Opinião: os clubes da MLS não param de surpreender

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial Atlanta United FC

A liga americana de futebol, a da bola redonda, está criando o costume de nos surpreender numa velocidade cada vez mais rápida.

LEIA MAIS:
“THE SUN” CITA DOIS ITALIANOS COMO FAVORITOS PARA COMANDAR SELEÇÃO INGLESA
CRISTIANO RONALDO PEDE REPLAY DO SEU GOL NO EMPATE DO REAL MADRID; VEJA

Depois de medalhões chegando lá no início do boom, como Beckham, depois Henry e chegando hoje com Gerrard, Villa, Pirlo, Kaká e todos os demais que já conhecemos, o que veio consequentemente foi o aumento da média de público e os grandes patrocinadores. Estrutura, campos, centros de desenvolvimento e tecnologia, canais de mídia, e principalmente organização eles têm de sobra.

Hoje fomos novamente surpreendidos. O novo time da MLS, o Atlanta United, anunciou nada menos que o ex treinador da seleção argentina como seu novo técnico. Sim, Gerardo “Tata” Martino. Barcelona e seleção argentina, um belo currículo para um clube novo. Novo no papel, mas que com certeza dará ao argentino todas as credenciais e suporte (leia-se sem pressão) para desenvolver um bom papel. Aliás, diga-se de passagem, a equipe já vendeu naming rights e 22 mil pacotes ingressos para a temporada.

Obviamente, e por meio das regras de contratação da própria MLS, Tata não montará um esquadrão galáctico, mas certamente terá as garantias para desenvolver talentos que fomentarão o time nas próximas temporadas. Algum medalhão estrangeiro deve ser o porta bandeira da nova franquia do estado da Geórgia, assim como foram Kaká em Orlando, e Henry no NY Red Bull e etc.

Porém, o movimento que não estamos nos dando conta é que as sementes jogadas lá no início, no começo dos anos 2000, estão cada vez mais perto de começar a dar frutos. Os americanos não mais precisarão importar estrelas, pois surgirão outros “Donovans” e “Dempseys”, melhores e, principalmente, com mais frequência.

Não estamos percebendo que a receita dos esportes americanos, reconhecidamente vencedora, está chegando no soccer e quando menos percebemos eles estarão fortes e dominantes. Talvez falte apenas um resultado espetacular em uma Copa do Mundo para o movimento ser abreviado, mas o final da história será algo parecido com o que já vimos na NFL ou na NBA.

Basta eles se apaixonarem de uma vez por todas. Mas lembrem-se que a semente já germinou por lá e logo estaremos falando soccer com toda a naturalidade.