Handebol Masculino: Brasil joga bem, mas perde para a França e está fora da Rio 2016

Foto: Reprodução/Sportv

A seleção masculina de handebol entrou em quadra hoje de manha para tentar seguir fazendo história na Rio 2016. Após a classificação inédita para as quartas de final das Olimpíadas, o Brasil encontrou pela frente a França, campeã olímpica em 2008 e 2012 e pentacampeã mundial. Mesmo com a derrota por 34×27, o feito realizado pelo handebol masculino deve ser valorizado.

 

LEIA MAIS:

Egípcio que se recusou a cumprimentar adversário é expulso da Rio 2016

O Brasil começou muito bem na partida, com todos os jogadores focados e determinados em conseguirem uma vitória. Os destaques nos primeiros 30 minutos foram o armador José Guilherme (o Zé), o maestro da equipe nos primeiros minutos; Thiagus, importante em arremessos da linha dos 9m e nas assistências, marcando 4 gols antes do intervalo, e o pivô Alexandro Pozzer, o Tchê, que encontrou vários espaços na defesa francesa para marcar seis gols, só no primeiro tempo.

A defesa brasileira foi bem demais na primeira etapa. Mesmo frente a uma seleção bicampeã olímpica, a seleção do técnico Jordi Ribera não se intimidou, pressionou muito na marcação e contou com goleiro Maik, um dos melhores do time na fase de grupos, muito inspirado. No intervalo, o placar mostrava 15×15, com os franceses aparentando não entender muito bem o que estava acontecendo. Pelo lado da França, o ponta esquerdo Michael Guigou foi quem mais incomodou os brasileiros, também marcando 6 gols na primeira parte do jogo.

O Brasil voltou do intervalo com muita objetividade no ataque. Thiagus provou ainda mais sua importância no jogo, chamando a partida para si. Uma das melhores equipes do mundo, a França, melhorou bastante sua marcação, sendo bem mais agressiva, o que complicou a atuação dos brasileiros.

O goleiro Cesar dos Santos, o bombom, entrou no lugar de Maik para os trinta minutos finais de jogo e manteve um bom nível de atuação. O camisa 20 francês, o pivô Cedric Sorhaindo, achou muitos espaços no ataque e, quando teve oportunidades, na maioria das vezes colocou a bola no fundo da rede.

A partir da metade da segunda etapa os franceses começaram a abrir vantagem no placar. Os jogadores brasileiros passaram a precipitar os ataques e a se descuidarem um pouco da defesa, o que culminou na vitória de 34×27 dos franceses.

Apesar da eliminação, o handebol masculino do Brasil merece ser valorizado. Os muitos aplausos recebidos pelos torcedores da Arena do Futuro, após o jogo, foram muito merecidos. A equipe fez história chegando pela primeira vez em uma quarta de final olímpica e tem condições de melhorar ainda mais para, quem sabe, fazer mais bonito ainda em Tóquio. Hoje, contra uma seleção bem mais forte, os brasileiros fizeram frente a França durante mais de 40 minutos de jogo.

As semifinais do torneio acontecem na próxima sexta-feira.



Estudante do 9º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.