GUIA RIO 2016 TORCEDORES.COM – SAIBA TUDO SOBRE A NATAÇÃO

O Torcedores.com continua seu especial para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 que conta um pouco da história de cada esporte olímpico, algumas curiosidades para você contar por aí, além de informar os favoritos das provas e quem são os brasileiros nelas. Falaremos um pouco da Natação, uma das modalidades mais apreciadas das Olimpíadas e na qual o Brasil possui chances de medalha

LEIA O GUIA RIO 2016 DE OUTROS ESPORTES:
ATLETISMO, BADMINTONBASQUETE MASCULINO, BASQUETE FEMININO, BOXECANOAGEM VELOCIDADECANOAGEM SLALOM, CICLISMO BMX, CICLISMO ESTRADA, CICLISMO MOUNTAIN BIKE, CICLISMO PISTA,  ESGRIMAFUTEBOL MASCULINOFUTEBOL FEMININO, GINÁSTICA ARTÍSTICA, GINÁSTICA RÍTMICA, GINÁSTICA DE TRAMPOLIM, GOLFEHANDEBOLHIPISMO, JUDÔ, LEVANTAMENTO DE PESO, LUTA, MARATONA AQUÁTICA, NADO SINCRONIZADO, NATAÇÃO, PENTATLO MODERNOPOLO AQUÁTICO, REMORUGBY DE SETE, SALTOS ORNAMENTAIS,TAEKWONDOTÊNISTÊNIS DE MESA,TIRO COM ARCOTIRO ESPORTIVO, TRIATLO, VELAVÔLEI FEMININO,  VÔLEI MASCULINOVÔLEI DE PRAIA

Por Erik Ulysses e Rafael Freitas

 

INTRODUÇÃO: a natação é um dos esportes mais tradicionais da história da humanidade. Surgiu na pré-histórica, como instinto básico do homem para se locomover e caçar. Já era praticada no Egito antigo, além de muito difundida nas academias militares do Império Romano. Começou a se tornar um esporte organizado no século XIX, mais especificamente na Inglaterra, quando a National Swimming Society of Great Britain (Sociedade Nacional de Natação do Reino Unido) foi criada. Ela organizava disputas no rio Tâmisa e os nadadores utilizavam basicamente o estilo peito ou algo muito semelhante a ele para competir. entrou como um dos esportes dos Jogos Olímpicos de 1896 em Atenas, Grécia, somente com homens competindo. Quatro provas foram realizadas: 100m, 200m e 500m no nado livre. Hoje em dia, as provas são praticamente as mesmas entre homens e mulheres. São 16 provas masculinas e 16 femininas, com disputas individuais nos quatro estilos – livre, peito, borboleta e costas – e revezamentos. A única diferença é que no nado crawl, as mulheres nadam 800m e os homens 1500m.

VOCÊ SABIA?

  • Que o estilo peito é inspirado no modo que os sapos nadam?
  • Que o amendoim é um alimento muito utilizado pelos nadadores para dar energia?
  • Que a natação é considerada tão boa para o relaxamento e diminuição do stress como a meditação?
  • Que apenas em 1922 um homem conseguiu nadar os 100m nado livre abaixo da barreira de 1 minuto? Hoje em dia, o recorde mundial é de 46.91 segundos!
  • Que os Estados Unidos ganharam TODAS as provas da natação nos jogos de 1948, em Londres?

natacao pista

PRIMEIRO DIA

400m MEDLEY MASCULINO

A prova que tradicionalmente abre os calendários olímpicos. Considerada por quase todos os nadadores como a prova mais desgastante de todas, tem mais uma vez, os americanos como os maiores vencedores. Desde 1964, são oito medalhas de ouro e 18 medalhas no total. Em segundo lugar aparece a Hungria com dois ouros. Os americanos não perdem a prova desde os jogos de Atlanta 1996, mas devem perder o trono esse ano, já que Phelps abriu mão da prova e o atual campeão olímpico, Ryan Lochte não conseguiu a vaga.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Grande favorito ao título, o japonês Kosuke Hagino (foto) é o único remanescente do último pódio olímpico. Na atual temporada o japonês conseguiu a marca de 4:08:85 e lidera o ranking mundial, mas é de 2013 a sua melhor marca, 4:07:61. A maior ameaça de Hagino vem de casa, o compatriota Daya Seto. Atual bicampeão mundial da prova, Daya tem como a sua melhor marca um 4:08:50. Mesmo sem os seus dois maiores nomes dos últimos anos na prova, o americanos continuam fortes na prova com Jay Litherland e especialmente Chase Kalisz. David Verraszto da Hungria também pode incomodar os favoritos da prova. Fique de olho também em Max Litchfield, da Alemanha, em Thomas Fraser Holmes da Grã Bretanha e Federico Turrini da Itália.

 kosuke hagino natacao

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Kasuke Hagino: Apesar de ausente no pódio dos dois mundiais, Kosuke segue favorito com sua marca de 04:07:61 de 2013 e a melhor da temporada de 04:08:85

Daya Seto: O japonês conseguiu a medalha de ouro nos dois mundiais do ciclo, em 2013 e 2015

David Verraszto: Medalha de prata no mundial de Kazan em 2015

Chase Kalisz: Medalhista de prata em Barcelo 2013 e de bronze no mundial de Kazan 2015

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

brandonn almeida natacao

Atual medalhista de prata olímpica, Thiago Pereira acabou optando por abrir mão de disputar a prova que lhe rendeu sua única medalha olímpica. Assim, coube apenas ao jovem nadador Brandon Almeida (foto) representar o Brasil nessa prova que já rendeu ao país duas medalhas de prata em Olimpíadas. Atual campeão dos jogos Pan Americanos, Brandon abriu mão de disputar o último mundial adulto para focar no mundial juvenil, onde tinha boas chances de medalha. O resultado foi a medalha de prata na prova. Para tentar chegar até a final, Brandon precisará nadar para a casa de 4:13.

AJUDA PARA TORCER

Para se chegar na final o tempo necessário deve ficar entre 4:13 e 4:14. Porém, com as ausências de Michael Phels, Ryan Lochte e Thiago Pereira, a marca para entrar na final deve ser mais fraca.

Para se chegar em uma medalha deve ser necessário nadar entre 4:08 e 4:09. O ouro deve ficar por volta de 4:07.

PALPITE DO GUIA:

Ouro: Kosuke Hagino (Japão)

Prata: Daya Seto (Japão)

Bronze: Chase Kalisz (Hungria)

Brandonn Almeida tem totais condições de entrar na final. Apostamos que o fator casa pode contribuir para isso. Nossa aposta é que ele seja finalista e termine em oitavo lugar.

 

400m LIVRE MASCULINO

A prova entrou no programa olímpico no ano de 1908, em Londres. São 24 provas disputas e apesar dos Estados Unidos liderarem com nove medalhas de ouro, a Austrália está na cola com seis títulos. Outros nove países já venceram a prova, mas nenhum deles por mais de uma vez. .

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Uma prova que promete ser bastante disputada entre o chinês Sun Yang, o australiano Mack Horton e o britânico James Guy. O chinês parte como atual campeão olímpico e bicampeão mundial no ciclo. O australiano tem a melhor marca da temporada com 3:41.65 durante a seletiva nacional. Já o britânico vem da medalha de prata no mundial de Kazan em 2015. Um outro nome forte da categoria é o do sul-coreano Park Tae Hwan, campeão olímpico de 2008 e medalhista de prata nas Olimpíadas de 2012. Park foi pego no antidoping com anabolizantes, recebeu uma punição de 18 meses. Entretanto, o Comitê Olímpico da Coréia do Sul queria que a pena fosse estendida para três anos, o que o deixaria de fora da Rio 2016. Park então recorreu na Corte Arbitral do Esporte e ganhou o direito de disputar os jogos, mas a sua real condição física ainda é uma incógnita. Outros nomes para se ficar atento é o do canadense Ryan Cochrane e dos norte-americanos Connor Jaeger e Conor Dwyer.

Sun Yang

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Sun Yang: Atual campeão olímpico. Bicampeão mundial no ciclo, levando o ouro em 2013 e 2015.

James Guy: Medalhista de prata no mundial do ano passado. Bronze no campeonato europeu desse ano

Ryan Cochrane: Campeão Pan Americano de 2015 e bronze no mundial de 2015

Mack Horton: Dono da melhor marca do ano com 3:41.65. Foi campeão mundial juvenil em 2013 na prova

Connor Jaeger: Medalha de bronze no mundial de Barcelona, 2013. Tem como melhor marca 3:43.79

Kosuke Hagino: Medalha de prata no mundial de 2013

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O representante brasileiro no Rio de Janeiro é o jovem Luiz Altamir (foto), de 20 anos. Nadador do Flamengo, Altamir bateu no ano passado o recorde brasileiro júnior com 3:50.32. Indo para sua primeira Olimpíada, uma boa meta para ele seria bater o recorde brasileiro adulto de 3:49.62. As chances de final ou medalha são baixas

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial pertence ao alemão Paul Biedermann de 2009, 3:40.07

Para se chegar na final o tempo necessário deve ficar por volta de 3:47 baixo.

A briga pelo ouro deve ser em torno de 3:41 baixo e o bronze em 3:43 médio.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Sun Yang (China)

prata: Mack Horton (Austrália)

bronze: James Guy (Grã-Bretanha)

 

400m MEDLEY FEMININO

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Já no primeiro dia começa o show da húngara Katinka Hosszu,(foto) A Dama de Ferro. Por nadar muitas provas e nos mais variados estilos, recebeu o apelido que faz referência à polemica ex-primeira ministra britânica, Margareth Tatcher. Hosszu, atual campeã mundial da prova, inicia sua maratona olímpica na prova que é sua maior especialidade.

Medalhista de prata no mundial de Barcelona em 2013, Miréia Belmont pode ser uma sombra para Katinka. As americanas Elizabeth Beisel e Maya Dirado também tentarão ameaçar o reinado da húngara. As três, juntamente com a britânica Hanna Miley, já nadaram para 4:31 no atual ciclo olímpico, ainda um pouco distante dos 4:29:82 de Katinka. Também fique de olho na britânica Aymee Wilmott, na japonesa Sakiko Shimizu e em mais uma das jovens promessas canadenses, Emily Overholt, de 19 anos.

 katinka natacao

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Katinka Hosszu: Bicampeã mundial no ciclo, quarta colocada nas Olimpíadas de Londres. Venceu esse ano o Campeonato Europeu de natação

Mireia Belmonte: A estrela da natação espanhola foi medalhista de prata no mundial disputado em casa, em 2013

Elizabeth Beisel: Bronze no mundial de Barcelona em 2013

Maya Dirado: Medalhista de prata no mundial de Kazan, ano passado

Emily Overholt: medalhista de bronze no mundial de 2015, ouro nos jogos Pan Americanos de Toronto 2015.

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Única representante brasileira, Joanna Maranhão (foto) foi finalista dessa prova nas Olimpíadas de Atenas em 2004, quando tinha apenas 17 anos. A pernambucana ainda participou da prova na edição de 2008. Em 2012, também classificada, acabou passando mal na manhã da prova, sofreu uma queda no banheiro e acabou não nadando. Joanna vem evoluindo muito nos últimos anos nessa prova, mas ainda deverá ficar fora da final, que não tem semifinais, apenas a fase de qualificação e a final.

joanna maranhao

AJUDA PARA TORCER

Katinka Hosszu deve nadar facilmente para 4:29, o que pode lhe garantir a medalha de ouro.

A briga pela prata e o bronze deve ser intensa. No mundial do ano passado, o bronze acabou ficando com Emily Overholt, com a marca de 4:32:32, mas para esse ano, o bronze deve sair para 4:31. No último mundial, o tempo para a final ficou em 4:38.77, enquanto em Londres 2012 foi 4:36.92.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Katinka Hosszu (Hungria)

prata: Maya Dirado (EUA)

bronze: Elizabeth Beisel (EUA)

Joanna Maranhão: Joanna deve se aproximar da final, mas deve bater na trave com um 10° lugar.

 

4x100m LIVRE FEMININO

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

Uma das provas com o favoritismo mais decantado dos jogos. Com as duas melhores nadadoras da atualidade na disputa, o ouro dificilmente escapará das australianas (foto). Atuais campeãs olímpica e mundial, as australianas também possuem o recorde mundial de 3:30.98 feito em 2014. A disputa da prata deve ser acirrada entre a Holanda e os Estados Unidos. Um pouco atrás dessas duas seleções estão as equipes da Suécia e do Canadá. A Itália da estrela e polêmica, Federica Pelegrinni e a França também devem estar na final.

 australia 4x100 fem

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Austrália: Atuais campeãs olímpicas, ainda foram ouro no mundial de 2015 e prata no mundial de 2014. Em 2014 quebraram o recorde mundial com a marca de 3:30.98

Estados Unidos: Campeãs mundiais em 2013 e bronze no mundial de 2015

Holanda: Campeãs do Europeu de 2016, foram prata no mundial de 2015 e bronze no mundial de 2013

Estados Unidos: Ouro no mundial de 2013 e bronze no mundial de 2015

Suécia: Quarto lugar no mundial de 2015, bronze no Europeu de 2016

Itália: Finalista do mundial de 2015 e bronze no Europeu de 2016

Canadá: Quinto colocado no mundial de 2015, campeãs do Pan Americano de Toronto

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O revezamento 4×100 livre do Brasil deverá ser composto por Etiene Medeiros, Larissa Oliveira, Manuela Lyrio e Daynara de Paula. Durante os Jogos Pan Americanos de Toronto 2015, as brasileiras bateram o recorde sul-americano com 3:37.39, marca que se fosse repetida durante o mundial de Kazan teriam dado a elas uma vaga na final.

Revezamento 4x100 medley. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 18 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

AJUDA PARA TORCER

A vaga para a final deve ficar na casa de 3:37, um tempo bem possível de ser atingido pelas brasileiras, principalmente devido ao bom momento vivido por Etiene Medeiros, Larissa Oliveira e Manuela Lyrio.

A medalha de bronze no último mundial foi para as americanas com 3:34.61. Para o ouro, as australianas devem ter como foco baterem novamente o recorde em águas cariocas, hoje em 3:30.98.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Austrália

prata: Holanda

bronze: Estados Unidos

Brasil: Buscando fazer história no Rio, as meninas do revezamento precisarão nadar na faixa do recorde sul-americano, se possível até batê-lo. O guia aposta em uma final e um sétimo lugar para elas.

 

DIA 2

100m BORBOLETA FEMININO O nado borboleta entrou no programa olímpico para as mulheres em 1956. Nas 15 edições disputadas as americanas venceram por seis vezes, a Alemanha Oriental e a Austrália venceram por três vezes cada. No Rio, as eliminatórias dos 100 metros peito feminino serão realizadas no dia 06 e a final será disputada no dia 07.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

Sarah Sjostrom (foto) é outra barbada olímpica para aqueles que querem fazer apostas. A recordista mundial da prova com 55.64, alcançados no Mundial de Kazan 2015, bateu na trave dos Jogos de Londres quando acabou em quarto lugar, e agora promete não deixar a medalha escapar. As americanas Dana Vollmer e Kelsi Worrel, juntamente com a dinamarquesa Jeanette Ottense devem travar uma briga acirrada pelas outras duas medalhas. As chinesas Xinye Chen e Ying Lu e a japonesa Rikako Ikee formam o trio asiático que quer surpreender as favoritas. Vale ficar atento em outra jovem estrela canadense em plena ascensão, Penny Oleksiak de apenas 16 anos.

sarah sjostrom

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Sarah Sjostrom: Bicampeã mundial em 2013 e 2015, foi quarta colocada em Londres.

Dana Vollmer: Atual campeã olímpica e primeira mulher a nadar abaixo de 56 segundo. Foi medalha de bronze no mundial de 2013

Jeanette Ottensen: Medalhista de prata em 2015

Kelsi Worrel: Apesar de não ter subido ao pódio em mundiais no ciclo chega ao Rio com a marca de 56.48, sua melhor no período

Lu Yang: Atual medalhista de bronze mundial

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

daynara natacao

O Brasil será representado por duas atletas. A veterana em Olimpíadas, Daynara de Paula (foto) e a estreante Daiene Dias. As marcas alcançadas pelas duas as credenciam a disputarem as semifinais no Rio de Janeiro. Final é algo muito mais difícil.

 

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial de Sarah Sjostrom é de 55.64s, alcançado no mundial de 2015.

O ouro deve sair para menos de 55.9s, e um novo recorde mundial para Sarah

O bronze deve sair por volta de 56.5s

A marca de 57s deve render uma final nos jogos.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Sarah Sjostrom (Suécia)

prata: Dana Vollmer (EUA)

bronze: Jeanette Ottensen (Dinamarca)

Brasileiras: O objetivo das duas é alcançar as semifinais.

 

100m PEITO MASCULINO disputada desde as Olimpíadas do México, os 100 metros peito distribuiu 12 medalhas de ouros, sendo que os americanos levaram quatro medalhas de ouro. Na cola estão os japoneses com três ouros e os britânicos com dois. A disputas dos 100 peito no Rio terão início no dia 06 com a final no dia 07.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

O britânico Adam Peaty (foto) tem um imenso favoritismo Atual detentor do recorde mundial de 57.92, consegue colocar quase um décimo de segundo sobre os seus rivais, uma enorme diferença quando se trata de natação. Cameron van der Burgh da África do Sul é o atual campeão olímpico, mas terá muito trabalho se quiser manter o título. Quem também entra forte na briga pelas medalhas é a dupla americana Kevin Corders, com o tempo de 58.94 e Cody Miller, com 59.06. É também nos 100 metros peito que temos uma das provas mais fortes do Brasil. E não com apenas uma chance, mas sim com duas, com João Gomes Junior e Felipe França. Na prova também vale ressaltar o britânico Ross Murdoch, o lituano Giendrius Titenis e o chinês Wang Lizhou.

adam peaty foto

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Cameron van der Burgh: Atual campeão olímpico, o sul-africano foi medalhista de prata nos dois mundiais do ciclo.

Adam Peaty: Campeão mundial de 2015. Estabeleceu novo recorde mundial também em 2015

Kevin Cordes: Sétimo colocado no mundial de 2013. Fez seu melhor tempo na seletiva americana, 58.94

Giendrius Titenis: Finalista do mundial de 2015

Felipe França: Semifinalista no mundial de 2015, campeão dos Jogos Pan Americanos de Guadalajara

Ross Murdoch: Medalha de bronze no mundial de 2015

João Gomes Junior: Conseguiu sua melhor marca no Maria Lenk desse ano, 59.06

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Uma dupla forte para brigar por medalhas. Assim chegam Felipe França e João Gomes Junior (foto) para as Olimpíadas disputas em casa. João Gomes Junior conseguiu no Maria Lenk a excelente marca de 59.06, o que o coloca em terceiro lugar do ranking na temporada. Presença frequente em seleções brasileiras, João na piscina longa tem a chance no Rio de Janeiro de conseguir o primeiro resultado expressivo na carreira. Felipe França vem a tempos batendo na trave para entrar em finais das grandes competições. Especialista nos 50 metros, prova não olímpica, Felipe também tenta se colocar definitivamente entre os gigantes da categoria. Também no Maria Lenk, conseguiu uma marca expressiva, 59.26. Os dois estarão no Rio na briga direta pelo pódio.

joao gomes jr foto

AJUDA PARA TORCER

Adam Peaty chegará ao Rio para tentar bater o seu próprio recorde mundial, de 57.92 a medalha de bronze deve ficar por volta de 58.8.

Com o nível cada vez mais forte na prova, quem quiser chegar até a final deverá nadar na casa de 59.7.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Adam Peaty

prata: Cameron van der Burgh

bronze: João Gomes Junior

Brasileiros: Os dois, se nadarem próximos de suas marcas estarão na final. Ao menos um pódio entre eles é possível de acontecer. Com melhor tempo esse ano, apostamos em João Gomes com a medalha de bronze e Felipe França em quinto.

 

400m LIVRE FEMININO Uma das provas mais antigas da natação feminina nas Olimpíadas. Disputada pela primeira vez em 1920, só fica atrás dos 100 metros livres e do 4×100 metros livres. As americanas ao longo dos anos conquistaram dez medalhas de ouro e 26 no total. Com duas campeãs aparecem a Alemanha Oriental, a Austrália e a França, que inclusive foi a última campeã com Camille Muffat, falecida em 2015 em um acidente aéreo na Argentina enquanto gravava para um reality show francês. Os 400 metros livres feminino terá sua final disputada no dia 07 de agosto, o segundo dia de disputas.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Bicampeã mundial, recordista mundial, maior nome da delegação feminina dos Estados Unidos. Katie Ledecky (foto), a garota prodígio de 19 anos começará sua saga por medalhas nos 400 metros livres, prova em que bateu o recorde mundial no Pan Pacífico de 2014. Com um tempo de quase dois segundos atrás de Ledecky aparece sua compatriota, Lea Smith. Brigando pelo bronze podemos ter até quatro atletas em boas condições. Jessica Ashwood da Austrália, Boglarka Kapas da Hungria, a holandesa Sharon von Rowendaal e a canadense Britany Maclean. Todas já nadaram para abaixo de 4:03.5. Melanie Acosta da Espanha e Lauren Boyle da Austrália foram medalhistas mundiais no ciclo e também merecem atenção.

katie ledecky favoritos

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIAIS PARTICIPANTES:

Ketie Ledecky: Bicampeã mundial no ciclo. Detentora do recorde mundial da prova

Lea Smith: Apesar de ter feito um ciclo olímpico modesto, conseguiu na seletiva americana um dos melhores tempos de todo o ciclo, 4:00.65

Jessica Ashwood: Medalhista de bronze no mundial de 2013

Sharon von Rowendaal: Medalhista de prata no mundial de 2013

Britany Maclean: Sétima colocada em Londres. Tem como melhor marca 4:38.84

Melanie Acosta: Medalhista de prata no mundial de 2013

Lauren Boyle: Medalhista de bronze no mundial de 2013

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil não classificou nenhuma atleta nessa prova

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial foi estabelecido por Katie Ledecky em 2014 com 3:58.37. A nadadora americana tentará abaixar ainda mais a marca no Rio de janeiro. Como muitas das candidatas estão próximas pelo tempo, a tendência é que a marca para o bronze fique abaixo de 4:02:59.

A última vaga para a final no mundial ano passado ficou em 4:07.58. Para a competição no Rio, a vaga deve ficar na casa dos 4:06.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Katie Ledecky (EUA)

prata: Lea Smith (EUA)

bronze: Sharon von Rowendaal (Holanda)

 

4x100m LIVRE MASCULINO Ao contrário da prova feminina, o revezamento 4×100 livre masculino entrou no programa bem mais tarde, durante os jogos de 1964. Ausentes nos jogos de 76 e 80, a competição voltou em definitivo na edição de Los Angeles 1984. Até a edição de Sidney, em 2000, os americanos nunca haviam perdido uma disputa na prova. Foram sete medalhas de ouro consecutivas, interrompidas pela equipe da Austrália. Depois disso foram disputadas mais três Olimpíadas, com uma vitória da África do Sul, mais uma americana e a última edição vencida pela França (foto). As eliminatórias acontecerão no dia 06 e a final no dia 07.

franca revezamento foto

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Os australianos liderados por Cameron McEvoy e Kyle Chalmers chegarão ao Rio de Janeiro para tentarem confirmar o favoritismo do país da Oceania. A Rússia vive uma montanha russa de emoções. Uma das favoritas ao pódio, sofreu um duro golpe com a exclusão de alguns nadadores por envolvimento passado com casos de doping, incluindo Vladimir Morozov, o melhor velocista russo. Após apelar, o país teve seus nadadores liberados para competir. Devem brigar com Estados Unidos, França e Brasil pela medalha. São três países para dois lugares no pódio. Correndo por fora, aparece o time italiano.

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Austrália: Mesmo não tendo subido ao pódio no ciclo, tem a melhor soma nos quatro tempos

Estados Unidos: Medalha de prata em 2013. Ficaram de fora da final no mundial passado

França: Atual campeã olímpica. Venceu os dois mundiais do ciclo

Itália: Medalha de bronze em Kazan 2015

Brasil: Quarto colocado no último mundial, campeões dos Jogos Pan Americanos de 2015

Rússia: Bronze no mundial de 2013 e prata no mundial disputa em sua casa no ano passado

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil será representado por Marcelo Chierighini que tem a marca de 48.20, Nicolas Oliveira com 48.30, João De Lucca com 48.59, e Matheus Santana e seus 48.80. Com o foco no revezamento 4×100 e nos 100 metros livres, Nicola Oliveira inclusive abriu mão de nadar os 200 do mesmo estilo, prova que também tinha o índice. Com essas marcas, o Brasil entrará forte na disputa por um lugar no pódio, precisando melhorar um pouco na final para que isso se concretize.

 

AJUDA PARA TORCER

O atual recorde mundial pertence aos Estados Unidos, de 2008, na época dos trajes tecnológicos. Os 3:08.24 dificilmente serão superados esse ano. O ouro deve sair para quem nadar próximo de 3:09.8 e o bronze deve sair por volta de 3:10.5. Para se chegar na final, um 03:15.2 pode ser o suficiente.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Austrália

prata: França

bronze: Estados Unidos

Brasil: 4º lugar

 

200m LIVRE MASCULINO O 200 metros livre esteve presente pela primeira vez em 1900, na segunda edição das Olimpíadas. Depois de também marcar presença em 1904, a prova saiu do cronograma e só voltou depois de um longo período, nos jogos de 1968, na cidade do México.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Mais uma prova em que a estrela do chinês Sun Yang poderá brilhar. Vice-campeão da prova em Londres 2012, o chinês lidera o ranking mundial de 2016 com a marca de 1:44.82. Atual campeão olímpico, o francês Yannick Agnel (foto) não vive uma temporada, mas segue sendo um dos melhores do mundo. Assim como na prova dos 400m, James Guy, da Grã Bretanha e Conor Dwyer, dos Estados Unidos estarão na disputa e com grandes possibilidades. Assim como o brasileiro Nicolas Oliveira, o australiano Cameron McEvoy também abriu mão de disputar essa prova para focar no revezamento 4×100 e nos 100 metros livres. Assim, as chances do russo Danila Izotov, do japonês Kosuke Hagino, do alemão Paul Bierdemann e do holandês Sebastian Verschuren subirem ao pódio também aumenta.

yannick natacao

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Sun Yang: Vice-campeão olímpico e vice-campeão mundial de 2015.

Yannick Agnel: Atual campeão olímpico. Foi campeão mundial em 2013

James Guy: Atual campeão mundial

Conor Dwyer: Medalha de prata no mundial de 2015

Kosuke Hagino: Medalha de prata no mundial de 2013

Paul Bierdemann: Medalha de bronze no mundial de 2015

Danila Izotov: Medalha de bronze no mundial de 2013

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

joao de luca natacao

O Brasil teria dois representantes na prova, mas Nicolas Oliveira abriu mão da disputa para focar no revezamento. Assim, João de Lucca (foto) passou a ser o nosso único atleta inscrito na disputa. Campeão dos jogos Pan Americanos ano passado quando fez o seu melhor tempo na carreira e recorde sul-americano, João tentará chegar até a final. Para isso, vai ser necessário que ele nade abaixo do seu melhor tempo, 1:46.85.

AJUDA PARA TORCER

Para avançar à final do ano passado, foi necessário nadar para 1:46.45, um tempo muito forte, mas que ainda pode não render final nas Olimpíadas. Para a medalha de ouro a expectativa é que o campeão nade para 1:44 baixo, para o bronze 1:45.00

PALPITE DO GUIA:

ouro: Sun Yang(China)

prata: James Guy (Grã-Bretanha)

bronze: Conor Dwyer (Grã-Bretanha)

Brasileiro: João de Lucca brigará por final, mas apostamos em um 10º lugar

 

100m COSTAS FEMININO falar o dia que a prova será disputada

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: O recorde mundial de Gemma Spoffort, 58.12, de 2009, está prestes a ser quebrado. A candidata a tal feito é a australiana Emily Seebohm, atual campeã mundial. Seu melhor tempo, 58.26, a credencia nessa briga. A atual campeã olímpica, que não vem em uma fase muito boa, Missy Franklin, acabou sendo superada na disputa interna dos Estados Unidos por Olivia Smoliga e Khatleen Bake. A húngara Katinka Hosszu pode estar, nessa altura dos jogos, buscando a sua segunda medalha no Rio de Janeiro. Mie Nielsen, da Dinamarca, e Madison Wilson, da Austrália, também entram no páreo para o pódio. Correndo por fora estão a chinesa Haihua Chen, e a canadense Kylie Masse.

 emily seebohm australia

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Emily Seebohm: Atual campeã mundial, também levou a prata no mundial de 2015

Katinka Hosszu: Finalista do mundial de 2015. Já nadou para 58.78

Madison Wilson: Medalha de prata no mundial de 2015

Mie Nielsen: Medalha de bronze no mundial de 2015

Olivia Smoliga: Tem o quarto melhor tempo do mundo esse ano, com 59.02. Foi medalhista de prata no Pan de Toronto, quando perdeu para Etiene Medeiros

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Etiene Medeiros (foto) conseguiu no ano passado um dos maiores feitos da natação feminina do Brasil ao ganhar a medalha de ouro dos Jogos Pan Americanos nessa prova. Foi a primeira medalha de ouro da história da natação feminina em Pans. Foi também nadando o estilo costas, nos 50 metros (prova não olímpica), que Etiene conquistou a primeira medalha em mundiais de piscina longa para as mulheres do Brasil, no ano passado. Etiene deve chegar até as semifinais. Uma final na prova seria algo fantástico, mas ainda um pouco distante.

etiene medeiros

 

AJUDA PARA TORCER O atual recorde mundial pertence a Gemma Spoffort, da Alemanha, com 58.12. A marca perdura desde 2009. A medalha de ouro deve sair para próximo disso. Algo em torno de 58.7 pode render o bronze. Para a final, 59.6.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Emily Seebohm (Austrália)

prata: Katinka Hosszu (Hungria)

bronze: Madison Wilson (Austrália)

Brasileira: Etiene Medeiros chegará até as semifinais, e lá tentará uma final para a natação feminina, que não aconteceu em 2012. Se conseguir nadar para o seu melhor tempo, 59.61, pode conseguir esse feito.

 

100m COSTAS MASCULINO Presente desde os jogos de Saint Louis, 1904, os 100 metros costas já tiveram 24 medalhas de ouro distribuídas. Dessas, os americanos conseguiram 14, entre elas a do atual campeão, Matt Gravers. Japão, Alemanha Oriental e Austrália somam duas medalhas cada um. No Rio de Janeiro a final dos 100 metros costas será realizada no dia 08 de agosto.

mitch larkinn natacooao

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Uma das grandes ausências da natação americana para os jogos será a de Matt Gravers. Campeão olímpico em 2012, campeão mundial em 2013 e bronze em 2015, Gravers foi superado por dois compatriotas na seletiva americana, Ryan Murphy e David Plummer. Mitchel Larkin, da Austrália e Camile Lacourt da França devem se juntar aos americanos na briga pelo pódio. A dupla russa Evgeny Rylov e Grigory Tarasevich, o japonês Ryosuke Irie, o britânico Chris Herbborn e o chinês Xu Jiayu, correm por fora nessa briga.

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Camile Lacourt: Medalhista de bronze no mundial de 2015

Mitchel Larkin: Campeão mundial de 2015

David Plummer: Medalha de prata no mundial de 2013

Ryan Murphy: Melhor tempo do ano no mundo. Surpreendeu o mundo ano passado quando, abrindo o revezamento 4×100 medley, nadou a sua parcial para 51.8. Foi medalhista de bronze no Pan Pacífico de 2014.

Xu Jiayu: Finalista do mundial de 2015, quando acabou em quarto lugar, dois segundos atrás do bronze

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

guilherme guido

Guilherme Guido, nadador do Pinheiros, será o representante brasileiro na prova. O nadador de 29 anos vive o melhor momento em sua carreira, e chegará ao rio bem cotado para disputar uma final. Seu melhor tempo, 53.12, que é o recorde sul-americano, seria mais do que suficiente para uma final. Guido já participou de diversas competições com a seleção brasileira e conquistou a medalha de prata no último Pan americano, em Toronto, ano passado.

 

AJUDA PARA TORCER

No último mundial foi necessário a marca de 53.39 para se chegar na final. Nesse ano, a final deve girar na casa dos 53.2. Para o ouro, a marca deve ser de 52 baixo ou mesmo um recorde mundial, hoje em 51.94. Para um bronze a marca vai ficar por volta de 52.1.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Mitchel Larkin (Austrália)

prata: Ryan Murphy (EUA)

bronze: David Plummer (EUA)

Brasileiro:  Guido conseguirá entrar na final, terminando em oitavo lugar

 

100m PEITO FEMININO 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Ruta Meilutyte (foto), da Lituânia, tentará no Rio seu segundo ouro olímpico com apenas 19 anos. Sua tarefa será um pouco menos árdua com a possível ausência de Yulia Efimova, um dos casos de russos banidos por doping desses jogos que apelou para disputar os Jogos mas ainda não recebeu a confirmação ou não se poderá participar da Rio 2016. Yulia é a atual campeã mundial da prova. Alia Atkinson, da Jamaica, fez história no mundial passado, quando ganhou o bronze, e levou para a Jamaica a primeira medalha da história do país em mundiais de natação. A americana Lilly King, apesar de não ter grandes resultados a nível internacional, possui tempos esse ano que a credenciam a disputar uma das medalhas.

RUTA NATACAO

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Ruta Meilutyte: Atual campeã olímpica, Ruta venceu o mundial de 2013 com direito a recorde mundial. Foi prata no mundial de Kazan, ano passado

Lilly King: Tem o melhor tempo do ano, com 1:05.20

Katie Meili: Medalhista de ouro nos Jogos Pan Americanos de 2015

Kanako Watanabe: Foi quarta colocada no mundial do ano passado, o.1 atrás do bronze.

Alia Atinkson: Alia Atkinson ganhou no ano passado a primeira medalha da natação feminina da história da Jamaica em mundial, o bronze

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil não terá representantes na prova

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial pertence a favorita ao ouro desse ano, Ruta Meilutyte: 1:04.35. O ouro deve sair para um tempo em torno de 1:05. O bronze para 1:05 alto e para a final, algo em torno de 1:07.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Ruta Meilutyte (Lituânia)

prata: Lilly King (EUA)

bronze: Alia Atinkson (Jamaica)

 

200m LIVRE FEMININO A primeira edição dos 200 livres feminino aconteceu na edição de 1968, na Cidade do México. Em doze edições disputadas, são dez medalhas conquistadas pelas americanas, quatro delas de ouro. Alemanha Oriental aparece como a segunda maior vencedora, levando três ouros e cinco medalhas no total. As australianas são as terceiras, com dois ouros. No Rio de Janeiro as eliminatórias serão realizadas no dia 08 e a final no dia 09.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Outra prova em que a jovem estrela americana Katie Ledecky tentará somar mais um ouro para sua coleção. Com a marca de 1:54.43, Katie chegará como líder do ranking mundial. Quem terá a chance de estragar a festa de Katie é a sueca Sarah Sjostrom, que tem como melhor marca de sua vida 1:54.34. Um outro nome forte para o pódio olímpico é o de Federica Pellegrini (foto), italiana detentora do recorde mundial e que será a porta-bandeira da delegação de seu país durante a abertura dos jogos. Correndo por fora aparecem a americana Missy Franklin, que não atravessa uma boa fase e a australiana Emma McKeon. Fique de olho também na chinesa Shen Duo, na holandesa Femke Heemskerk e na sueca Michelle Coleman.

federica natacao

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Missy Franklin: Campeã mundial de 2013 e bronze no mundial de 2015

Katie Ledecky: Atual campeã mundial, a nadadora tem também o melhor tempo do ano

Federica Pellegrini: Recordista mundial. Foi medalha de prata nos mundiais de 2013 e 2015

Sarah Sjostrom: Ausente no pódio em mundiais nessa prova, Sarah tem a marca de 1:54.34 como a sua melhor, conseguida no mundial do ano passado, quando foi finalista

Femke Heemskerk: Outra nadadora ausente em pódios dos mundiais do ciclo, mas que tem um dos melhores tempos da história na prova, 1:54.68

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil será representado por Manuella Lyrio e Larissa Oliveira, nadadoras que passam pelo melhor momento de suas carreiras. As duas vem travando uma briga pelo recorde sul-americano da prova. Primeiro o recorde foi quebrado por Manuella, mas no Maria Lenk desse ano Larissa tomou para si o recorde, com a marca de 1:57.37. Mesmo com toda essa melhora, as duas ainda estão distantes de uma final. A briga por uma vaga nas semifinais é o mais real no momento.

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial, mais um da época dos super-trajes, pertence a Federica Pellegrini, alcançado em 2009. A marca para o ouro deve ser por volta de 1:53.7. Para garantir o bronze, 1:54 baixo pode ser o suficiente. Aquelas que quiserem nadar a final precisarão fazer abaixo de 1:56.95, marca de corte para a final no último mundial.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Katie Ledecky (EUA)

prata: Sarah Sjostrom (Suécia)

bronze: Federica Pellegrini (Itália)

Brasileiras: Tanto Manuelle Lyrio quanto Larissa Oliveira podem estar nas semifinais

 

200m BORBOLETA MASCULINO: A prova que terá suas medalhas disputadas no dia 09 de agosto acontece desde 1956. A prova tem os Estados Unidos com nove medalhas de ouro, seguido pela a Austrália, com dois títulos. União Soviética, Alemanha, Rússia e a África do Sul, atual campeã, possui um título cada.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Essa promete ser uma das finais mais disputadas da natação nos Jogos Olímpicos. Com grandes nomes da modalidade, como o sul-africano Chad Le Clos, o húngaro Laszlo Cseh e principalmente, Michael Phelps. O americano tentará a revanche contra o sul-africano, que o destronou do topo do pódio nas Olimpíadas de Londres (foto). Mas o húngaro é quem vem prometendo surpreender dessa vez. Os poloneses Pawel Korzenowski e Jan Switkowski brigam por fora por um lugar no pódio. Fique de olho também no chinês Wu Peng.

chad phelps

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Chad Le Clos: Atual campeão olímpico, campeão mundial de 2013 e prata em 2015

Laszlo Cseh: Campeão mundial de 2015

Michael Phelps: Retornou já no final do ciclo, mas por problemas de indisciplina, acabou sendo cortado da equipe do mundial do ano passado. Segue entre os favoritos ao pódio.

Pawel Korzenowski: Medalha de prata no mundial de 2013

Jan Switkowski: Medalha de bronze no mundial de 2015

Wu Peng: Medalha de bronze no mundial de 2013

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O nome mais forte do país atualmente na prova é Leonardo de Deus (foto). Atual bicampeão Pan Americano na prova, Leo ainda não conseguiu nenhuma final em grandes competições, o que vem batendo na trave constantemente. No Pan Pacífico de 2014, Leo conseguiu a medalha de prata. A melhor marca de Leonardo, 1:55.01 (recorde sul-americano), o credencia a uma final.

Kaio Márcio é um veterano olímpico. Ele que já foi finalista na distância na edição de 2004, disputará a sua quarta Olimpíadas. Ao lado de Thiago Pereira e Joanna Maranhão, é o atleta a mais tempo na seleção.

leo de deus natacao

AJUDA PARA TORCER

A última vaga na final do mundial de 2015 saiu com o tempo de 1:55.75. As três medalhas devem ficar entre 1:53.40 e 1:53.60.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Laszlo Czeh(Hungria)

prata: Chad Le Clos (África do Sul)

bronze: Michael Phelps (EUA)

Brasileiros: O brasileiro Leo de Deus finalmente conseguirá nadar abaixo de 1:54.99 e chegará até a final. Medalha seria um sonho ainda distante. Já o veterano Caio Márcio deve chegar até as semifinais.

 

200m MEDLEY FEMININO Até a atual edição foram disputadas dez medalhas de ouro no cronograma olímpico. Sendo disputada desde 1968, a prova é uma das mais equilibradas de todas. Estados Unidos, Austrália, China e Ucrânia já conquistaram dois ouros. Apenas no desempate com as pratas é que as americanas assumem o primeiro lugar isolado, com quatro medalhas. A final dos 200 metros medley será disputada no dia 09 de agosto.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Outra prova para Katinka Hosszu, a Dama de Ferro da natação, garantir mais um ouro. Recordista mundial com 2:06.12, bicampeã mundial, Katinka deverá garantir com folga esse título. Atual campeã olímpica, a chinesa Ye Shiwen passou o ciclo olímpico praticamente inteiro sem aparecer. Apesar de ser uma incógnita, Ye deve voltar aos Jogos brigando pelo pódio. Mireia Belmont e Kanako Watanabe, medalhistas dos últimos mundiais, também são nomes a serem considerados para o pódio.

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Katinka Hosszu: Recordista mundial. Bicampeã mundial, levando os títulos de 2013 e 2014

Kanako Watanabe: Medalhista de prata do mundial de 2015

Ye Shiwen: Atual campeã olímpica. Ficou fora do circuito praticamente o ciclo inteiro, mas deve voltar brigando pelo pódio

Siobhan-Marie O’Connor: Medalhista de bronze no mundial de 2015

Mireia Belmont: Medalhista de bronze em 2013

katinka houssu

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Joanna Maranhão é, mais uma vez, a única brasileira nessa prova. Classificada pela quarta vez consecutiva na prova, Joanna tentará chegar até as semifinais, repetindo o resultado de Londres em 2012.

AJUDA PARA TORCER

Katinka Hosszu tentará no Rio bater o seu recorde mundial de 2:06.12. No mundial de Kazan, ano passado, o bronze ficou com a marca 1:08.77. Para garantir uma vaga na final, a atleta deverá fazer por volta de 2:07.60.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Katinka Hosszu (Hungria)

prata: Kanako Watanabe (Japão)

bronze: Ye Shiwen (China)

Brasileira: Joanna Maranhão deverá repetir o seu resultado de Londres, quando conseguiu avançar até as semifinais.

 

4x200m LIVRE MASCULINO O revezamento 4×200 começou a ser disputado em Olimpíadas na edição de 1908. São 24 ouros entregues, e mais uma vez com uma larga vantagem para os americanos. São 16 medalhas de ouro, incluindo a de Londres 2012. Em segundo lugar aparecem a Austrália e Japão, ambos com dois ouros. A prova terá sua final no Rio de Janeiro sendo disputada no dia 09 de agosto.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Os americanos chegam aos Rio de Janeiro como o time a ser batido. Liderados pelos multi-campeões Ryan Lochte e Michael Phelps, é esperado que os atuais campeões olímpicos nadem para 7:00. Na cola dos americanos aparecem a Austrália, Grã-Bretanha e Japão, todos podendo nadar na casa de 07:03. Mais uma vez a Rússia acaba sendo prejudicada devido ao banimento de alguns de seus nadadores. Olho na Alemanha, França, Polônia, Holanda e também no Brasil.

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

USA: Atuais campeões olímpicos e recordistas mundiais. Campeões do mundial de 2013 e medalha de prata em 2015

Japão:  Apesar de ausentes em pódios nos mundiais do período, a soma dos tempos de seus nadadores resulta em um tempo que os colocam entre os favoritos ao pódio

Rússia: Medalhista de prata em 2013

Austrália: Medalhistas de bronze no mundial de 2015

Grã Bretanha: Atuais campeões mundiais

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil será representado na disputa por Nicolas Oliveira, João De Lucca, Luiz Altamir e André Pereira. Campeões dos Jogos Pan Americanos de 2015, os brasileiros conseguiram a vaga para os jogos ao ficarem entre os quatro melhores tempos do mundo entre aqueles países que não se classificaram diretamente entre os 12 primeiros no último mundial.

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial, ainda muito distante de ser batido, pertencem aos Estados Unidos, com 6:58.55, de 2009. O ouro deve sair por volta de 7:00. A disputa intensa pelas outras medalhas deve trazer o bronze para um tempo por volta de 7:00:35.

 

PALPITE DO GUIA:

ouro: Estados Unidos

prata: Grã-Bretanha

bronze: Austrália

Brasileiros: 10° lugar

 

200m PEITO MASCULINO: As eliminatórias dos 200 metros peito irão acontecer no dia 09 e a final será disputada na noite do dia 10. Sendo disputada desde os Jogos de 1908, a prova já entregou 24 medalhas de ouro e conta com o domínio do Japão, detentor de seis ouros contra cinco dos americanos. A Hungria fecha o pódio com três medalhas de ouro.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: A disputa pela medalha de ouro deve se concentrar em três grandes nomes. Daniel Gyurta, da Hungria, é o atual campeão olímpico, Marco Koch, da Alemanha é o atual campeão mundial, e Kevin Cordes, dos Estados Unidos, foi medalha de prata no mundial passado. A esquadra japonesa, tradicionalmente forte no nado peito, chega com Yasuhiro Koseki e Ippei Watanabe, que deixaram de fora na seletiva japonesa a lenda Kosuke Kitajima. Correm por fora em busca da medalha o finlandês Matti Matsson, o britânico Andrew Willis, o russo Anton Chupkov e o americano Josh Prenot.

gyurta

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Kevin Cordes: Vice-campeão do mundial de 2015. Tem o tempo de 2:07.81, desse ano, como sua melhor marca

Daniel Gyurta: Atual campeão olímpico, foi campeão também do mundial de 2013 e medalha de bronze no mundial de 2015

Marco Koch: Campeão mundial de 2015, medalha de prata em 2013

Matti Matson: Medalhista de bronze no mundial de 2013

Josh Prenot: Não subiu ao pódio em mundiais no ciclo, mas na seletiva americana desse ano nadou para 2:07.17

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil estará nos Jogos representado por Tales Cerdeira (foto) e Thiago Simon. Tales Cerdeira em Londres bateu na trave para entrar na final, terminando em 9° lugar. O ciclo de 2016 não foi muito bom para Tales, que ficou longe de grandes marcas e sumido em competições pela seleção. Mas esse ano o carioca ressurgiu, e com a marca de 2:10.99 conseguiu um lugar na competição que será disputado no quintal de sua casa. O outro representante brasileiro esteve presente nos Jogos Pan americanos de Toronto, quando conquistou a medalha de ouro estabelecendo um novo recorde sul-americano na distância, 2:09.82. Com esse tempo, Thiago avançará até as semifinais, mas para avançar de fase ele teria que nadar para próximo de 2.09.6, tendo assim que quebrar o seu recorde novamente.

tales cerdeira

AJUDA PARA TORCER

Para avançar até a final, o nadador precisará de uma marca de aproximadamente 2.09.6. Para conquistar uma medalha o mínimo deve ser por volta de 2:07.8 e o ouro por volta de 2:07.4. O atual recorde mundial pertence ao japonês Akihiro Yamaguchi, de 2:07.1, feito em 2012.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Daniel Gyurta (Hungria)

prata: Marco Koch (Alemanha)

bronze: Kevin Cordes (EUA)

Brasileiros: Os dois brasileiros devem conseguir avançar até as semifinais. Final seria improvável.

 

200m BORBOLETA FEMININO Presente nas Olimpíadas desde a edição de 1968, os 200 metros borboleta feminino já rendeu quatro medalhas de ouro para as americanas. Em segundo lugar vem a Alemanha Oriental, com três medalhas, e em terceiro lugar com duas medalhas, a China. Nesta edição, a final será disputada no dia 10 de agosto.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Com 26 anos de idade, a japonesa Natsumi Hoshi pode ser apontada como a favorita ao pódio nos 200 metros borboletas. Atual campeã mundial, a japonesa tem a terceira melhor marca da temporada, 2:06.32. As chinesas Yufei Zhang e Zhou Yilin tentarão manter a tradição chinesa de sempre estarem presentes nos pódios dessa prova nas grandes competições desde Pequim 2008. Mireia Belmont, da Espanha, é outra forte candidata ao pódio, assim como Madaline Groves, da Austrália. E mais uma vez ela, Katinka Hosszu, deverá estar presente na final tentando outra medalha. Fique de olho também em Cammile Adams, dos Estados Unidos, e Brianna Throssell, da Austrália.

natsumi hoshi

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Natsumi Hoshi: Atual campeã mundial

Katinka Hosszu: Medalhista de bronze no mundial de 2013

Mireia Belmont: Medalhista de prata no mundial de 2013

Camille Adams: Medalhista de prata em 2015

Medaline Groves: Foi sétima colocada no Pan Pacífico de 2014 e ficou de fora da final do mundial do ano passado. Entretanto, conseguiu fazer esse ano 2:05.47, o melhor tempo do ranking mundial.

Yufei Zhang: Medalhista de bronze em 2015

Brianna Throssell: Quarta colocada no mundial de 2015

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Mais uma prova em que a única representante brasileira será Joana Maranhão. Medalhista de bronze nos Jogos Pan Americanos, Joanna não conseguiu o índice A para essa prova, mas como ela já estava classificada em outras provas e o Brasil não tinha nenhuma representante, ela pôde ser inscrita com o seu índice B. Joanna é a recordista sul-americana na prova, com 2:04.01, de 2009.

 

AJUDA PARA TORCER

O recorde na prova pertence a chinesa Liu Zige, 2:01.81. As marcas registradas atualmente estão muito longe dessa marca. O ouro deve sair por volta de 2:05.00, já para o bronze, possivelmente será necessário nadar abaixo de 2:05.5. Para pegar final no mundial de 2013 a marca necessária foi de 2:07.86 e na final do ano passado foi de 2:07.69. A final do Rio de Janeiro deve ficar mais ou menos nessa faixa.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Natsumi Hoshi  (Japão)

prata: Mireia Belmont (Espanha)

bronze: Katinka Hosszu (Hungria)

Brasileira: Joanna Maranhão terá missão difícil nessa prova, mas avançar para as semifinais é possível.

 

100m LIVRE MASCULINO

A prova mais antiga do programa olímpico é também a mais tradicional e a mais aguardada. Presente desde a primeira edição, os 100 metros livres só ficaram ausente na segunda edição em 1900. A prova é dominada pelos americanos, que somam 13 títulos olímpicos. Em segundo, aparecem os australianos com três títulos e logo atrás a Holanda e a Hungria, com dois títulos cada. As eliminatórias dos 100 metros no Rio de Janeiro serão disputadas no dia 09 e a final na noite do dia 10.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Principal nome da prova, o australiano Cameron McEvoy (foto) cairá na piscina como grande favorito na briga pela medalha. Com a expressiva marca de 47.04 conquistada na seletiva australiana desse ano, poderá até mesmo nadar na casa dos 46. O maior rival de McEvoy deverá ser o chinês Nin Zetao, atual campeão mundial e que tem a marca de 47.65 como a sua melhor. Se mantendo entre os melhores do mundo, o americano Nathan Adrian tentará manter o título olímpico conquistado em Londres, e sua ausência no pódio do mundial passado não deve assustar. Fique de olho também nas jovens promessas da Austrália e dos Estados Unidos, Kayle Chalmers e Kaeleb Dressel, respectivamente. Também podem entrar na briga os medalhistas do último Pan Americano, o argentino Federico Gabrich, o canadense Santo Condoreli e o brasileiro Marcelo Chierighini.

cameron

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Nathan Adrian: Nathan chega aos jogos tendo conquistado o bronze no mundial de 2013 e tendo a marca de 47.72 como a sua melhor nos últimos quatro anos

Cameron McEvoy: O australiano favorito ao ouro vem de uma prata no mundial do ano passado

Nig Zetao: Atual campeão mundial, Zetao tem como sua melhor marca o forte tempo de 47.65, no campeonato chinês de 2014

Kyle Chalmers: O prodígio australiano tem como resultado mais expressivo as medalhas de ouro dos 50 e 100 metros do Mundial Júnior do ano passado

Federico Gabrich: Campeão Pan Americano de Toronto 2015 e medalha de bronze no mundial de 2015

Santo Condoreli: medalhista de prata no Pan de 2015, quarto colocado no mundial de 2015

Caeleb Dressel: No campeonato Mundial Junior de 2013 ele ganhou seis medalhas, incluindo o ouro na prova dos 100 metros livres

Marcelo Chierighini: Bronze no Pan de 2015 e quarto colocado no mundial de 2015

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Os representantes brasileiros na mais tradicional das provas da natação serão Nicolas Oliveira e Marcelo Chierighini. Nicolas Oliveira é mineiro de Belo Horizonte e tem como maior feito na carreira em piscina longa a final no mundial de Roma em 2009. Na atual temporada, um dos veteranos da seleção tem como melhor marca 48.30.

Marcelo Chierighini (foto) é hoje o nosso melhor nadador nos 100 metros livres. Com 25 anos,  estuda e treina em Auburn, mesma Universidade em que treinava César Cielo quando foi campeão olímpico em 2008. Marcelo conseguiu alcançar no ano passado a final dos 100 metros livres no mundial de Kazan, onde acabou na quinta colocação. No Troféu Maria Lenk desse ano, Marcelo alcançou a marca de 48.20, sua melhor na temporada. A expectativa para os jogos é que os brasileiros consigam nadar na casa dos 47, conseguindo assim avançar para a final.

chieri

AJUDA PARA TORCER

Mais uma prova em que César Cielo é o detentor do recorde mundial, com os seus 46.91 do final de 2009, na era dos super trajes. O australiano Cameron McEvoy chega aos jogos com a marca de 47.04, a melhor da era pós super trajes, e pinta como grande favorito. Assim, o ouro deve sair por volta de 47.05. Para o bronze a marca deve ser em torno de 47.5. Para a final do mundial do ano passado a marca de corte foi de 48.49, mas para os jogos isso deve subir um pouco.

PALPITE DO GUIA:

Ouro: Cameron McEvoy

Prata: Ning Zetao

Bronze: Nathan Adrian

Brasileiros: A briga dos brasileiros é para conseguir chegar até a final. Se conseguirem nadar para 47 a final acontecerá para os dois. Nossa aposta é que Chierighini consiga essa vaga, mas ficará fora do pódio. Nicolas chegará até a semifinal.

 

4x200m LIVRE FEMININO: Essa é a prova feminina disputada em piscina mais nova do cronograma olímpico das mulheres. Inserido nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996, as americanas venceram por quatro vezes, tendo perdido apenas uma, Pequim 2008 para as australianas. A final será disputada no dia 10 na Arena Olímpica da Natação.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Com um quarteto extremamente forte, as americanas estarão no Rio para defenderem o seu título olímpico com um grande favoritismo. Existe inclusive a expectativa para uma possível quebra de recorde mundial da prova com a equipe que deve ter Katie Ledecky, Missy Franklin, Allison Schmitt e Leah Smitt. As australianas estarão logo atrás das americanas e são favoritas a levarem a prata. Mas ao contrário das americanas, a vida das australianas não deve ser fácil, já que a Suécia de Sarah Sjostrom e a Itália de Federica Pellegrini prometem dar trabalho na disputa por medalhas. Apesar de dificilmente chegarem ao pódio, times como o da França, da China, da Hungria e das jovens canadenses merecem ser observados com atenção.

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Estados Unidos: Campeãs olímpicas de 2012, bicampeãs mundiais em 2013 e 2015.

Austrália: Medalhistas de prata do mundial de 2013

Suécia: Ficaram em quarto no  mundial de 2015

Itália: Medalhistas de prata no mundial de 2015

China: Medalhistas de bronze no mundial de 2015

França: Medalhistas de bronze do mundial de 2013

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O quarteto feminino tem como foco retornar a uma final olímpica depois de longos 12 anos. Para repetir o feito de Joanna Maranhão, Mariana Brochado e companheiras nas Olimpíadas de Atenas, o quarteto formado por Larissa Olyveira, Manuella Lyrio, Jessica Cavalheiro e Gabrielle Roncato precisará nada para o recorde sul-americano, que pertence ao Brasil, feito nos Jogos Pan Americanos de Toronto no ano passado. Na ocasião, o tempo de 7:56.36 rendeu às meninas do Brasil a medalha de bronze.

AJUDA PARA TORCER

O atual recorde mundial, e que pode ser quebrado no Rio de Janeiro, pertence aos Estados Unidos. A marca de 7:42.08 foi feita em 2009. As americanas, favoritas ao ouro, devem nadar próximo dessa marca mundial. O bronze deve sair por volta de 7:47.00.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Estados Unidos

prata: Austrália

bronze: Itália

Brasil: As brasileiras terminarão em 10º lugar

 

200m PEITO FEMININO A estreia aconteceu na Olimpíadas de Paris em 1924. A prova é uma das mais antigas do calendário olímpico das mulheres, e já entregou 21 medalhas de ouro. Destaque para os Estados Unidos e Hungria, cada um com três medalhas de ouro. Individualmente o destaque vai para a húngara Krisaztina Egerszegi, que conquistou as três medalhas do país. A final da prova será disputada no dia 11 de agosto.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Mesmo sem ter resultados relevantes a nível internacional, a japonesa Rie Kaneto (foto) é apostada por diversos especialistas como a provável campeã olímpica. Isso porque a marca que conseguiu nadar na seletiva japonesa em abril, 2:19.55, a coloca como a líder do ranking. Quem também tem totais condições de conseguir o ouro é a turca Viktoria Gunes, campeã mundial júnior do ano passado. Rikki Pedersen, recordista mundial, também faz uma boa temporada. A atual campeã mundial Kanako Watanabe, bem como Jessica Vall da Espanha e Shi Jingling, medalhista de bronze no mundial passado em um triplo empate com Rikki Pedersen, correm fora.

kaneto

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Rikki Pedersen: Medalha de prata no mundial de 2013 e de bronze no mundial de 2015

Rie Kaneto: foi quarta colocada no mundial de 2013, sexta no mundial de 2015 e prata no Pan Pacífico de 2014. Tem na atual temporada o melhor do mundo

Viktoria Gunes: Campeã do mundial júnior do ano passado com a marca de 2:19.64. Essa marca também faria dela campeã do mundial sênior do ano passado

Kanako Watanabe: campeã mundial de 2015

Shi Jingling: medalha de bronze no mundial de 2015

Jessica Vall: medalha de bronze no mundial de 2015

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil não terá representantes nessa prova

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial pertence à dinamarquesa Rikki Pedersen desde 2013, com 2:19.11. Para conseguir uma vaga na final o tempo deverá ser por volta de 2:23.00. Para garantir o ouro a nadadora deverá fazer por volta de 2:19.5 e para o bronze cerca de 2:21.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Rie Kaneto

prata: Rikke Pedersen

bronze: Viktoria Gunes

 

200m COSTAS MASCULINO: A primeira prova dos 200 metros costas foi disputada em 1900, entretanto, a competição saiu do programa já nos Jogos seguintes e só retornou em 1964, após um longo período de ausência. Em 14 finais disputadas até hoje os americanos somam oito medalhas de ouro, seguidos pela Alemanha Oriental. No Rio de Janeiro, a 15ª final da história dos 200 metros em Olimpíadas será disputada no dia 11 de agosto.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Um dos grandes favoritos para a medalha de ouro acabou sendo superado por seus compatriotas e ficou de fora dessa prova. Ryan Lochte, que foi campeão em 2008 e bronze em 2012 não poderá tentar o bicampeonato. Assim, o caminho de Mitch Larkin, da Austrália, rumo ao ouro deve se tornar menos complicado. O americano Ryan Murphy fez uma excelente marca nessa temporada que o coloca como um provável medalhista. Ryosuke Irie, Radoslaw Kawecki, Jacob Pebley e Xu Jiayu também devem ser bem observados.

mitch larkinn natacooao

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Mitch Larkin: O australiano foi o campeão mundial de 2015

Ryan Murphy: Quarto colocado no Pan Pacífico de 2014. Sua marca de 1:53.95 o credencia como um provável medalhista

Evgeny Rylov: Medalha de bronze no mundial de 2015

Radoslaw Kawecki: Medalhista de prata nos mundiais de 2013 e 2015

Ryosuke Irie: Quarto colocado no mundial de 2015

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

O Brasil terá Leonardo de Deus nadando as eliminatórias da prova no dia 10 de agosto. Apesar de não ser melhor nos 200 borboleta, Léo já conseguiu bons resultados nessa prova, como algumas semifinais em mundiais. Conseguir uma final nessa prova é difícil, mas não impossível.

AJUDA PARA TORCER

Para aqueles que querem disputar a final, o tempo deve ser por volta de 1:57.00. Para a medalha de ouro uma marca próxima de 1:52.9 deve ser o suficiente. Para o bronze algo em torno de 1:53.9.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Mitch Larkin

prata: Ryan Murphy

bronze: Radoslaw Kawecki

Brasileiro: Leonardo de Deus deverá estar presente na semifinal que será disputada no dia 10, avançar para a final já será tarefa complicada.

 

200m MEDLEY MASCULINO: Os 200 metros medley estão presentes nos Jogos Olímpicos desde a Cidade do México em 1968. A liderança da prova é americana, mas de forma apertada. São quatro medalhas de ouro para os Estados Unidos contra três dos húngaros. É interessante notar que dessas quatro medalhas dos americanos, três foram conquistadas por Michael Phelps, que no Rio estará em busca de seu tetracampeonato consecutivo na prova. As disputas de medalha da prova acontecerão no dia 11 de agosto

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: Essa promete ser uma das disputas mais interessantes da natação na Olimpíadas do Rio de Janeiro. Thiago Pereira abriu mão de disputar os 400 medley, prova em que ele é o vice-campeão olímpico, para focar apenas nessa disputa. Ele se juntará a nomes de peso da natação mundial na busca por um lugar no pódio em uma disputa que deverá ser bem acirrada. Michael Phelps é o favorito na disputa. Logo atrás vem o seu compatriota Ryan Lochte e o japonês Kosuke Hagino. Correndo por fora, ou melhor, nadando por fora, teremos o brasileiro Henrique Rodrigues, o chinês Wang Shun e o australiano Thomas Fraser-Holmes.

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Thiago Pereira: Medalha de bronze no mundial de 2013 e prata no mundial de 2015

Michael Phelps: Sem disputar mundiais no período, Phelps tem como melhor marca após o seu retorno 1:54.75

Ryan Lochte: Bicampeão mundial em 2013 e 2015

Kosuke Hagino: Medalha de prata no mundial de 2013, não disputou o mundial de 2015

Henrique Rodrigues: Foi 7° colocado no mundial de 2015. Tem como melhor marca pessoal 1:57.06

Wang Shun: Medalhista de bronze em 2015

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Assim como na prova dos 100 metros peito masculino, o Brasil estará muito bem representado e com certeza na briga direta por um pódio. Após bater na trave por várias vezes em Olimpíadas nessa prova pode finalmente ter chegado a vez de Thiago Pereira (foto) conquistar a tão sonhada medalha. Thiago vem muito bem nos treinamentos, mas para medalhar terá que fazer o melhor tempo de sua carreira sem os trajes tecnológicos. Já Henrique Rodrigues vem em um crescente e após ser finalista no mundial passado acabou empatando com Thiago Pereira na final do Maria Lenk desse ano.

thiago pereira

AJUDA PARA TORCER

O recorde mundial pertence a Ryan Lochte desde 2011, 1:54.00. Para o ouro o nadador terá que fazer próximo de 1:54.7 e para o bronze na casa de 1:55 médio. Para avançar até a final do mundial passado foi necessário a marca de 1:58.18.

PALPITE DO GUIA: ouro: Michael Phelps prata: Kosuke Hagino bronze: Thiago Pereira

Brasileiros: apesar de complicado demos a medalha de bronze para o Thiago Pereira. Henrique Rodrigues chegará até a final e deverá terminar por volta do sexto lugar.

 

100m LIVRE FEMININO:  A versão feminina da prova também está presente desde que as mulheres disputaram as primeiras Olimpíadas em Estocolmo, 1912. A prova em sua versão feminina também tem um amplo domínio dos Estados Unidos. São oito medalhas de ouro, contra quatro das australianas, três das holandesas e três da Alemanha Oriental. A final da prova de 100 metros livres feminino será realizada no dia 11 de agosto.

QUEM CHEGA FORTE AO RIO: No início do mês, a australiana Cate Campbell bateu o recorde mundial ao alcançar a marca de 52.06 e se coloca como a maior favorita ao pódio. Quem também tem grandes chances de estar nesse pódio é a sua irmã Bronte Campbell, campeã mundial de Kazan, quando deixou a irmã com o bronze. A briga por mais uma medalha vai ser intensa com três europeias muito próximas em seus tempos. Sarah Sjostron da Suécia, e as holandesas Ranomy Kromowidjojo e Femk Heemskerk. Correm por fora a italiana Federica Pelegrini e a canadense Penny Oleksiak.

cate campbell

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Cate Campbell: Bateu o recorde mundial em uma competição na Austrália ao atingir a marca de 52.06. Foi campeã mundial de 2013 e medalhista de bronze em 2015.

Bronte Campbell: Atual campeã mundial.

Ranomy Kromowidjojo: Atual campeã olímpica, a holandesa foi medalhista de bronze no mundial de 2013, mas acabou ficando fora do pódio ano passado

Sarah Sjostrom: A sueca foi por duas vezes medalhista de prata nos mundiais de 2013 e 2015. Seu melhor tempo na carreira é de 52.7, alcançado no mundial de 2015.

Femk Heemskerk: A holandesa de 25 anos foi

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Apesar de não ser a especialidade de Etiene Medeiros, a atleta vem tendo bons desempenhos na distância. Mais importante do que a prova individual, a marca de Etiene pode ser valiosa para o revezamento feminino do Brasil. Larissa Oliveira é a outra representante brasileira e bateu no Maria Lenk desse ano o recorde sul-americano da distância ao marcar 54.03. Para conseguir avançar para a final da prova no Rio de Janeiro, Larissa terá que nadar novamente para o seu melhor tempo para poder ter chances.

AJUDA PARA TORCER

O recorde batido por Cate Campbell esse ano foi de 52.06, o que pode ser batido novamente por ela durante a final da prova no Rio de Janeiro. A medalha de bronze pode sair por volta de 52.5, enquanto para a final de 2015 a última vaga veio com o tempo de 53.92.

PALPITE DO GUIA:

ouro: Cate Campbell (Austrália)

prata: Bront Campbell (Austrália)

bronze: Sarah Sjostrom (Suécia)

Brasileiras: Larissa Oliveira em 10° lugar e Etiene Medeiros em 16°



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.