Técnico de francês sugere que canbomblé levou brasileiro ao ouro nos saltos

Getty Images

O ouro conquistado por Thiago Braz tem rendido muita polêmica por parte do atleta francês Renaud Lavillenie. Desta vez quem falou sobre o salto foi o treinador do francês, Philippe d’Encausse que atribuiu a conquista à forças místicas como o ‘candomblé’.

LEIA MAIS

THIAGO BRAZ: “NÃO ESTOU ACREDITANDO QUE SOU CAMPEÃO OLÍMPICO”

RONALDINHO GAÚCHO COBRA DÍVIDA DE R$ 300 MIL DO ATLÉTICO-MG NA JUSTIÇA

EX-SÃO PAULO, CALLERI É ANUNCIADO NO WEST HAM

SELEÇÃO BRASILEIRA SUB-20 É CONVOCADA PARA AMISTOSOS NA INGLATERRA

A declaração foi dada ao jornal francês Le Monde, o treinador Philippe d’Encausse declarou que o Brasil é um país estranho e ainda sugeriu o candomblé como motivo para as forças do brasileiro ao realizar o salto: “Thiago conseguiu um salto de 6,03m. Ele pode ter contado com a ajuda de forças místicas, talvez as do candomblé“, afirmou o francês. Ele ainda acrescentou: “…é um país bizarro“, em admiração ao Brasil.

Antes, o atleta francês tinha reclamado da pressão feita pela torcida brasileira antes de seu salto de 5,98m, segundo ele as vaias vão contra o espírito olímpico e ainda se comparou com Jesse Owens, velocista negro que confrontou Hitler nos jogos de Berlim, em 1936: “Em 1936, o público estava contra Jesse Owens. Não víamos algo assim desde então. Temos que lidar com isso“, disse Lavillenie à imprensa.