Opinião: Goleiro titular da seleção brasileira ainda não foi chamado por Tite

Tite
Foto: Pedro Martins / MoWa Press

A seleção brasileira de Tite, assim como a de Dunga, ainda não tem um goleiro de extrema confiança. Alisson tem sido o mais escalado recentemente e outros nomes são chamados para teste. No entanto, vejo um nome ideal para a posição injustiçado há muito tempo: Diego Alves.

LEIA MAIS:
TITE DIZ EM ENTREVISTA NA TV QUE JÁ TEM SUBSTITUTOS PARA MARCELO E CASEMIRO
GABIGOL FALA SOBRE ESTREIA PELA INTER DE MILÃO; VEJA OS LANCES DO ATACANTE

O camisa 1 do Valencia, da Espanha, é o melhor goleiro brasileiro em atividade há alguns anos. Neste domingo (25), fez história no Campeonato Espanhol: ultrapassou Andoni Zubizarreta (ex-Barcelona) e se tornou o maior pegador de pênaltis (17 no total) da história da competição. Assista ao lance:

Não só por ser especialista nas penalidades, Diego Alves também sempre se mostrou consistente nas mais diversas situações de jogo. O que lhe impediu muitas vezes de ser melhor aproveitado foram lesões de maior gravidade. Nesta última convocação de Tite, porém, o goleiro vinha atuando normalmente e não foi chamado.

O atual técnico da seleção brasileira preferiu, além do goleiro ex-Internacional e hoje na Roma, manter Weverton e surpreender com Muralha, do Flamengo. Todo respeito aos dos bons goleiros em boas fases, mas nada me convence que o camisa 1 do Valencia não seria uma melhor opção na lista.

Diego Alves já merecia, na minha visão, estar na Copa de 2014 e ser titular incontestável na seleção brasileira desde então. Outros nomes que poderiam ser observado com mais carinho, se tivessem mais tempo de jogo em seus clubes, são Rafael Cabral (Napoli) e Neto (Juventus).

Gostou da publicação? Para acompanhar tudo o que escreve seu autor, curta sua página no Facebook e siga-o no Twitter.



Jornalista formado pelo Mackenzie (SP), pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Multimídias e pós-graduando em Assessoria de Comunicação e Mídias Sociais pela Anhembi Morumbi (SP). Apaixonado por esportes desde 1994.