Saiba quanto os Jogos Olímpicos custará aos cofres públicos

Foto: Divulgação/ Site Oficial do Rio 2016

A Olimpíada passa a ser um dos assuntos mais comentados no mês de agosto, isto porque será disputada no Brasil e terá a presença dos principais atletas de todo o mundo. O evento, que não é nada barato, terá altos custos aos cofres públicos durante sua realização sendo pago pela prefeitura do Rio, governo do Rio, governo federal e estados que receberão partidas de futebol.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE AS OLIMPÍADAS

RAFAEL NADAL PERTO DE GARANTIR PRESENÇA NA RIO 2016

GINASTA BRASILEIRA VAI USAR MAIÔ INSPIRADO EM MUSAS DO CARNAVAL NO RIO 2016

MICHEL PHELPS: O MAIOR CAMPEÃO OLÍMPICO ESTÁ DE VOLTA

De acordo com informações divulgadas pela UOL, o evento ( Olimpíada e Paraolimpíada) custará cerca de R$ 32 milhões aos cofres públicos. Os valores foram calculados pelo veículo que considerou apenas itens que não serão úteis após os Jogos, como arquibancadas temporárias, passarelas temporárias, estações de BRT temporárias, centro de imprensa, pagamento de diárias entre outros custos. Somando tudo será gasto cerca de R$ 925,7 milhões que já estão sendo pagos e estão incluídos dentro do custo total, que será cerca de R$ 40 bilhões.

Como o futebol será disputado em outros estados além do Rio, a conta será dividida cabendo aos governos federais que cada estado que sediará o futebol também assumirem os gastos. O esporte também será disputado em São Paulo, Minas Gerais, Amazonas, Brasília e na Bahia.


O UOL também divulgou a lista de gastos temporários do Rio-2016:

Arquibancada temporária no Engenhão – R$ 22 milhões (prefeitura)
Arquibancada temporária no Parque de Deodoro – R$ 68,5 milhões (prefeitura e governo federal)
Arquibancada temporária no Parque Olímpico – R$ 7,8 milhões (prefeitura e governo federal)
Passarelas temporárias – R$ 18 milhões (prefeitura)
Estações temporárias de BRT – R$ 1 milhão (prefeitura)
Operação do Centro de Hipismo e Vila dos Tratadores – R$ 1,5 milhão (prefeitura)
Operação do Centro Olímpico de Tênis – R$ 1,5 milhão (prefeitura)
Boulevard Olímpico na zona oeste do Rio – R$ 2,1 milhões (prefeitura)
Centro de imprensa Rio Media Center – R$ 1,8 milhão (prefeitura)
Operação de ambulâncias – R$ 30 milhões (governo estadual)
Geradores de energia para região do Maracanã – R$ 85 milhões (governo estadual)
Geradores de energia para região da Barra – R$ 290 milhões (governo federal)
Custeio da Autoridade Pública Olímpica – R$ 72,5 milhões (governo federal e estadual)
Custeio da Sesge (Secretaria de Segurança de Grandes Eventos) – R$ 46,2 milhões (governo federal)
Diárias de agentes da Força Nacional – R$ 48,7 milhões (governo federal)
Consultorias contratadas pelo Ministério do Esporte – R$ 113,8 milhões (governo federal)
Custos com a candidatura – R$ 89,9 milhões (governo federal)
Estrutura temporária para estádio Mané Garrincha – R$ 7 milhões (governo DF)
Estrutura temporária para Arena da Amazônia- R$ 8,4 milhões (governo AM)
Estrutura temporária para estádio Fonte Nova – R$ 10 milhões (governo BA)

Todos estes valores somados totalizaram os R$ 925,7 milhões.