Moisés fica constrangido após jogador do Palmeiras revelar seu apelido

Palmeiras
Foto: Reprodução/ESPN

Considerado para muitos como um dos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro de 2016, o meio-campista Moisés, do Palmeiras, foi um dos convidados do programa Resenha, da ESPN Brasil, na noite deste domingo e respondeu muitas perguntas. Porém, foi surpreendido com a revelação de seu apelido entre os jogadores do Verdão.

LEIA MAIS:

VERDÃO VENCE CONCORRÊNCIA COM VASCO E FLAMENGO E CONTRATA REVELAÇÃO CARIOCA
VERDÃO PERDEU NA COPA DO BRASIL PORQUE CUCA QUEBROU SUPERSTIÇÃO; ENTENDA
MERCADO DA BOLA 2016: VERDÃO DISPENSA SETE JOGADORES

Conhecido pelos torcedores como o “Profeta”, devido ao nome bíblico, Moisés tem um apelido entre os companheiros de Palmeiras que em nada lembra o personagem: Edinanci.

Durante o programa, o ex-atacante Amoroso, um dos participantes fixos da atração o cutucou sobre o apelido.

“Moisés, você sabe que dentro do futebol existem alguns ‘traíras’. E a gente tem alguns amigos lá no Palmeiras que me pediram para te fazer uma pergunta: ‘Por que Edinanci?`”, perguntou o ex-atleta com passagens por São Paulo, Flamengo, Guarani e Corinthians entre muitos outros.

“Ah, eu suspeito quem seja [a pessoa que entregou o apelido]”, começou a responder Moisés, claramente constrangido, mas rindo bastante.

Palmeiras
A judoca brasileira Edinanci Silva (Foto: Divulgação)

“É que a gente tem uma roda de bobinho que treina o rachão em véspera de jogo. E toda vez que entra um lá no meio a gente brinca e mete um apelido. E quando era o período das Olimpíadas, eu entrei em uma roda de bobinho e eles me chamaram de Edinanci”, explicou o jogador do Palmeiras

“Eu nem sabia quem era, depois fui procurar saber… É a judoca”, completou o meio-campista do Palmeiras, em tom bem humorado, mas logo cortando o assunto.

Quem é Edinanci Silva?

Atualmente aposentada dos tatâmes, Edinanci Silva já foi considerada a principal judoca do país. A ex-atleta foi a primeira brasileira a conseguir participar de quatro edições de Olimpíada (1996, 2000, 2004 e 2008), conseguindo um quinto lugar como melhor colocação.

O ponto alto da carreira da atleta foram as duas medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2003, em Santo Domingo, e no Rio de Janeiro, em 2007. Além disso, foi duas vezes medalha de bronze nos Campeonato Mundiais de 1997 e 2003.

Polêmica

Em 1996, na véspera das Olimpíadas de Atlanta, nos Estados Unidos, Edinanci teve de passar por um teste de feminilidade, já que era hermafrodita. Foi reconhecida como mulher, porém, seu desempenho acabou prejudicado na competição (terminou na sétima colocação).