Crônica: A saudade de te ver feliz e sonhar

É, havia chegado o tal dia, o tal clássico tão esperado pelos Londrinos e pelos torcedores de Arsenal e Chelsea, eu como bom torcedor do Arsenal não me aguentava de tanta ansiedade para ver a partida, porém o cansaço estava pesando contra, não o cansaço físico, mas sim o mental de lembrar que iriamos enfrentar o nosso rival, que tem em seu ataque um dos jogadores que mais odeia o meu clube, sim Diego Costa, não gosta do Arsenal e eu muito menos dele.

Mas logo no começo da partida vi que seria diferente, uma semana cheia para ao titulares descansarem e chegar inteiros, algo que não tínhamos a muito tempo. A semana completa 20 anos de Wenger sob o comando dos Gunners, e mesmo com muita pressão ele ate que soube montar um bom elenco. E nesse jogo vi o resultado deste grande elenco.

O sofrimento passado antes da partida, com o medo de sofrer outra derrota era evidente em minha reações e nas reações de quem estava no Emirates Stadium, já se passaram 5 anos da nossa ultima vitória sobre os rivais londrinos, porém nosso esquadrão me fez ter um pingo de felicidade.

A saudade era enorme de comemorar um vitória sobre eles, e não há nada melhor que ganhar de seu rival vendo-o cair de joelhos e pedir suplicando para que pare de bater. O Arsenal impiedosamente massacrou o Chelsea, com Ozil, Sanchez e Walcott, o tão cornetado Walcott, que posso dizer com todas minha palavras COMEU A BOLA. Ozil, o maestro em campo, flutuou sobre a marcação de Kante, posso jurar que vi ele jogando sem seus pés no chão. E Alexis, Ah Alexis, sua bravura e coragem contra os gigantes defensores foi determinante. E Diego, talvez tenha se escondido juntamente com o traidor Fabregas dentro doa bolsos de Mustafi e Koscielny.

Ah, que saudade que estava de comemorar uma vitória contra eles, essa foi pra mim, para voces e para todos nós que vimos uma exibição de gala de uma equipe coordenada. Posso talvez estar sonhando e que irei acordar já já com um resultado totalmente diferente ao fim da temporada, porém qual homem não vive de sonhos ?

Torcedor Gunner, hoje é permitido sonhar.



Estudante de jornalismo - UNIRP - São José do Rio Preto