unidos, e Catharine Prendel, do Canadá, certamente estarão na briga por uma medalha. Fique de olho também em Maja Wloszczowska, da Polônia, Eva Lechner, da Itália, e Irina Kalentieva, da Rússia.

moutain bike annika

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Annika Langvad: Atual campeã mundial

Jolanda Neff: Campeã dos Jogos Europeus. Chegará ao Rio como a segunda do ranking mundial

Catharine Prendel: Campeã mundial de 2014

Pauline Ferrand-Prevot: Campeã mundial de 2015

Lea Davison: Medalha de prata no mundial de 2016

Irina Kalentieva: Vice no mundial de 2015

Eva Lechner: Campeã do Evento Teste no Rio de Janeiro em 2015

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL E QUAIS AS SUAS CHANCES?

A goiana Raiza Goulão (foto) tem 25 anos de idade e ocupa atualmente a 13ª posição no ranking mundial. Assim como Henrique Avancini, Raiza também foi medalha de prata no Pan americano desse ano. Terminar entre as 15, assim como no caso do masculino, já seria um resultado muito bom. As chances de medalha são baixas

RAIZA GOULAO CICLISMO MOUTAIN BIKE

PALPITE DO GUIA:

ouro: Annika Langvad

prata: Jolanda Neff

bronze: Catharine Prendel



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.