“Havelange era um gângster”, ataca jornalista inimigo número 1 da Fifa

Crédito da imagem: Reprodução Twitter

O ex-presidente da Fifa João Havelange morreu nesta terça (16) no Rio de Janeiro. Conhecido por investigar os bastidores da entidade, Andrew Jennings voltou a criticar o ex-dirigente.

LEIA MAIS:
CBF decreta luto oficial de 7 dias pela morte de João Havelange
Seleção brasileira sub20 é convocada para amistosos na Inglaterra

“Havelange era um gângster”, postou Andrew Jennings em uma rede social. A publicação não detalha local, data nem identifica as demais pessoas na foto. O jornalista escocês é autor da série de livros “Jogo Sujo”, que relata escândalos de corrupção nos bastidores da Fifa e cita João Havelange como líder de uma organização criminosa ao lado do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira.

Os escândalos na entidade que comanda o futebol ganharam projeção mundial e até mesmo o FBI entrou na investigação. Uma série de prisões na Suíça culminou com a renúncia do então presidente Joseph Blatter em junho de 2015. O ex-secretário geral Gianni Infantino assumiu a Presidência da Fifa em fevereiro deste ano. Na eleição, o suíço venceu três candidatos com a missão de resgatar a credibilidade da instituição.

João Havelange ocupou o cargo mais importante do futebol durante 24 anos, entre 1974 e 1998 e renunciou ao posto de presidente de honra em 2013, em meio à crise política. Além dele, a Fifa teve mais oito presidentes – todos europeus.

Ex-atleta de pólo aquático, Havelange participou da conquista da seleção brasileira pela medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México, em 1955. Internado desde julho para tratar uma pneumonia, o carioca estava com 100 anos e morreu nesta terça (16) no Rio de Janeiro.