Ex-Palmeiras diz ter vendido chinelos quando desempregado e jogar no verdão: “realização de sonho”

Foto: Cesar Greco /Palmeiras/Divulgação

Antes do Palmeiras, o volante Washington ficou desempregado assim que saiu do Figueirense em 2011. Em entrevista ao site da ESPN, o jogador do Nacional de Portugal revela já ter vendido chinelos confeccionados pela esposa, em salões de beleza de São Paulo. O jogador atuou em apenas cinco partidas pelo Verdão em 2014.

Leia mais:

PALMEIRAS VENCE CORITIBA EM CASA NO BRASILEIRÃO E TIRA LIÇÕES DA PARTIDA
PALMEIRAS MANTÉM CUCA LEVE EM BUSCA DO BRASILEIRÃO

 

“Não tinha um real no bolso para comprar pão para a família. Eu gostava de fazer o supermercado e ir ao sacolão comprar frutas. Isso marcou muito a minha vida. Para sair desta situação precisei vender muitas Havaianas por aí. Não aparecia clube e quando vinha a proposta era tão baixa que não compensava. Não queria ficar muito longe da família sem ao menos ter um salário digno. Corria ainda o risco de não receber em dia”, afirmou o jogador.

Depois de voltar a jogar e pelo  Crac-GO, o volante foi para o Joinvile- SC disputar a Série B e lá despertou o interesse do técnico Dorival Jr que estava no Palmeiras em 2014.

“Em questão de dois anos eu saí de vendedor de chinelos para o Palmeiras. A equipe estava em uma situação muito difícil, em antepenúltimo lugar. Eu só perdi um jogo de todos que entrei em campo. Fui muito bem recebido pelo (técnico) Dorival Jr. que pediu minha contratação. Ele já chegou falando que precisava de mim”, declarou Washington.

Em 2014, o Palmeiras viveu um drama no Brasileirão e só se salvou do rebaixamento na última rodada do Torneio. Washington participou de apenas cinco jogos e relembra como foi na época.

“A melhor recordação foi a recuperação que tivemos no campeonato. Uns 90% já consideravam o time rebaixado, mas a gente deu a volta por cima. Isso ficou para o resto da minha vida. Foi a realização de um sonho depois de tudo o que passei”, disse o volante que participou da salvação do Palmeiras.

 

 

 



Sou apaixonado por esportes e política. Escrever é minha paixão. A vida é muito intensa para ser editada em palavras!