Opinião: Após 100 jogos de Dudu, dá para afirmar que foi um chapéu bem-sucedido

Palmeiras x Botafogo
Divulgação/ César Greco/ Ag. Palmeiras - Dudu - 9 assistências

O atacante Dudu, capitão do Palmeiras, completa hoje 100 jogos com a camisa do Verdão. Depois de polêmicas, provocações, responsabilidades e bom futebol, será que valeu o alto dinheiro investido e o chapéu dado nos rivais São Paulo e Corinthians? Tenho plena certeza que sim, valeria até o dobro.

LEIA MAIS:
PALMEIRAS TERÁ EX-CORINTIANOS TREINANDO NA ACADEMIA. ENTENDA!
GRÊMIO DE FELIPÃO JÁ ELIMINOU PALMEIRAS NA COPA DO BRASIL

Balanço do jogador no clube

Dudu foi contratado pelo Palmeiras no começo de 2015, de forma relâmpago. Ninguém que o Palmeiras contrataria o jogador. Enquanto São Paulo e Corinthians brigavam pelo atacante nos bastidores, Alexandre Mattos foi na surdina e deu o famoso “chapéu” nos rivais.

Passado 1 ano e 9 meses, o camisa 7 prova em campo que o chapéu foi bem-sucedido. Dudu não é só um bom jogador em campo. É um torcedor, é decisivo – como foi na final da Copa do Brasil -, sempre costuma deixar os seus gols em clássicos e nunca faltou raça, o que lhe fez se tornar um ídolo da torcida alviverde e lembrar os velhos tempos de outro camisa 7, Edmundo, o animal.

Em 99 jogos pelo Palmeiras, o atacante anotou 23 gols. Tem 24 assistências durante essa passagem pelo Palmeiras, fora o futebol ousado que apresenta e sendo considerado pela torcida o rei dos dribles.

Dudu também é um exímio provocador e rouba a cena quando enfrenta os rivais. Contra o Corinthians, em um derby no Paulistão, o camisa 7 ao fazer o gol comemorou pegando o boné de um repórter, fazendo alusão ao chapéu dado. Ele também já se envolveu em confusão contra o São Paulo. Na ocasião, conseguiu a expulsão do zagueiro Rodrigo Tolói. Dudu ainda não deixou de provocar o atacante Ricardo Oliveira após a conquista da copa do Brasil, quando fez os dois gols.

Polêmicas com arbitragens

O jogador também se envolveu em duas polêmicas com arbitragem: Uma na final do Paulistão de 2015, no caso foi expulso e xingou e agrediu o árbitro Guilherme Ceretta de Lima. A outra, mais recente, foi com Heber Roberto Lopes, em um Palmeiras x Corinthians pelo Campeonato Brasileiro deste ano, onde o juiz empurrou o atleta.

Liderança e fase tranquila.

Dudu também consolidou a sua boa fase como um dos homens de confiança do treinador Cuca. Agora também é capitão da equipe e conquistou isso quando se tornou um jogador com maturidade, o que não ocorria na temporada passada. Com o camisa 7 de capitão, o Palmeiras nunca perdeu. São 11 jogos de invencibilidade.

Se depender da torcida alviverde, o atacante vai demorar para se despedir, pois é um jogador identificado e adorado pela sua entrega, e o próprio atleta disse na coletiva de ontem. “Por mim eu faço 200, 300, 400 jogos. Se ficar do jeito que está, um clube bom, com presidente apoiando, treinador, comissão técnica… Quem convive aqui sabe que o ambiente é muito bom e unido. Espero que esta marca possa aumentar mais”. A torcida do Palmeiras espera realmente isso de você.

Conclusão: chapéu bem dado, bons resultados e pesadelos para os rivais. Esse é Eduardo Pereira Rodrigues, mais conhecido como Dudu, ídolo da torcida palestrina.