Opinião: ataque do Corinthians é piada de mau gosto

O Corinthians atravessa o seu pior momento no Brasileirão. São quatro jogos sem vencer, duas derrotas seguidas, ambas na Arena, onde até então defendia uma invencibilidade de mais de um ano. Um dos grandes culpados pela turbulência é o setor ofensivo. O alvinegro não balança as redes desde o empate contra o Coritiba (1 a 1) na 25ª rodada.

LEIA MAIS:
Jogadores do Fluminense pedem pênalti de Marquinhos Gabriel em Marcos Júnior 
E agora Fluminense ? Corinthians perde com gol irregular de cariocas 

Pasmem! Os atacantes não marcam há quase três meses! O último a correr para o abraço foi Romero aos 43 minutos do segundo tempo da goleada sobre o Flamengo (4 a 0), na 13ª rodada. O jogo aconteceu em 3 de julho. É inadmissível que um clube da grandeza do Corinthians tenha atacantes tão ineficientes.

A maior culpada por isso é a diretoria alvinegra que não conseguiu reforçar o setor, ao contrário dos rivais. É verdade que chegaram apenas dois jogadores –todos como apostas: Gustavo, ex-Criciúma, e Bruno Paulo, ex-Osasco Audax. Nas poucas vezes em que atuou, o primeiro mostrou limitações técnicas. O segundo chegou em maio e até o momento não estreou devido a problemas médicos.

Na derrota para o Fluminense, no último domingo, o Corinthians teve o dobro de finalizações em relação ao adversário (22 contra 11), de acordo com o Footstats, porém, apenas nove atingiram o alvo. Raros chutes chegaram com força nas mãos de Júlio César.

Com um ataque inexpressivo, só um milagre fará o Timão a conquistar título em 2016. O sonho do heptacampeão brasileiro foi sepultado no final de semana. Na Copa do Brasil, as chances são melhores, porém, os concorrentes ao título possuem opções muito mais interessantes, caso do próprio Cruzeiro, adversário nas quartas de final. Os torcedores vão precisar rezar muito até o final da temporada.

 

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)