Ricardo Gomes brinca sobre reestreia contra o Inter: “Parece que o tempo não passou”

Crédito da Foto: Reprodução/Canal do São Paulo no Youtube

Apresentado na tarde desta terça-feira (16), Ricardo Gomes se mostrou tranquilo com o novo desafio da carreira, pediu tempo para estudar o elenco do São Paulo para promover as mudanças que acredita serem necessárias para o time engrenar na busca por uma vaga no G-4 e brincou com a coincidência de reestrear contra o time que causou sua saída do clube em 2010.

LEIA MAIS
SEGUNDO BIRNER, CENI QUER INTEGRAR COMISSÃO TÉCNICA DO SÃO PAULO
RICARDO GOMES NÃO TERÁ UM DOS PRINCIPAIS ATLETAS DO SÃO PAULO EM SUA ESTREIA
PELO TWITTER, CENTURIÓN CONFIRMA QUE JÁ É JOGADOR DO BOCA

Com apenas um dia de trabalho, e uma rápida conversa com o elenco deixado por Edgardo Bauza, Ricardo Gomes pede um mês para colocar em prática mudanças no time titular.

— Preciso primeiro de informações do dia a dia. Não posso chegar e mudar tudo. Tenho que pegar o método do Bauza e do Jardine até encontrar minha ideia que possa levar a vitórias consecutivas. Não vem do dia para a noite. Daqui um mês posso falar se será possível brigar por título. Gostaria muito, mas promessa hoje não dá para fazer”, avaliou.

A ideia do novo comandante do Tricolor é reconstruir os planos do time que teve até um mês atrás todo o seu projeto voltado para a disputada da Taça Libertadores.

— Agora nós temos que encontrar um meio diferente para fazer o São Paulo subir na tabela. A moral dos jogadores também precisa de muito trabalho. Uma coisa é ver jogos pela televisão, outra coisa é ir ao estádio. Estou chegando ao clube no meio de um trabalho bem desenvolvido, mas aos poucos vou mexendo”, justificou o plano.

Coincidência do destino, ou não, Ricardo Gomes vai reestrear no comando do São Paulo contra o time que causou sua demissão em 2010: o Internacional. Fato que não o deixa, de forma, alguma receoso com o passado.

— Cheguei aqui no almoço e pensei: “nossa, parece que o tempo não passou”. São seis anos e percebo que as coisas estão bem parecidas, o São Paulo tem isso de manter as pessoas e os profissionais. É só ver o Lugano, que tem prazer em voltar. Aqui há uma conduta. E o Inter, apesar da má fase, é o Inter grande como sempre. Vai ser um jogo difícil, com o Celso Roth começando também. Tudo agora é muito importante. O jogo e a vitória”, concluiu.

O São Paulo enfrenta o Internacional, no domingo (21), às 16h, em Porto Alegre, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.