Abandonado pelos pais, medalhista do Brasil revela: “perdoei”

Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

O Brasil inteiro, assim como todo o mundo, aplaudiram Thiago Braz, jovem de apenas 22 anos, que se sagrou medalhista olímpico de ouro na noite da última segunda-feira (15) ao vencer a disputa do salto com vara. No entanto, por trás de um campeão, há sempre uma história de superação e com o rapaz não é diferente, já que ele foi abandonado por seus pais quando tinha 2 anos e os esperou retornar com uma mochila nas costas durante dias.

LEIA MAIS:
ELE QUER MAIS! ISAQUIAS QUEIROZ PREVÊ MAIS MEDALHAS NO RIO 2016

– Meus pais brigavam muito, não sei direito a história completa. Eram muito jovens. Fui morar com meus avós e tive também o apoio de meu tio, Fabiano, ex-atleta. Nos momentos de dificuldade, meu pai não estava presente, mas a minha avó me abraçou e me ensinou a perdoá-los. São seres humanos e merecem o meu perdão. Já os perdoei, a gente tem contato, sei onde moram para que eu possa ajudá-los. – revelou o campeão brasileiro, sempre demonstrando bastante serenidade e calma nas respostas. em entrevista coletiva realizada na Casa do Time Brasil, localizada na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Thiago Braz ganhou a medalha de ouro no estádio olímpico Nilton Santos, o Engenhão, na noite de segunda-feira (15), ao desbancar o favorito e atual campeão olímpico, o francês Renaud Lavillenie, que reclamou bastante das vaias recebidas pelos torcedores brasileiros nas arquibancadas nos momentos decisivos da disputa. O atleta da casa conseguiu alcançar uma marca de 6m03, algo completamente inédito em sua carreira e, de quebra, acabou estabelecendo um novo recorde olímpico.

– A torcida me ajudou muito, me arrepiei na prova, fiquei emocionado, mas tentei recuperar o equilíbrio e o foco no que estava ali para fazer. Talvez se deixasse me levar não estaria com o ouro aqui hoje. – afirmou o medalhista Thiago Braz ao agradecer o apoio recebido no estádio Engenhão.