Opinião: Cuiabá – Uma volta por cima, mas não o suficiente

Crédito da imagem: Facebook oficial/Cuiabá Esporte Clube

O título desse texto seria uma boa descrição do Cuiabá Esporte Clube no returno da série C. Como eu havia dito antes, o time passava por apuros em 2016 e arriscava ser rebaixado para a última divisão nacional.
Entretanto, o time reagiu e conseguiu um feito: 16 pontos! 10 a mais do que a ida da Terceirona. Chegou a abraçar a lanterna mas distanciou-se e ficou afastado do rebaixamento com rodadas de antecedência.

LEIA MAIS: “ASSISTIR FUTEBOL É FÁCIL, ESTUDAR FUTEBOL QUE É O DESAFIO”, AFIRMA TITE

A melhora não foi suficiente para sonhar com a próxima fase do campeonato. Contudo o resultado foi satisfatório para quem sofria tanto: Foram 16 pontos em quatro vitórias, quatro empates e uma derrota. A seguir, uma análise simples dos últimos jogos (returno – 10ª à 18ª partida) do Dourado no Brasileirão:

Décimo jogo – O desespero tomou conta dos cuiabanistas. O ataque sem sucesso do time mato-grossense fez com que tomasse 2 gols em Belém, como disse o professor Roberto Fonseca recém-chegado à época, “o Remo tomou conta da partida”.
Décimo primeiro jogo – O placar inverteu-se e o Cuiabá marcou dois gols em casa pois saiu pro jogo diante de um Botafogo-PB apreensivo. Henal deu sua contribuição, salvando os poucos ataques paraibanos.
Décimo segundo jogo – Na Arena Batistão, o Cuiabá consegue o empate de 1 a 1 contra o Confiança. Lances anulados de ambos os lados, um pênalti fez o Dourado abrir o placar e um rebote no início da etapa complementar fez com que o Cuiabá não saísse com os 3 pontos de Aracaju. Ambos os ataques foram pra cima, mas os setores defensivos estavam melhores.
Décimo terceiro jogo – Novamente em casa, o Cuiabá consegue um feito ao ganhar de 2×0 com domínio de jogo em cima do Fortaleza, um dos melhores times da competição. Mudança de paradigmas: o Fortaleza havia perdido a liderança e o Cuiabá saído do Z-2 com essa partida.
Décimo quarto jogo – Com muita disputa e ficando na frente do placar duas vezes, o Cuiabá deixou o Salgueiro empatar em 2 a 2 a partida. Mesmo com o calor do sertão no Cornélio de Barros, os dois times esquentaram ainda mais a partida com um segundo tempo bastante acirrado.
Décimo quinto jogo – Em casa, o Dourado vence o ASA por 2 a 0 (sim, foi a 3ª vez em casa com o mesmo placar) e ficou muito mais tranquilo do rebaixamento.
Décimo sexto jogo – Valendo bastante para os dois times, o Cuiabá foi a Natal ganhar pelo placar mínimo do América. Dakson fez o gol e o goleiro Henal salvou o jogo (de novo) com boas e importantes defesas.
Décimo sétimo jogo – Agora recebendo outros potiguares, o Cuiabá apenas empata com o ABC por 2 a 2. Dessa maneira, crava o próprio futuro, estabelecendo-se na série C sem chance de ir para a próxima fase ou cair pra série D.
Décimo oitavo jogo – Pra cumprir tabela, o Cuiabá empata fora sem gols contra o River.

Se o resultado do returno fosse realizado também no turno, o Cuiabá seria o líder da competição (32 pontos). No meio-tempo do returno, o Cuiabá deu aquela escorregada contra a Chapecoense na 1ª fase da Sul-Americana, deixando o time levar 3 gols após marcar o primeiro. Claramente falta de emocional para garantir uma partida já ganha. Os 3 gols foram suficiente para tirar o Dourado de uma segunda fase contra um time argentino, o que engordaria os cofres, empolgaria a torcida e levaria lucros à Arena Pantanal. Uma pena.
Diante do bom desempenho, o técnico Roberto Fonseca manteve-se no Cuiabá com a esperança de um 2017 melhor. Espera-se, que com a exigência do técnico, mantenha-se uma base de jogadores para o ano que vem, principalmente Dakson, que marcou vários gols importantes nas partidas do Dourado sob a batuta desse novo técnico.
É isso… São águas passadas, acabou e fica o aprendizado pra 2017.